Pular para o conteúdo principal

012

Hoje minha mãe me disse que queria me ver no Big Brother só pra ver se me conhecia mesmo. Depois disse que talvez nem eu mesma me conheça. Taí um fato que concordo plenamente: ultimamente tenho cada vez mais certeza que não sei de fato quem sou. Não sei se é a crise dos 20 (existe isso?), não sei se é esse meu jeito exagerado, dramalhão, e mais velho do que sou de ser. Mas não me conheço. Não tenho idéia de quem eu sou. Pior: já nem sei mais quem eu quero ser. Fico pasma hoje quando digo que gosto de cara tatuado e me olham com um espanto do tamanho do mundo e berram: mas você nunca gostou de tatuagem. Acho que meu coração para de bater por uns segundos. Percebo que a imagem que eu passo não tem nada a ver com aquilo que acho que eu sou. Talvez eu tenha me maquiado demais. Talvez eu tenha me adaptado às situações. Talvez eu tenha ficado muito quieta. Talvez eu tenha me escondido demais atrás das pessoas. Mas acho que esqueceram de me ver. Ou eu esqueci de me mostrar. É bobagem, Ká. Se esconder nesses seus textos que você sempre pode se justificar: ah, mas é só texto, é ficção. Nem é de verdade. É. Tô dizendo agora: é. Pode não ser explicado, mas é. Eu perdi o tesão. Pela vida, pela rotina, pelos meus sonhos. Juro. Tô sem vontade nada. Tô com vontade de gritar por aí que "tá bom, me deixa". Me deixa viver: só isso. Perdi a vontade. Perdi a coragem. Perdi a direção. Quem sabe pra onde essa vida vai me levar. Mas deixa: "deixa a vida me levar, vida leva eu". Só sei que eu preciso descobrir nesse meio tempo quem raios eu sou. O que eu quero. O que eu espero.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …