Pular para o conteúdo principal

Feliz Dia dos Namorados!

Não vai doer, jurei para mim mesma. Não vai doer. Como se a gente tivesse mesmo controle do que dói e do que não dói. Eu espero que você saiba que eu não preciso de você para ser feliz. Até mesmo porque eu acho meio ridículo essas pessoas que precisam de outras para serem felizes. Mas seria tão bom se você quisesse ser feliz ao meu lado. Só que não vai doer. Não ter você do meu lado. Não vai.

É dia dos namorados, sabia? Você sabe. Você deve estar com uma dessas garotas tão lindas e perfeitas que você encontra e que nunca te preenchem. Já deve ter escolhido um presente qualquer e vai levar uma delas para um desses lugares cheios de gente e que ao mesmo tempo te fazem sentir tão sozinho. E eu fico me perguntando se eu deveria querer ser como elas para ter você. Ou se eu deveria querer acabar com o vazio que te enche. Ou se eu deveria simplesmente te deixar partir. Só que eu te deixei partir. Mas me deixei ir com você. E eu to fazendo falta aqui dentro, sabe?

E eu poderia estar me lamentando. Eu poderia estar puta da vida. Eu poderia procurar qualquer outro que não me faria sentir metade do que você me fez, mas que estaria aqui agora. Eu poderia te esquecer. Mentira: se eu pudesse te esquecer, eu já teria esquecido. E eu poderia mais uma vez chorar. Mas isso eu não vou fazer. Porque não vai doer. Não pode doer. Não vai.

Porque tudo bem. Tudo bem. Eu vou ver todos os outros namorados sendo especialmente namorados nesse dia. E eu juro, não vou sentir inveja. Não vou querer me jogar da janela do meu apartamento do 21° andar. Não vou chorar e comer uma panela toda de brigadeiro. Ou talvez eu coma o brigadeiro (não sou de ferro!). Vou assistir os filmes românticos que adoram passar só no dia doze de junho. Vou abraçar aquele urso de pelúcia que você me deu quando a gente ainda era criança. Vou falar bem baixinho para mim mesma que tudo bem. Só para eu acreditar com mais fé.

E, sabe, eu vou te esperar. Tudo bem. Tudo bem que você demore séculos para chegar e decidir mesmo ficar comigo, eu espero. Eu espero e não vai doer. Porque eu ainda lembro quando você falou com aquele seu ar de garoto crescido: "eu posso namorar todas as garotas do mundo, mas quando eu for casar, é com você". E aquilo pode ter parecido tão anti-romântico para todas as minhas amigas. Mas foi a maior declaração de amor que eu podia ter recebido. Então tudo bem. Vá ser de todas as outras garotas enquanto ainda não chegou a nossa vez. Vá ser só seu, enquanto finge com todas as forças que você não é mais meu do que qualquer outra coisa do mundo.


"E hoje eu não me odeio. Hoje eu só fecho os olhos e lembro de você me pedindo sem graça para eu não deixar ninguém ocupar o lugar da minha canga. 
Tudo o que eu mais queria, por trás de todos esses meus textos tão modernos, sarcásticos e malandros, era de alguém que me pedisse para guardar o lugar. 
Tá guardado. 
O da canga e de todo o resto." 
(Tati Bernardi)

Comentários

  1. Meu Deus! Nem sei direito o que dizer... Aliás, sei sim, mas não sei COMO dizer. Seu tornar a dizer que você escreve MUITO BEM, que tem um talento impressionante, vai ser até sem graça, mas, então, como é que eu vou te dizer outra coisa se é isso mesmo? *-*
    Dia dos Namorados sem namorado, sabe que eu nem me importo? Bom, por enquanto não tô importando não viu, ASHEUASHE, mas do brigadeiro eu tô sentindo falta, mais tarde vejo ele, haha!
    Amei MESMO, Kaká! *-*

    Ps: Seu comentário lá na minha página me matou. ♥

    ResponderExcluir
  2. A gente esquece, quando não fazemos questão de lembrar. Porquê querer esquecer é, de certa forma, uma forma de manter vivo o sentimento.


    ... ótimo texto!!!
    Desculpa a demora.

    ResponderExcluir
  3. Por causa disso vai ter uma dedicatória pra você no livro, oks? HIOADSHOIADOHIHADISOIHOADSOI

    'Vá ser só seu, enquanto finge com todas as forças que você não é mais meu do que qualquer outra coisa do mundo.' *-* :')
    Eu quase choro, digo logo. És incrível, K *-*

    ResponderExcluir
  4. O namoro é a escola do conhecimento, onde as almas aprendem a conhecer-se e os corpos se descobrem.

    ResponderExcluir
  5. eu vi esse seu texto na comunidade da tati, e depois dele realmente não consigo sair mais do seu blog, seus textos são perfeitos tá de parabéns viu ? sou sua fã cara *-*

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …