Pular para o conteúdo principal

Era pouco... - Parte 2



Para ler a parte 1 clique aqui

Eu te vi. Eu te vi e doeu uma parte de mim.
Quis correr pros seus braços e dizer que nunca deveria ter ido.
Mas doeu mais quando eu vi que você não estava sozinho. 


Nem tinha o que falar. Eu tinha feito minha escolha.

 Eu sabia, você sabia, todo mundo sabia. Que aquele dia uma dia ia chegar. O dia chegou.

Esperei, em silêncio, ouvir sua voz atrás de mim pedindo para ficar. Pedindo pra insistir, pra te amar, pra tentar mais um pouco. Me assustei com o silêncio dos pedidos que nunca foram feitos. Do último abraço que nunca foi dado. Do sorriso que me foi negado. De um até logo que teve cara de adeus. Foi adeus. Foi porque eu quis, porque você quis, porque a vida quis. Porque nossos sonhos não se cruzavam. Porque eu não podia desistir de mim por você. Porque eu achava que não podia desistir de mim por você. Depois, com o tempo, com a falta, com a saudade, com a ligação que você nunca fez, com o pedido de desculpa que nunca tive coragem de dizer, eu descobri. Descobri que eu podia. 

Nem tinha o que falar.

Enquanto eu arrumava as malas, você me olhava com uma dor que não encarei por falta de coragem. Sabia que te decepcionava, sabia que te machucava, sabia que eu matava o que sentia por mim. Mas insisti. Fingi não ver que também me doía. Fingi que nunca tinha sido feliz. Fingi que não gostava da espera, nem de te ter sempre ao meu lado. Fingi porque eu precisava, porque eu tinha que encarar a vida que tinha deixado pra lá. Por você. 

Eu era feliz, não pense que não. Eu te amava, não pense que não. Eu amei o tempo que passamos juntos, não pense que não. Nosso casamento, o filho que nunca nasceu e foi amado, o nosso namoro, o nosso amor, a nossa história. É tudo uma lembrança boa sem futuro da melhor parte da minha vida. A gente não tinha futuro, mas foi a melhor parte da minha vida, juro. 

Eu tentei, mesmo, o quanto deu. 

Mas eu queria mais, eu vivia mais, eu sentia mais, eu buscava mais, eu esperava mais. Eu esperava mais. E por isso eu fui, sem pensar, sem saber, sem medir as consequências, sem olhar pra você. Mas com a ingênua esperança de que você não fosse deixar, de que fosse me dar sermão, de que fosse me puxar a mão, de que fosse mostrar que eu estava errada. Eu estava errada, como sempre. E você podia ter mostrado. Mas não mostrou.

Não mostrou porque era pouco. A vontade, a paciência, a compreensão. Não mostrou porque eu fui pouco. Todas aquelas promessas, todo o juramento, aquela história de que iria estar sempre ao seu lado, em todos os momentos. Eu era pouco. E você sabia. 

E o seu sonho de me ter pra si era pouco também.

Era pouco porque você não pediu, era pouco porque logo estava com outra, era pouco porque agora eu te via com ela. 

Ela é linda. 

Os olhos dela brilham pra você. 

Aposto que ela nem sonha em ir. Que ela nem sonha em partir. Que ela faria de tudo pra ficar. Aposto que ela não te magoa, que ela não sonha além do que pode, que ela abandona as certezas de antes para estar ao seu lado. Aposto que o amor dela por você é maior. Aposto que ela não quer nada a mais. Outra vida a mais, outro sonho a mais, outro amor a mais. 

Aposto que ela ficaria. Mesmo sem você pedir, mesmo sem você mostrar, mesmo sem você amar. 

Não é pouco, você sabe. Eu sei também. O que vocês sentem não é pouco, e por isso nem vou ousar usar meu amor como argumento.

Que eu voltei por você? De que adiantaria dizer?
Que eu errei com você? De que adiantaria dizer?
Que eu me arrependi? De que adiantaria dizer?

Não é pouco. 

E por não ser pouco é que eu te deixo ir, dessa vez. E por não ser pouco é que sou eu que estou te vendo partir, dessa vez. E é por não ser pouco, que eu esqueço o abraço de despedida que nunca te dei. 

Enquanto você vai, eu fico. Enquanto parte, eu rezo.

Que seu amor não seja nada além de muito. Que ela te abrace de volta, mais do que abraçaria o mundo. 

E que te ame. Mais, muito, mais, muito. E que nunca, nem por um segundo seja...pouco

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …