Pular para o conteúdo principal

003

(...)você me entendeu e suas palavras foram muito úteis, sério mesmo. É bom ter alguém assim, que consegue olhar as coisas de fora e mesmo assim te "entender".

Bom, e pra você saber, estou melhor. A fase "tudo está uma grande merda e eu quero fugir" MEIO que passou. Eu ainda acho algumas coisas, ainda estou meio desiludida com pessoas, lugares e situações. Não. Desiludida não é a palavra. Para estar desiludida eu teria que estar antes iludida e faz um tempo que não me iludo esperando coisas extraordinárias e amizades surrealmente perfeitas. A palavra certa seria: desencantada. Mas bom, deixa isso para lá, única coisa que eu queria falar é que passou a fase "quero fugir".
Realmente, como você disse, temos que encarar as coisas de frente. Por incrível que pareça, eu tomei essa decisão depois de ver que a Cibele Dorsa tinha se suicidado (...). Sei lá, eu não julgo a dor de ninguém e acredito mesmo que dor, solidão e desespero podem levar uma pessoa a querer tirar a própria vida (...). Anyway, acabou que eu fui "conversar" sobre suicídio com uns amigos e lá estava eu falando que era uma covardia e era fuga e bla bla bla. E aí parei e analisei: poxa, eu não to aqui querendo (...) largar tudo exatamente para fugir de tudo que vem me incomodando e me deixando desmotivada pelo simples fato de que não quero encarar as coisas de frente e tentar mudá-las? Isso é bem pior do que ir lá e se matar, porque vá lá, se matar exige coragem e fugir em vida é sinal de total falta de coragem. Então, ok, vou continuar encarando. Não vou desistir. Vou continuar, apesar de. Afinal, como diria Caio F, tem coisa mais autodestrutiva do que insistir sem fé nenhuma?


*E-mail que enviei à linda da Laís Sacramento, há alguns meses. Cortei umas partes porque a exposição já era grande demais. Nem sei porque decidi postar isso, talvez porque ler depois de um tempo me faz repensar as coisas. Então fica salvo aqui. E só.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …