Pular para o conteúdo principal

"Agora eu vou curtir a vida"

"Obrigada pelo seu tempo e já me vou antes que eu perca mais um segundo do meu". 

Agradeço a preocupação, o medo de que eu quebre a cara, o pé atrás. Agradeço essa falta do que fazer e essa necessidade imensa que tem de cuidar da minha vida. Agradeço porque não atendeu o telefone na última semana quando minha crise existencial chegou ao ápice. Agradeço que você não soube e não sabe nada do que se passou em minha cabeça e vá lá o coração. Agradeço que tudo o que senti, senti sozinha. E para não ser injusta, com meia dúzia de amigos de verdade que nunca me fizeram promessa alguma, mas que sempre estão aqui mesmo sem prometer. Agradeço que você não tentou me animar, mas ao invés disso, tive essa dúzia de pessoas que ganharam espaço na minha vida que me fizeram dar altas gargalhadas. Agradeço principalmente o seu não-esforço, pois foi ele exatamente que me fez perceber que certas pessoas não valem tão a pena. E que outras que eu achei que não valiam, talvez o façam um pouquinho. Agradeço bastante porque você me fez abrir os olhos não só para você, a outra lá e essa nossa situação ridícula; mas principalmente porque me fez abrir os olhos para um modo de ser meu que já estava irritando. Além disso, me fez perceber que era hora de parar de reclamar de você, do resto do mundo e ir viver. Agradeço que agora todos os meus planos serão realizados e você não vai estar aqui para ver. Agradeço, principalmente, os segundos que você vai me dar para ouvir meu nome qualquer dia desses, quando tudo der certo. Mas antes de mais nada, meu bem, eu agradeço pelo seu esquecimento. Pelas promessas não cumpridas. Pelo 'pra sempre' acabado. Eu agradeço por acabar com essa minha ideia ingênua de acreditar piamente nas pessoas. Porque foi assim que eu aprendi a acreditar mais em mim. Agradeço o "eu te amo", por mais que eu não acredite mais nele. Ou melhor, por mais que eu não acredite mais em você.


Comentários

  1. Ola, gostei muito dos teus postes. Tenho um blog, o Portal Blog, onde posto blogs e postagens interessantes. Está novo ainda, mas irá dar certo. Te peço permissão para postar matérias suas, com o devido blog, é claro. Se concorda, me dê um sim aqui mesmo. E algumas postagens suas estarão lá tbm. Abraço.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …