Pular para o conteúdo principal

Só teu.

Ela não vai ligar. Ela fica. Não, deixa, ela não se importa. E ficar se perguntando quem foi que perguntou se ela não ligava mesmo, se não se importava mesmo. E o sorriso no rosto, para ninguém perceber. Tudo bem, eu não ligo, eu fico, eu não me importo. E o sorriso no rosto. E o nó na garganta que dá quando a gente tem aquela vontadezinha boba de chorar. E o sorriso. E em tempos que a solidão nunca é só nossa, que em cada canto tem um ser humano te perguntando se ta tudo bem, como você ta e tudo isso que a gente nunca quer responder quando não ta bem. Repito mentalmente antes de enfiar o pé na jaca: chora pra dentro e sorria pra fora. É meio um ficar um pouquinho triste escondido dos outros e do espelho. Só teu. Curte esse sentimento. Só teu. E o sorriso. Pra ninguém perceber. Engole o nó. Não desce. Desfaz. E chora pra dentro. Nada de demonstrar. Tudo bem, eu não ligo, eu fico, eu não me importo. A gente tem sempre que pensar nos outros primeiro mesmo. Não é isso que ensinam? Fazer sem esperar nada em troca? Engole o choro, infeliz. Engole. Deixa para quando não agüentar mais e resolver explodir e dizer para todo mundo que é só tpm. Deixa para depois. Pra dentro. Sorriso. Isso. E ninguém nota. Ninguém sequer olha nos olhos. Ninguém enxerga lá no fundo. Todo mundo ocupado demais curtindo aquilo de que você abriu mão e ninguém nem notou. Não vai porque não tem lugar. Você fica não é? Tudo bem, eu fico, não ligo, não me importo. E o sorriso. Tem gente que machuca sem saber.

Comentários

  1. Repito mentalmente antes de enfiar o pé na jaca: chora pra dentro e sorria pra fora. É meio um ficar um pouquinho triste escondido dos outros e do espelho. Só teu. Curte esse sentimento. Só teu. E o sorriso. Pra ninguém perceber. Engole o nó. Não desce. Desfaz. E chora pra dentro. Nada de demonstrar.

    Errado, assim. Entenda que a lágrima só escorre para ser flor em semente de sorriso. É bom explodir e se permitir doer, para depois poder sorrir inteiramente em paz.
    Senti uma angústia que lateja e inquieta, entre as tuas linhas. Te desejo cores. E um sol inteirinho sorrindo doce para você.

    Beijo grande, minha Rosa.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …