Pular para o conteúdo principal

Get over it.

Perceber que você cresceu deve ser uma das coisas mais difíceis da vida. Se dar conta de que você não acredita mais em fadas ou duendes ou até no papai noel. Se dar conta de que suas barbies ou foram doadas ou estão guardadas em caixas que você nunca abre. Se dar conta que seus diários e suas agendas foram aposentadas e você até se esquece que um dia eles existiram mesmo. Acho que o que dói mais, muito mais do que abandonar as brincadeiras e entrar de cabeça no mundo dos saltos altos e das maquiagens, é que fica muito mais fácil se machucar de verdade, que nem gente grande. Se machucar de ter que chorar um dia inteiro e ainda assim não ser suficiente. Ter que gritar horrores e não poder pedir pra mãe pra ela passar remédio e fazer parar de doer. Quando a gente cresce, o band-aid deixa de fazer efeito e as dores continuam a doer até cicatrizar. Acho que o que dói em crescer é se dar conta de que os amigos da infância nem sempre são os amigos da adolescência e muito menos os amigos da velhice. Se dar conta de que quando uma pessoa diz "eu vou estar sempre aqui" ela não quer dizer exatamente isso. Que quando alguém diz "eu te amo", pode ser só mais um "bom dia". Que se um garoto fizer você se apaixonar loucamente por ele, não quer dizer necessariamente que ele está loucamente apaixonado por você. E que não importa o quão intenso for, ou qual seja o tamanho da ferida, passa. Mas talvez seja isso o que mais dói: saber que as coisas passam, quando você já se cansou de coisas passageiras e precisa desesperamente de sentimentos e promessas permanentes, de árvores com raízes fincadas ao chão, de "eu vou estar aqui" e que estejam. No fundo crescer é apenas "se dar conta". De que contos de fadas não existem e que quase sempre você vai escolher o cara errado ao invés do príncipe encantado. De que às vezes você vai amar muito algumas pessoas, de um jeito que você nem imaginava quando era criança, e essas pessoas vão te machucar muito, de um jeito que você também não imaginou. Porque apesar do quanto alguém possa significar para você, isso não quer dizer necessariamente que você significa alguma coisa para essa pessoa. E você tem que superar isso. Tudo isso.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …