Pular para o conteúdo principal

Pessoas esquecem.

Ela fechou os olhos e contou até dez, como sua mãe lhe tinha ensinado a fazer quando tivesse vontade de bater em alguém ou chorar em público. "É só contar até 10 e respirar fundo." Lentamente, ela o fez. E depois seguiu em frente. Acordou cedo, tomou seu café da manhã, foi para a faculdade, tudo igual. Ouviu as fofocas, deu risada das piadas, tudo igual. Fingiu que o buraco não existia. Ninguém valia tanto a pena assim para merecer tantas lágrimas e discursos sobre a falta que fazia. Quando a gente sente mesmo, quando dói de verdade, não temos muita vontade de falar para ninguém. Apenas guardamos em silêncio e esperamos até esquecer. Até esquecer.

Foi vivendo sempre tudo igual, sem se deixar abalar. Pelo menos, sem se deixar abalar publicamente. Foi fingindo tanto que tudo estava bem, que não sentia falta, que a vida é muito mais importante do que alguma decepção qualquer por causa de sua mania boba de acreditar. Até que uma hora as coisas simplesmente ganharam vida própria. Tudo estava bem mesmo. Tudo estava exatamente igual. Ela já estava leve e sorridente e aproveitando a vida e essas novas experiências que surgem quando você deixa o Ensino Médio e vai viver como uma caloura na faculdade. E não tinha mais buraco nenhum.

O grande erro das pessoas é acreditar que sempre fará falta para alguém. Que sempre deixará saudade. Que sempre estará na memória como a antiga melhor amiga ou o melhor namorado. O erro das pessoas está mesmo em não acreditar na capacidade que o cérebro humano tem em deletar certas memórias de nosso consciente. E na capacidade que o coração tem de amar outras pessoas. O erro é não ver que o mundo gira o tempo todo e se ele não para por sua causa, muito menos alguém vai parar por sentir falta tua. As pessoas simplesmente superam. E seguem em frente. E se você não voltar com frequência para dizer ou mostrar o quanto as ama ou qualquer coisa do tipo, elas não têm motivo nenhum para acreditar nisso. As pessoas esquecem - por mais que seja difícil acreditar nisso. Se você quiser ser lembrado, você precisa se fazer lembrar. Ou então, esqueça também.

Comentários

  1. Oii,muiitoo liinda as suas postageens !! To te seguiindo! me seguee tbm ? .* http://thatycrippa.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. É uma belíssima crônica, Karine!
    Você foi muito feliz nas colocações de seus pensamentos. Partilho da mesma opinião.
    Grande abraço e sucesso!

    ResponderExcluir
  3. Ameei o seu post !! E é vdd cada pessoa tem o seu encanto e jamais será substituida por outra ,com ctz! aadoreii *_*

    ResponderExcluir
  4. Olá, minha chará!

    te seguindo tb!

    adorei tudo aqui!

    bju :*

    ResponderExcluir
  5. E verdade seja dita !
    Esse post me remete aos términos dos meus relacionamentos, enquanto eu ficava lá remoendo e lamentando um passado-quase-futuro-perdido, me perguntando se por um acaso o outro estaria lembrando de mim com a mesma intensidade. Depois, eu me sentia extremamente idiota, me convencia de tudo isso aí que eu acabei de ler e seguia em frente.
    No fundo todo mundo quer ser lembrado né !
    Seres humanos, relacionamentos e a dificuldade em enxergar e aceitar o óbvio :~

    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …