16 de fevereiro de 2017

Acorda Que É Cilada



Põe aquela roupa que ele não gosta. Passa aquele batom vermelho que você adora. Faz o tal do penteado que te deixa com cara de abusada. Não se intimide a dançar até o chão. Corta o cabelo se tiver vontade, não pede conselho ou explicação. Se quiser sair, sai. Vira a noite acordada, vira a noite bebendo, vira a noite como você quiser virar.

Não abaixa a cabeça para ordem de quem só quer te silenciar. Grita. E grita alto que do seu lado alguém vai estar pronta para te ajudar. Mas não permita que ele toque nas suas blusas, no seu jeito, nos seus gostos – não permita que o toque dele vire algema para você não ser mais você.

Relacionamento abusivo vem travestido de diversas formas: Você é mais inteligente que esse programa. Mais culta para ler tal livro. Mais recatada pra usar tal roupa. Você não é da rua para chegar tão tarde. Não é tão boa para aquelas suas amigas. Aquela festa não te merece. Quem merece sou eu, amor, que tô aqui do seu lado e sei o que é melhor para você. Aquela faculdade tá te mudando. Você tá perdendo a essência. Vai acabar me perdendo, hein? Não quero perder você.

Vê se não cai nessa cilada, mana. Coloca aquela roupa que você adora. Joga os cabelos para o lado. Para de esconder quem você é para agradar quem quer que seja. Relacionamento abusivo tem diversas frases ruins, mas tem uma que você pode ter certeza que é verdade: você é mais inteligente do que isso, para aceitar qualquer merrequinha disfarçada de amor. 

Você é maior do que o espaço que ele está oferecendo a você. Você é melhor quando não precisa se matar para ser amada. Nenhuma paixão supera a felicidade de ser você, sem ser punida por isso. Vai praquela festa que você quer tanto e dance até o mundo acabar.

Acorda, cai fora dessa, que, como dizia um grande pensador contemporâneo, não é amor, é cilada.




10 de fevereiro de 2017

Os Bons Segredos, Sarah Dessen #Leiturasde2017


Depois de muita insistência de algumas amigas, finalmente resolvi apostar em livros da Sarah Dessen. O escolhido da vez foi Os Bons Segredos, livro que conta a história de Sydney, uma adolescente que sempre viveu às sombras do irmão mais velho - o queridinho da família. O irmão, porém, se envolve em inúmeros problemas com a polícia, até que, um dia, acaba causando um acidente que deixa um garoto de 15 anos paraplégico. 

A partir disso, a vida de Sydney muda drasticamente, com ela tendo que aprender a se virar em uma nova escola e em uma nova realidade familiar. A menina precisa descobrir, então, como ela se encaixa nesse contexto e como lidar com essa nova vida. Nesse meio tempo, ela conhece os Chatham, uma família que a acolhe e parece, finalmente, enxergar a garota e suas dores de verdade. 

Dessen conseguiu me fazer mergulhar nessa história de forma bem rápida. A construção da protagonista me encantou logo de cara e me vi envolvida com o processo de amadurecimento de Sydney, que trouxe inúmeras questões bem próximas da realidade de inúmeros adolescentes. 

Preciso avisar, no entanto, que essa história não traz grandes acontecimentos. Não espere um livro com grandes reviravoltas ou episódios surpreendentes. Os Bons Segredos trata muito mais dos processos de crescimento diários dos personagens e das relações. Mas talvez seja justamente nesse ponto que o livro se torne tão bonito em sua simplicidade. 

Sobre a escrita, Sarah Dessen conta a história da forma leve que eu gosto de ler. Em alguns momentos senti pequenos buracos na história, coisas que achei que faltaram ser trabalhadas, mas nada que atrapalhasse a narrativa significativamente, muito menos que me fizesse desgostar do livro. 

Li o livro em menos de uma semana e já fui logo procurando mais livros da autora para ler em seguida. 


Livro 2: Os Bons Segredos
Título Original: Sain Anything
Autora: Sarah Dessen


Sinopse: 

Sydney sempre viveu à sombra do irmão mais velho, o queridinho da família. Até que ele causa um acidente por dirigir bêbado, deixando um garoto paraplégico, e vai parar na prisão. Sem a referência do irmão, a garota muda de escola e passa a questionar seu papel dentro da família e no mundo. Então ela conhece os Chatham. Inserida no círculo caótico e acolhedor dessa família, Sydney pela primeira vez encontra pessoas que finalmente parecem enxergá-la de verdade. Com uma série de personagens inesquecíveis e descrições gastronômicas de dar água na boca, Os bons segredos conta a história de uma garota que tenta encontrar seu lugar no mundo e acaba descobrindo a amizade, o amor e uma nova família no caminho.



7 de fevereiro de 2017

Indicação: Estrelas Além do Tempo


Um filme sobre três mulheres. Melhor: três mulheres negras. Três mulheres negras que trabalham na NASA na década de 60, em plena Guerra Fria, e ajudam os Estados Unidos a levar o homem ao espaço. Vai falar que só por saber disso já não dá vontade de conferir? Pelo menos foi o que eu pensei assim que vi o trailer de Estrelas Além do Tempo, filme estrelado por Taraji P. Henson (de Empire), a cantora Janelle Monáe e Octavia Spencer (de Histórias Cruzadas). Então não é novidade que, assim que surgiu a oportunidade de assistir à pré-estreia do filme com o Papel Pop, na semana passada, eu corri para o cinema.

E que acerto!

Sabe quando você sai da sala de cinema com a sensação de ter gastado bem suas horas livres? Foi o que pensei no fim de Estrelas Além do Tempo. Além de ser uma comédia dramática envolvente, com uma trama empolgante e tiradas divertidas, o filme conta a história de três heroínas americanas que foram escondidas da história por anos devido a uma sociedade machista e racista. Ver a luta dessas mulheres contra um país segregado finalmente sendo retratada é uma das coisas mais bonitas desse filme.

É claro que também há a sensação de revolta: em certos momentos, fiquei enjoada ao pensar que tudo aconteceu há não muito tempo ou ainda que, pior, muito do racismo retratado no filme acontece ainda nos dias de hoje.

Ainda assim, Estrelas Além do Tempo é uma quebra de paradigma, dando à mulher negra um papel de destaque não apenas como a empregada, a escrava, ou a mulher hipersexualizada - coisas que tantas vezes acontecem nos filmes, séries e até novelas brasileiras. Dessa vez, as mulheres negras são fortes, inteligentes e essenciais para a história da empresa em que trabalham, a NASA. Tudo isso dá voz à luta contra o preconceito gritante e o velado, tantas vezes praticado por pessoas que insistem em dizer coisas do tipo "Não tenho nada contra vocês" para os negros, enquanto suas ações mostram outra coisa.

É claro que o filme não é perfeito. Acho, sim, que poderia ter abordado o racismo de forma mais incisiva e complexa. Também acho que, em determinada cena do filme, um personagem branco acabou surgindo como o "salvador da pátria" - o que me incomodou um pouco. Porém, não vejo esses pontos como falhas gritantes. Afinal, só a temática desse filme e suas personagens principais já são uma vitória tão grande que só consigo pensar que é um filme necessário, mesmo que ainda hoje em 2017.


Estrelas Além do Tempo tem três indicações ao Oscar e já está no cinema. 




3 de fevereiro de 2017

Por Lugares Incríveis, Jennifer Niven #Leiturasde2017


Chegou a hora de, finalmente, estrear a tag de Leituras de 2017 aqui no blog. Já faz um tempo que eu estava querendo fazer algo do tipo e decidi começar agora no início desse ano. Então se preparem para acompanhar meus posts e indicações de livros: minha meta é ler, pelo menos, 50 livros no ano. E ó: indicações estão mais do que aceitas!

Para começar, meu primeiro livro de 2017 foi também o primeiro livro que li da autora Jennifer Niven - Por Lugares Incríveis. E foi um ótimo jeito de abrir as leituras da autora. Quem me segue nas redes sociais, provavelmente sabe que em 2016 acabei lendo mais livros New Adult e já estava com saudade de me aventurar em leituras Young Adult. Para minha sorte, escolhi bem.

Por Lugares Incríveis conta a história de dois jovens repletos de traumas, dores e incertezas que se conhecem em um momento inesperado: quando estão "prestes a pular" da torre do sino da escola. A partir deste momento, as histórias dos dois se cruzam e um acaba despertando no outro a vontade de viver, sair, conhecer lugares novos. E, na gente, que está apenas lendo tudo isso, Violet Markey e Theodore Finch despertam as mais diversas emoções. 

A primeira coisa que me encantou nesse livro foi a narrativa da Jennifer Niven, contada em primeira pessoa pelos dois personagens. É uma leitura fluída, que te faz mergulhar numa história cheia de nuances pesadas e complexas, mas sem perder a leveza do texto. Depois, o que me ganhou de vez foram os temas abordados no livro. Niven trata de suicídio, depressão, luto e transtornos psicológicos de uma forma que te faz enxergar muita coisa de forma diferente, mas sem romantizar nada disso. 

Um livro que traz romance, traz problemas enfrentados por muitos adolescentes, traz traumas, tristeza, superação e, principalmente, reflexões. Muitas reflexões. (E algumas - ou muitas - lágrimas, admito).

Por Lugares Incríveis fez com que eu começasse a minha Lista de Leituras de 2017 com o pé direito. 

Livro 1: Por Lugares Incríveis
Título Original: All the bright places
Autora: Jennifer Niven



Sinopse: 
Dois jovens prestes a escolher a morte despertam um no outro a vontade de viver!Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família.
Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante.
Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.

1 de fevereiro de 2017

Vontade do teu sorriso

E aqui estou eu, novamente com os mesmos sentimentos e pensamentos. Com o mesmo aperto no peito e vontade do teu sorriso. Será que você está pensando em mim? Será que eu passo pela tua cabeça tantas vezes quanto você passa pela minha? O que você pensa quando vê as minhas fotos no Instagram? Eu tenho os pensamentos mais variados em relação à você, mas ainda assim são só pensamentos. E ainda assim é você.
Dia desses vi uma foto sua, comemorando a vitória de um projeto pessoal seu. E pensei: “que legal, ele conseguiu.” Pode duvidar, mas eu realmente fiquei feliz por você. Fiquei feliz porque você merece que as coisas deem certo. Não tem mágoa por aqui não, apenas carinho. E você realmente fez por merecer.
Outra noite vi uma foto de uma alguém do teu lado. Pensei: “quem é essa?”. Fiquei angustiada. Sem direito nenhum, mas ainda assim tremi por dentro. Tem alguém desviando os teus pensamentos. Tem um alguém que não sou eu do teu lado. Tem um alguém que, com certeza, não pensa em você da mesma forma que eu penso.
Ontem eu cheguei em casa louca pra falar com você. Tive um dia péssimo e só queria ouvir você gargalhando sobre os meus problemas. Você amenizava o peso dos dias, sabe? É claro que não falei contigo. É claro que fiz do orgulho motivo pra não te procurar. E ontem, quando tudo o que eu precisava era de um sorriso teu, você também não postou nada, nem meia selfie. Vai entender.
Quer dizer, eu entendo. Tem você. Tem eu. E tem esse elefante branco entre a gente. É serio, eu realmente entendo. Você escolheu o fácil, só esqueceu de me falar como eu faço agora com toda essa agonia de te procurar. Não ficou muito claro se ainda pensaríamos um no outro ou não. E com certeza não ficou claro para onde eu devo seguir, sendo que você não está mais ali.
Eu penso todos os dias em você, com atualização no Instagram ou sem, com uma mensagem aleatória no Whatsapp ou sem, com um comentário bêbado em uma foto no meio da madrugada ou sem. Eu sou aquela que acompanha a tua vida por uma tela, porque não aguentou nada além disso. Então continuo a te stalkear, continuo a tentar entender o que você tá vivendo só pela selfie de sexta-feira com a galera no bar.
Eu nunca fui num bar contigo, mas lembro da nossa primeira e última cerveja no japonês. E é impossível comer sushi e não lembrar de você com um gergilim no dente e do quanto a gente riu nesse dia. É disso que sinto falta, do teu sorriso e das marcas que se formam ao redor dos olhos quando você está feliz. E não importa quantas novas fotos você publique, quantos filtros diferentes você escolha ou quantas hashtags você use, teu melhor sorriso sempre foi ao meu lado.