Pular para o conteúdo principal

Meu coração entrou em coma

A notícia de sua saúde me deixou culpada. Quis, de repente, voltar atrás e fazer tudo diferente. Não acreditar em quem acreditei, não amar quem amei, não chorar por quem chorei. Quis voltar e me preocupar com seu estado, como deveria ter feito, antes de me jogar de cabeça nas mentiras das pessoas. De confiar em quem fingia se importar. Fiz as coisas e não liguei para o que você ia sentir, se ia te machucar, se ia te quebrar. Te quebrei, te machuquei, te desiludi tantas vezes que sua saúde foi pouco a pouco falhando e eu nem aí. Eu nem aí que você não aguentava mais, eu nem aí que você não tinha mais condições, eu nem aí que você precisava de um tempo para se juntar de novo. 
Eu nem aí. Fui me jogando e me jogando e me jogando, acreditando, amando gente que não me amava, confiando em quem não devia confiar, quebrando a cara, as certezas e você, meu coração. Te quebrei, coração, tantas vezes que tenho até vergonha. E agora fico aqui, preocupada de que você nunca saia desse estado. Que nunca mais consiga ficar forte e novinho em folha para encarar a vida ao meu lado. Que nunca mais volte e me faça sentir qualquer uma daquelas coisas que você fazia, o nervoso de encontrar alguém, o modo como você ficava acelerado quando alguém dizia algo que me tocava, e até como doía desesperadamente quando eu chegava ao fim do poço.
Éramos nós dois, o tempo todo, nas alegrias e nas tristezas. Um casamento que deveria ter dado certo, se eu tivesse sido uma esposa melhor, se tivesse te dado atenção, se não achasse que fizesse o que fizesse você continuaria ao meu lado porque essa era sua obrigação. Não era sua obrigação, e hoje eu sei, aguentar todas as coisas que aguentou, sobreviver a todas as feridas que levou, continuar batendo mesmo depois de tudo o que passou. 
Eu entendo, mesmo, que você aguentou até onde deu. E aí sua saúde acabou de vez, você jogou a toalha e disse "pra mim chega, fiz esforço demais por essa aí que não tem o mínimo de cuidado comigo". Não tive o mínimo de cuidado contigo e é por isso que você está aí agora, parado, nessa cama, sem sinal de que vai voltar. 
Nem sei se me escuta, mas se escutar: desculpa. E se não desculpar, entendo. Entendo mesmo, porque talvez se fosse o contrário eu faria o mesmo. Afinal, eu tinha que ter pensado em você. Cada vez que decidi ser idiota, eu deveria ter pensado antes em você. Como você lidaria com aquela situação e com o sofrimento que com certeza viria depois. 
Além disso, desculpa por abrir mão do único cara que você aprovou de verdade, que não te magoou, que não te quebrou, que quis cuidar de você. Nem dei atenção direito a ele, porque, você sabe, eu gosto de sofrer. E você ficou muito bravo comigo, pois achou que finalmente ia ter uma folga, mas não teve.  
Quando estou sozinha – e ninguém vai me censurar –  me pergunto se você pensa como eu. Essas coisas: o que teria acontecido se eu tivesse dado uma chance, se tivesse amado, se não tivesse preferido os caras idiotas. Onde estaríamos, como estaríamos, se estaríamos felizes. Depois lembro, com pesar, a sua situação e que o tempo não vai voltar atrás. Você não se pergunta, exatamente por estar aí agora: longe de mim e sem respostas.
 

Comentários

  1. Adorei!!!
    Sem palavras para esse texto incrível. E como pode servir de lição para não somente ao amor entre duas pessoa, como para o amor próprio.
    Muito legal. Aliás todos os outros textos tbem!
    Bjos :)

    ResponderExcluir
  2. Adorei!!!
    Sem palavras para esse texto incrível. E como pode servir de lição para não somente ao amor entre duas pessoa, como para o amor próprio.
    Muito legal. Aliás todos os outros textos tbem!
    Bjos :)

    ResponderExcluir
  3. Adorei!!!
    Sem palavras para esse texto incrível. E como pode servir de lição para não somente ao amor entre duas pessoa, como para o amor próprio.
    Muito legal. Aliás todos os outros textos tbem!
    Bjos :)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …