Pular para o conteúdo principal

Estranho seria se eu não sentisse sua falta



Me espera aí do seu lado. Talvez eu demore horrores, talvez não, mas me espera. Prometo que se der, levo um presentinho pra compensar a falta que fiz. Saiba, também, que a falta que você faz é desesperadora. Tento não demonstrar e evito falar sobre, que é pra não parecer uma dessas pessoas repetitivas que parecem nunca trocar o disco, sabe? Eu troquei o disco, juro pra você. Te prometi que seguiria em frente, e foi o que eu fiz. Mas, de um jeito ou outro, sua falta é um presente desses que não consegui recusar. Não recusei.

Lembro de muita coisa que envolveu você. Aliás, lembro de uma vida inteira que poderia ter acontecido ao seu lado e não aconteceu. Antes que achem que você é um desses amores passados, explico: a amizade mais linda que eu tive e nem chegou a ocorrer de verdade. E só. Que é pra não ficar me justificando pra gente que nem se importa realmente. 

Amo você. Juro mesmo. De um jeito especial, sabe? Você sabe. Sabe também, aí do seu lado, que você é especial para mim, talvez mais do que todas essas outras pessoas. Mesmo que agora não tenha conversa, convívio, relacionamento. Melhor: mesmo que nunca tenha ocorrido nada disso. Mesmo que não tenha dado tempo de ter você sempre por perto. Ok, desculpa, eu sei. Você sempre está por perto. 

Você é parte de mim, não tem como evitar. Sei que me protege, do jeito que der. Sei que era pra ter acontecido o que aconteceu,  mas ainda me dói. Sei que não vai voltar, mas espero. Sei que não posso dizer e ouvir tudo o que queria, mas falo. E fico quieta que é pra ver se escuto seus conselhos. 

Me espera aí do seu lado. Mesmo. Que é pra compensar a falta. Que é pra compensar a saudade. Que é pra compensar esses 18 anos que eu esperei por você aqui do meu. 

A gente se encontra. Uma hora ou outra. E se dá aquele abraço que ficou faltando. E quando eu estiver perto aí do seu lado, vou te esperar dizer: "O que aconteceu, Kari?".

Só pra te responder: "Tô indo te visitar. Pra sempre."


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Cansei de brincar de ser trouxa

Eu cansei das mensagens visualizadas e não respondidas. De ter que estar pronta pra quando você quisesse, mas nunca poder contar com sua presença quando eu queria. Eu cansei de ser sempre tudo do seu jeito, de mendigar sua atenção, de tentar me encaixar entre um horário e outro da sua agenda, de me esforçar pra caber nuns buraquinhos esquecidos da sua vida. 
Cansei das idas e vindas, cansei da falta de atitude, cansei das vezes em que você disse que eu era tudo o que você queria, só não era agora, só não era a hora. Eu cansei de escrever sobre você, de dizer que ia te esquecer, de voltar atrás, de tentar mais um pouco, de insistir mais um tanto. Eu cansei naquela noite em que você não voltou. Naquele silêncio em que a gente não dividiu. Na madrugada inteira que você não me aqueceu e eu morri de frio. 
Eu cansei depois daquele seu olhar vazio quando eu apareci de surpresa. Eu cansei de achar que era você, e era eu, você só não sabia. Porque, quando é, a gente sabe desde o começo. Eu cans…