Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2011

007

Uma hora ele aparece. Tá bom, mas me diz quando, onde, em que situação. Me diz até que ponto eu posso aproveitar a solteirice e quando é que eu tenho que começar a me preparar. Me diz aí: eu ainda vou estar esperando ou vou estar tão feliz da vida curtindo tudo que vou deixar passar sem saber que era meu? Eu entendo, mesmo, que ficar esperando não vai mudar em nada e só vai me deixar mais angustiada. Mas não esperar também não anda me ajudando e eu nem sei mais como é fazer isso. Eu sei que eu não deveria roer unha, enrolar o cabelo com o dedo, olhar para o teto nem segurar o celular como se alguém que nem existe fosse ligar para ele por engano e pronto. Mas me diz aí como é que a gente vive normalmente esperando o inesperado o tempo todo? Sou curiosa. Não saber me dá nos nervos. Fico sem dormir, como tudo o que vejo pela frente. Meu Deus, como eu sou idiota. Eu sei, eu sei. Uma hora ele aparece. Quando eu menos esperar. Mas custa dizer se vai ser pelo menos um pouquinho parecido com …

006

Há dois anos, no dia dos namorados, eu disse que te esperaria. Muita coisa aconteceu de lá para cá. Muita coisa mudou aqui dentro. Muito sentimento deixou de ser sentimento e passou a ser só sensação barata. De lá para cá, muita gente anda dizendo por aí que eu mudei. Que eu não sou a mais a mesma. Que eu estou diferente. Eu sei. Acho só que eu aguardo alguém que pare de dizer que eu mudei e finalmente tenha a capacidade de perguntar o porquê. Cansei de ser a menininha que todos esperavam que eu fosse. Cansei de esperar tudo de alguém que nunca me deu nada. É exaustivo esperar, o tempo todo, qualquer coisa, de qualquer um. 

Se você soubesse tudo o que aconteceu nos dias que antecederam esse dia. Se você soubesse tudo o que passou pela minha cabeça. Se você soubesse tudo o que eu aprontei. Você realmente diria que eu passei por uma grande mudança. Então antes que você se acostume com essa mudança, te digo aqui que hoje eu mudei de novo. Me livrei de muita coisa que me prendia, especial…

005

Já ia fazer um ano e eu decidi que era hora de parar de ser orgulhosa. Juntei toda a minha força de vontade e comecei a jogar três ou quatro frases feitas na minha cabeça durante todo esse tempo. Aí a força de vontade passou, deu aquela preguiça de insistir em tudo de novo. Apaguei as frases, fechei a página. Deixei pra lá. Se você soubesse quantas vezes eu deixei pra lá. Guardei uma porção de coisas pra mim, não desabafei nem para as paredes. E não fui atrás. Chega né? Tem uma hora que cansa. Se eu fosse enviar cada e-mail que eu comecei a escrever para você, provavelmente você me acharia uma louca psicótica que persegue gente que já deixou bem claro que não me quer mais na vida. Mas aqui está a verdade: sou uma tremenda de uma idiota que precisa colocar nas palavras um pouquinho de sentimento para ver se a pessoa do outro lado entende, sente, atende. Cada linha, cada e-mail não enviado: era só um pedido surdo de “me ajuda, ta difícil sem você”.  Aí vão me falar: poxa, Ká, você é org…