Pular para o conteúdo principal

Querido 2010,

Agora que você já está tão perto, tão beirando o início, venho dizer o que realmente espero de você. 


Vou ser sincera, já costumei esperar muito mais de outros anos, como por exemplo, desse ano acabando. Mas esperar demais pode ser decepcionante. Portanto, de você não espero quase nada, apesar de - para estar preparada - esperar um pouco de tudo.

Espero que você venha menos cansativo do que os últimos, mas muito mais divertido, cheio de sorrisos e alegrias. Espero que traga algumas pequenas decepções - porque elas realmente ajudam a crescer, mas que venha cheio de grandes realizações. Que você me traga mais amigos, mais amores, mais vida. E que faça uma limpeza com aqueles que já não me servem mais. 

Não espero que você acabe com a violência do mundo, com a maldade, com as mortes. Nem que dê fim ao aquecimento global. Sei que esperar tudo isso de você é querer demais. Mas, se puder dar uma diminuída em tudo isso, a gente agradece muito.

Espero que a gente se preocupe menos com as contas bancárias e mais com as contas divertidas: quantos amigos, quantas viagens, quantas férias, quantos anos. Espero que você traga muitas celebrações que a gente gosta mesmo é de uma boa festa. E, por favor, traga muitas soluções - que é disso que a gente tá precisando.

Diminua os problemas - deixa isso para os próximos anos. Dê umas férias para nossas cabeças que a gente vem vindo muito estressado com essa correria toda. Traga felicidade - porque é triste que ela esteja tão escassa por aí. E menos depressão - contrarie os médicos e prove que não, essa não é a doença do século.

Eu, sinceramente, espero mesmo pouca coisa: Saúde, paz, família unida, sorrisos, amores e amigos. O resto é mesmo força e fé.

Mas anota aí meus planos e no fim, me cobra se consegui realizar tudo: a faculdade, o estágio, o namorado e a viagem de navio.

Pra acabar, 2010, eu peço só o que acredito que todo mundo espera e irá pedir no segundo da virada: Que seja doce e inesquecível. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Cansei de brincar de ser trouxa

Eu cansei das mensagens visualizadas e não respondidas. De ter que estar pronta pra quando você quisesse, mas nunca poder contar com sua presença quando eu queria. Eu cansei de ser sempre tudo do seu jeito, de mendigar sua atenção, de tentar me encaixar entre um horário e outro da sua agenda, de me esforçar pra caber nuns buraquinhos esquecidos da sua vida. 
Cansei das idas e vindas, cansei da falta de atitude, cansei das vezes em que você disse que eu era tudo o que você queria, só não era agora, só não era a hora. Eu cansei de escrever sobre você, de dizer que ia te esquecer, de voltar atrás, de tentar mais um pouco, de insistir mais um tanto. Eu cansei naquela noite em que você não voltou. Naquele silêncio em que a gente não dividiu. Na madrugada inteira que você não me aqueceu e eu morri de frio. 
Eu cansei depois daquele seu olhar vazio quando eu apareci de surpresa. Eu cansei de achar que era você, e era eu, você só não sabia. Porque, quando é, a gente sabe desde o começo. Eu cans…