Pular para o conteúdo principal

018

Já conheci muita gente
Gostei de alguns garotos
Mas depois de você os outros são os outros
Ninguém pode acreditar na gente separado
Eu tenho mil amigos, mas você foi o meu melhor namorado
Procuro evitar comparações entre flores e declarações
Eu tento te esquecer
A minha vida continua, mas é certo que eu seria sempre sua
Quem pode me entender?

Ela vivia ouvindo aquela música que dizia que depois dele os outros são os outros e só. Quem é que acreditava naquele fim de relacionamento? Eles sempre voltavam no final. Saíam por aí dizendo que não, não era nada, não foi nada. Mas depois os amigos encontravam os dois juntos, fingindo que era mentira o que todo mundo falava: que eles tinham nascido um para o outro.
Ninguém acreditava nos dois separados. Nem ela acreditava nos dois separados. Ele então. Os dois sempre tentavam lembrar por quais motivos não estavam mais juntos. E sentiam uma saudade absurda, uma vontade de ver, vontade de ligar, vontade de procurar. Mas a vida tinha passado, o tempo tinha passado, a vontade tinha passado. Deve ser difícil não estar junto quando todo mundo diz no seu ouvido que ele era o cara certo, que vocês combinavam horrores, que ela te amava tanto, que os olhares de vocês brilhavam quando estavam juntos. Deve ser horrível não ter o que responder quando perguntam o porquê. Às vezes só não é.
Ela tinha vontade de gritar quando perguntavam sobre ele. Ele fingia que nem a conhecia mais. Eles sabiam que sentiam falta um do outro. Mas ninguém tinha o direito de achar que podia mandar na vida deles. Eles não estavam juntos. Fim, ponto. Doía nela como dói em todo mundo um fim de relacionamento qualquer. Ele, como quase todo mundo, tentou achar ela em outras pessoas. E eles tavam bem, tavam felizes, tavam vivendo cada um em seu cantinho. Dane-se se doía, se fazia falta, se lembravam com nostalgia. Não dá para chorar um fim de namoro para sempre.
É triste ver um amor aos pedaços. Dá a impressão de que nunca foi inteiro. E o amor dos dois já não era inteiro há tanto tempo. Talvez por isso todas as outras pessoas que foram sendo acrescentas para preencher o vazio que ela deixou nele e ele deixou nela. Era torto. Era imperfeito. Era cheio de falhas. Era mal-acabado. Era confuso do começo ao fim. Mas ainda tinha essa certeza absurda quando fechavam os olhos: coração que nasceu para ficar junto, fica junto no final.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …