Pular para o conteúdo principal

Postagens

porque era amor

vontade de gritar
mas fala baixinho
fala baixinho que vai todo mundo olhar.
mas tudo bem, porque era amor.
o telefone não tocava
eu ficava esperando
você chegava atrasado
eu achava que era louca.
mas tudo bem, porque era amor.
a sua ex que não parava de ligar
e eu não podia nem falar com aquele amigo
ele gosta de você
para de dar bola pra ele
e você mandando mensagem pra Julia
mas tudo bem. era amor.
o primeiro dia que você apertou meu braço
o dia que você tampou minha boca no meio do restaurante
tira essa saia
tira essa blusa
eu achava que era puta
mas tudo bem, era muito amor.
meu caderno de textos que você rasgou inteiro
e as poesias que você dizia que eram vazias
para de escrever
você não escreve bem
acha que vai ficar famosa?
e eu parei de escrever
mas tudo bem. parei por amor.
os amigos que eu deixei pra lá
os aniversários que eu não fui
toda aquela gente nova que eu não conheci
fica em casa, eu chego já
e não chegava
não chegava
eu sozinha
e os amigos que cansaram de mim
ou de quem voc…
Postagens recentes

A poesia das nossas conversas de travesseiros

Tenho que ir. Não, fica. Amanhã acordo cedo. Eu te acordo então, já até coloco o despertador. A gente vai perder a hora. Se você for, a gente perde também. Perde o quê? Sei lá, acho que tudo; tenho medo de, se você for embora de novo, a gente se perder de vez.

(...)

Você mudou o colchão. É, aquele já tava velho. Mas já tinha o formato do meu corpo. Não tinha mais, já tinha sumido. Já? Já – é o que acontece quando a gente vai embora da vida das pessoas: nossos rastros vão desaparecendo. Ah.

(...)

Eu desapareci? O quê? Eu desapareci da sua vida? Quase. Hm. Mas você tá aqui agora. É, tô aqui agora.

(...)

Você cortou o cabelo. Cortei, eu queria te esquecer. O que eu tenho a ver com o seu cabelo? Nada – ou tudo; sei lá, eu queria parar de ser aquela pessoa que eu era. O que tinha de errado com a pessoa que você era? É que ela amava você.

(...) 

O que a gente tá fazendo? Você sabe. Não, digo, o que a gente tá fazendo; já tinha acabado. Não tinha. Você me disse que se eu fosse embora, você ia me esq…

O que eu te prometo do mundo

Num mundo onde mensagens de texto são a forma principal de comunicação, onde um emoji de coração tem muito significado, onde temos urgência de publicar tudo o tempo todo e exigimos resposta rápida, onde um visualizado e não respondido nos magoa, onde nos comunicamos e entretemos através de memes, eu prometo deixar meu celular de canto e te olhar nos olhos.

Num mundo onde somos incompreendidos e não temos direito a opinar, onde compartilhamos sem ler, onde banalizamos o que sentimos, onde não respeitamos a opinião do próximo, onde cobramos o que não fazemos, onde aparência conta mais do que o que somos, onde números falam mais do que caráter, onde se importar é sinal de fraqueza, eu prometo ser verdadeira e me importar.



Num mundo onde buscamos por aceitação, em vez de felicidade, onde procuramos por ilusões, em vez de sinceridade, onde corremos porque é mais fácil do que ficar, onde fugimos porque é mais fácil do que enfrentar, onde nos omitimos porque é mais fácil do que assumir quem so…

Aos meus amigos que moram longe

Moro a mais de treze mil quilômetros dos meus amigos mais distantes. Na verdade, até cheguei a jogar a pergunta no Google e cheguei ao assustador número de 13.356,80 km entre mim e eles. Para ajudar, ainda tem o fuso horário na jogada: quando eu estou indo dormir, a galera lá do outro lado está, provavelmente, escolhendo o que vai almoçar. Isto levando em conta quando a gente fala a mesma língua – e quando um fala francês, a outra chinês e eu aqui me enrolando na língua que a gente herdou de Portugal? 

Não é fácil manter amizades assim, não vou mentir. 

Esses dias, soube que esfriou na cidade em que eu morava pouco mais de um ano atrás. Foi inevitável lembrar das tardes frias e nubladas no sofá do meu apartamento – filme na TV e uns dois potes de pipoca e Doritos, e todo aquele chocolate. A gente ficava horas ali, contando do passado, do presente, de tudo o que a gente queria fazer no futuro. Tinha tanto pra contar...

Quando você está em um lugar que ainda não pode chamar de “seu”, você …