Pular para o conteúdo principal

A pré-adolescência já acabou

Uma vez eu disse para todo mundo que eu nunca mais ia falar de você. E isso era quase como prometer pra mim mesmo que eu nunca mais ia lembrar. Andei tentando não lembrar, mesmo quando eu passava em frente a nossa antiga escola e via aquele uniforme que eu achava horrível, mas que em você ficava tão bem. Fingia que eu não lembrava cada vez que eu via seu perfil no orkut. Que eu não lembrei quando vi que você estava namorando. Nem quando você estava solteiro. Venho tentando não lembrar e isso me soa quase como tentar desesperadamente esquecer.

Você foi ficando com todas as outras garotas que a gente conhecia, e eu, como uma idiota, ficava imaginando quando seria a minha vez. Sei que parece ridículo, mas eu aceitava ser só um detalhe na sua história. Eu era pouca merda mesmo.


Venho alimentando essa mania de gostar de tipos como você: desses que a gente sabe que não vai dar em nada. Não vai virar marido, amigo, companheiro. Desses, que a gente sabe que vai dar o pé na bunda uma hora ou outra. Gostar de tipos como você é o que eu venho fazendo durante muito tempo. E uma parte de mim acha que isso é só porque eu gosto mesmo de sofrer.

Na fila do cinema, naquele dia, tomando milkshake do Bob's: chega! Chega de sair por aí rastejando por cara que nem merece. De acordar de mal humor porque sonhou com ele e não era realidade. Chega de ficar esperando por um roteiro que nunca vai virar filme. Eu decidi que você não vale tanto à pena. Gostar de você foi só o jeito mais fácil de eu deixar de gostar de mim. E essa fase já passou. Pra puta que o pariu com esse seu jeito pré-adolescente de ser. Todo mundo cresce. E você?

Comentários

  1. estava com saudade de algo bom para ler.. ricce.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Cansei de brincar de ser trouxa

Eu cansei das mensagens visualizadas e não respondidas. De ter que estar pronta pra quando você quisesse, mas nunca poder contar com sua presença quando eu queria. Eu cansei de ser sempre tudo do seu jeito, de mendigar sua atenção, de tentar me encaixar entre um horário e outro da sua agenda, de me esforçar pra caber nuns buraquinhos esquecidos da sua vida. 
Cansei das idas e vindas, cansei da falta de atitude, cansei das vezes em que você disse que eu era tudo o que você queria, só não era agora, só não era a hora. Eu cansei de escrever sobre você, de dizer que ia te esquecer, de voltar atrás, de tentar mais um pouco, de insistir mais um tanto. Eu cansei naquela noite em que você não voltou. Naquele silêncio em que a gente não dividiu. Na madrugada inteira que você não me aqueceu e eu morri de frio. 
Eu cansei depois daquele seu olhar vazio quando eu apareci de surpresa. Eu cansei de achar que era você, e era eu, você só não sabia. Porque, quando é, a gente sabe desde o começo. Eu cans…