Pular para o conteúdo principal

Postagens

O que eu te prometo do mundo

Num mundo onde mensagens de texto são a forma principal de comunicação, onde um emoji de coração tem muito significado, onde temos urgência de publicar tudo o tempo todo e exigimos resposta rápida, onde um visualizado e não respondido nos magoa, onde nos comunicamos e entretemos através de memes, eu prometo deixar meu celular de canto e te olhar nos olhos.

Num mundo onde somos incompreendidos e não temos direito a opinar, onde compartilhamos sem ler, onde banalizamos o que sentimos, onde não respeitamos a opinião do próximo, onde cobramos o que não fazemos, onde aparência conta mais do que o que somos, onde números falam mais do que caráter, onde se importar é sinal de fraqueza, eu prometo ser verdadeira e me importar.



Num mundo onde buscamos por aceitação, em vez de felicidade, onde procuramos por ilusões, em vez de sinceridade, onde corremos porque é mais fácil do que ficar, onde fugimos porque é mais fácil do que enfrentar, onde nos omitimos porque é mais fácil do que assumir quem so…
Postagens recentes

Aos meus amigos que moram longe

Moro a mais de treze mil quilômetros dos meus amigos mais distantes. Na verdade, até cheguei a jogar a pergunta no Google e cheguei ao assustador número de 13.356,80 km entre mim e eles. Para ajudar, ainda tem o fuso horário na jogada: quando eu estou indo dormir, a galera lá do outro lado está, provavelmente, escolhendo o que vai almoçar. Isto levando em conta quando a gente fala a mesma língua – e quando um fala francês, a outra chinês e eu aqui me enrolando na língua que a gente herdou de Portugal? 

Não é fácil manter amizades assim, não vou mentir. 

Esses dias, soube que esfriou na cidade em que eu morava pouco mais de um ano atrás. Foi inevitável lembrar das tardes frias e nubladas no sofá do meu apartamento – filme na TV e uns dois potes de pipoca e Doritos, e todo aquele chocolate. A gente ficava horas ali, contando do passado, do presente, de tudo o que a gente queria fazer no futuro. Tinha tanto pra contar...

Quando você está em um lugar que ainda não pode chamar de “seu”, você …

Sobre Nossa (R)existência

Era sábado – sete da noite. Filme, pipoca e uns beijos perdidos na poltrona desconfortável da sala do cinema. Estava calor, então fui de short. O cara que sentou ao meu lado não era meu desconhecido, mas alguém que eu já saía há um tempo e apenas queria conhecer mais. Conhecer mais, vocês entendem? Beijar, se divertir, comer uma pizza depois, jogar conversa fora e, quem sabe, descobrir se havia chances para nós dois.
O cara não entendeu.
Fui eu quem não expliquei direito? Eu que não deixei claro que só queria a distração do fim de semana, como fuga da loucura da faculdade, da vida, da minha dor? Foi o jeito com que retribuí o beijo? Ou a risada que deixei escapar naquela piada idiota que ele fez? Foi como eu joguei o cabelo? Como inclinei a cabeça ou fiz carinho na nuca dele? Ou foi o jeito com que me vesti?
O fato é que, entre uma cena e um beijo, o cara, aquele que eu só queria conhecer um pouco mais, tentou passar a mão em mim. Do nada, sem aviso prévio, sua mão já estava entre min…

Slow down, you crazy child

Outro dia, recebi um e-mail de uma leitora antiga, que acompanha o blog há anos. Entre uma frase e outra, ela me jogou um questionamento: você abandonou o blog? Minha primeira reação foi pensar sim. Porque há tempos eu estava me sentindo culpada por não postar aqui, e até pior, por sequer acessar o blog para ver se o domínio ainda estava no ar.

Meu último post aqui foi no dia 1 de março. Meu último texto, de fato, foi em janeiro. Naquela época, eu ainda estava animada para publicar bastante por aqui, manter newsletter, fazer resenha, atualizar a página do Facebook. Aquelas metas que você sempre acha que vai cumprir quando começa um novo ano. 
Mas a vida foi um pouquinho mais difícil do que eu estava imaginando nestes primeiros três meses de dois mil e dezessete. Entre uma porrada e outra (no emocional, na vida financeira, na vida familiar etc), ainda me vi tendo que operar, me recuperar, sobrecarregada no trabalho e exausta emocionalmente. Eu abandonei o blog por um período porque eu si…