Pular para o conteúdo principal

Quando o santo NÃO bate!

Ela é um amor de pessoa. Todo mundo a adora. Você sabe, já cansou de ouvir todas as suas qualidades, como ela é uma super amiga, divertida, engraçada, gente boa. Você nunca disse que ela não prestava. Talvez ela seja mesmo tudo isso que dizem. Talvez ela tenha o papo mais interessante do planeta. Talvez em outra situação ela pudesse ser um das suas melhores amigas. Talvez com o tempo...não. Sabe quando a voz te irrita? O jeito de rir é insuportável? Sabe quando a cara dá nojo? Sabe quando ela fala uma bíblia e tudo o que você consegue ouvir é "bla bla bla bla". Sabe quando cansa? Quando pesa a alma? Quando dá no saco? E, putaqueopariu, dá muito no saco. Puta voz chata. Puta cara de nojenta. Puta jeito de patricinha mimada metida a rica. Sabe aquelas que moram no Tatuapé e acham que tão no Itaim? Bota o pé no chão, amiga. Tira essa voz enjoada, fala direito. Para de forçar essa vozinha fina que todo mundo sabe que você não tem. Você tenta fazer esse jeito de fina e elegante e tudo mais, mas tua cara é de povão, colega. Tu é enjoada pacas, mas dá pra ser legal. É só você não querer ser mais do que você é. Você não precisa parecer rica, não precisa dizer que tem amiga que tem uma BMW, não precisa conhecer Deus e o mundo e o Diabo a quatro. Você não precisa de todo esse discurso que você fez sobre como você frequenta a alta sociedade. Essa merda nunca conquistou amigos, e sim oportunistas. É diferente, o que você atrai agora é só gente interesseira que te vê como um contato. Con-ta-to. Sabe colocar na agenda como uma das pessoas para ligar quando quiser um ingresso para um show? A gente adora conhecer essas pessoas, mas odeia ter que fazer social com elas. Então, sério, eu quero muito conhecer essa pessoa legal e divertida e engraçada, mas do jeito que você é, não dá não. O santo não bate e assim não tem santo que dê jeito, porque, vai ser cansativa assim lá na SUA casa. Beijo, nãomeliga!

Comentários

  1. haahah ri com seu post Ká,tem gente que é assim mesmo! Mas, me ofendi um pouquinho com o oTatuapé uhsahuasuhs. brincadeira!
    Beeeijos, Bruna Maniscalco - Mackenzie

    ResponderExcluir
  2. poxa kah, era só falar na cara :( HAHAHAHAHA adorei demaaais esse post, sério, falou TUDO! demais.

    ResponderExcluir
  3. Por um acaso eu achei o seu blog e comecei a ler, adorei os posts (ainda tenho que ver os outros, rs)
    gosto de textos assim,
    bem-humorados, pqe eles
    conseguem prender a minha
    atenção por mais gigantes qe sejam ! (:
    tô seguindo, se puder passa no
    meu tbm :

    http://taailourenco.blogspot.com/

    bjo e bjo (:

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …