Pular para o conteúdo principal

As surpresas que você encontra no caminho.

Uma palavra amiga vinda do nada, quando você já está de saco cheio de todas as outras pessoas ou de todas as outras coisas do mundo. Você se espanta, engasga, acha até estranho que alguém que nem deveria se importar se importe. O mundo é uma merda, as pessoas são uma merda. E aí alguém vai lá e te surpreende. Alguém que você nem esperava. Alguém que você nem conhece. Aprendemos com o tempo a levar porrada, a levantar das quedas, a sorrir apesar de. Acostumamos com o mais difícil (até se espantariam com o que nós somos obrigadas a nos acostumar). E desaprendemos a ter importância para os outros. 


Desacostumamos a nos sentir especiais para qualquer pessoa que não seja de nossa família, não esteja sempre por perto, não seja daquela lista de pessoas das quais dependemos. É difícil entender que algumas pessoas se importam pelo simples fato de se importar. Pelo simples fato de querer bem, de ainda ficar feliz em saber que o próximo está feliz. A gente não devia. Achar estranho que essas pessoas apareçam em nossas vidas do nada. A gente deveria se sentir feliz e privilegiada de esbarrar - seja de que modo for - nessas pessoas. Deveria ser comum. Acho até que deveríamos esperar por isso. 

Cansa esperar a todo o momento sempre o pior das pessoas. Ainda há gente boa e sincera no mundo. Ainda dá pra acreditar que você vai acordar e vai ser surpreendida com uma palavra bonita e legal e verdadeira. Em algum lugar escondido por aí, longe de toda essa superficialidade que rodeia, quietos e sem fazer alarde: ainda há um mar de pessoas que são de verdade, que dão a mão, que acreditam. Ainda há gente que vale à pena nesse mundo, afinal. Ainda dá pra esperar o melhor das pessoas. Dá pelo menos para acreditar que as pessoas tenham mesmo uma melhor parte. 

É bom e reconfortante saber que algumas pessoas têm a capacidade de entender tudo pelo que você está passando apenas lendo o que você escreve. É bom e reconfortante saber que em algum lugar do mundo - seja aqui na cidade vizinha ou no Japão - ainda existe gente que também acha que o mundo é tudo aquilo que você pensa. E gente que gosta de você por gostar. De graça. 



Para uma das pessoas mais fofas que eu já tive o prazer de "conhecer". Feliz aniversário, Pá! 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …