Pular para o conteúdo principal

Lo que estoy viendo...- Parte 2



Por que lloras? Si ayer te estabas riendo...Atte. Karma. [Parte 1 aqui]
ou: Toma essa idiota, o Karma não perdoa! Um brinde! 
(porque sou uma prova disso) 

Nossa. Quem imaginaria a gente um dia assim. 

Aqui está o que eu vejo: a gente chegou em um ponto que não tem retorno.

Você lembra como a gente costumava se entender antes? Acho que foi nossa melhor fase, éramos leves, estávamos sempre por perto, não tínhamos nossas próprias cobranças de corresponder sempre ao que o outro esperava. Você não tinha essa necessidade tão grande que teve no final de que eu me transformasse no príncipe encantado. Naquela época ainda esperava menos de você, algo como o que se pode esperar de uma pessoa normal, não de uma idealização de mulher. 

Esperei muito de você. 

Esperei que você fosse mais madura, que entendesse mais meus sonhos, que soubesse o momento de parar com seus dramas infantis. Esperei que você desistisse um pouco desse seu jeito histérico por mim. Por mim. E pelo nosso amor. Ou aquilo que a gente dizia ser amor. Que você dizia ser amor.

E eu dizia também. 

Mas também não mudei meu jeito por você. Não deixei de lado minhas convicções, não desisti dos meus objetivos, não lhe dei o tempo necessário para que você acompanhasse minhas expectativas. Fui correndo pelo caminho que eu havia traçado para mim enquanto te puxava como uma mala sem rodinhas, que parecia sempre me atrasar. Até que uma hora você parou e não quis mais. Não quis mais ser arrastada por um caminho que não era o seu sem ter tempo de nem sequer questionar para onde estávamos indo.

Estávamos indo para o fim.

Eu podia ter te deixado respirar. Eu podia ter conversado, eu podia ter entendido, eu podia ter esperado. Eu podia ter diminuído o passo por você. Eu podia ter perguntado o que você queria também. Eu podia ter aguentado seus gritos, seus choros, seus pedidos para que eu entendesse seu lado. Mas eu não quis. 

Eu não quis porque bastava. 

Eu desisti da gente tão facilmente que muita gente nem acreditou. Você não acreditou. Você achou que eu voltaria, você achou que eu ligaria, você achou que eu iria me arrepender. E aí eu apareci com outra pessoa. 

Você nem acreditou que eu tinha outra pessoa. 

Agora eu tenho outra pessoa. E eu deveria estar feliz, radiante. E eu deveria deixar esse nosso capítulo para lá. 

Mas eu estou quieto no meu canto e me falam sobre sua risada. E me falam sobre os sonhos que você está alcançando. Sobre como você mudou. Sobre como você se transformou em uma mulher que agora todos desejam e deixou de ser aquela menininha que era quando estava comigo. Falam como se eu tivesse ficado com uma garota e perdido a chance de ficar com uma mulher. Falam como se eu tivesse perdido a chance de ficar com a melhor mulher.

Eu perdi a chance. 

Eu deveria estar feliz, mas me falta sua risada. Mas sinto falta do abraço orgulhoso no final da noite. Dos olhos azuis com o brilho de felicidade mais lindo que eu já havia visto. 

Os olhos azuis que eu costumava ver. E não estou vendo mais. 

Outro dia vieram me falar como você está feliz. E desculpa, sua felicidade me doeu. 

Me deu vontade de te ligar, de dizer que sentia saudade, de te contar do meu sucesso, de dizer que queria te encontrar, de falar que te queria sempre por perto. Mas imaginei o que você responderia. 

"Bem feito", você diria. Não diria? Bem feito que agora eu sinta falta, que agora me doa também. Bem feito que ainda sangre, que ainda arda, que ainda machuque. E eu sei, a escolha foi minha. E o buraco que ficou foi uma escolha também. 

O que eu estou vendo: A mulher da minha vida indo embora, para bem longe de mim. Porque eu fui fraco, porque não insisti, porque tive medo, porque quis alguém leve, de risada calma e choro também. A mulher da minha vida indo embora porque eu escolhi. 

E a escolha não foi ela. Ela pra sempre

Comentários

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Cansei de brincar de ser trouxa

Eu cansei das mensagens visualizadas e não respondidas. De ter que estar pronta pra quando você quisesse, mas nunca poder contar com sua presença quando eu queria. Eu cansei de ser sempre tudo do seu jeito, de mendigar sua atenção, de tentar me encaixar entre um horário e outro da sua agenda, de me esforçar pra caber nuns buraquinhos esquecidos da sua vida. 
Cansei das idas e vindas, cansei da falta de atitude, cansei das vezes em que você disse que eu era tudo o que você queria, só não era agora, só não era a hora. Eu cansei de escrever sobre você, de dizer que ia te esquecer, de voltar atrás, de tentar mais um pouco, de insistir mais um tanto. Eu cansei naquela noite em que você não voltou. Naquele silêncio em que a gente não dividiu. Na madrugada inteira que você não me aqueceu e eu morri de frio. 
Eu cansei depois daquele seu olhar vazio quando eu apareci de surpresa. Eu cansei de achar que era você, e era eu, você só não sabia. Porque, quando é, a gente sabe desde o começo. Eu cans…