Pular para o conteúdo principal

Crescer é assim...

Crescer é assim: você luta para não fechar o olho para poder brincar um pouco mais. Mas o sono te vence e você acaba dormindo. E no meio tempo entre o sono pesado e o novo acordar, a vida te vence também e você cresce um pouquinho. Um dia, você cresce uns centímetros. No outro cresce o cabelo. Até que um dia o que cresce é seu modo de pensar.

Aí chega aquele fatídico dia que você doa todos os seus brinquedos para novas crianças e assina de vez o contrato de virar gente grande. Acontece aos poucos, você não percebe de cara. Vai passando pelas fases da vida como se fosse normal - e é. Um dia, você chora porque o brinquedo quebrou, no outro chora porque o coração quebrou por terem o feito de brinquedo. E depois você limpa a lágrima e continua vivendo. 

Passa rápido, mas você acha que dura uma eternidade. E por isso começa a sonhar com os 18 anos, porque quando a gente é novo o futuro é sempre melhor do que o presente.

"Quando eu crescer, eu quero ser bombeiro". 

"Quando eu crescer, eu quero ser...". 

"Quando eu crescer, eu quero...". 

"Quando eu crescer, eu...". 

"Quando eu crescer...". 

"Quando eu...". 

"Quando...". 

Aí a gente cresce. 

As brincadeiras mudam, mas o sono continua te vencendo no final do dia, quando você está cansado demais para fazer todas aquelas coisas que queria. Você até quer lutar para ter tempo de procurar o amigo, de ligar para aquela pessoa, de dizer aquelas coisas. Mas a rotina te vence e você termina a rodada, de novo, derrotado pelos olhos, que se fecham. E quando você dá a reviravolta e acorda de novo, você já cresceu mais um pouquinho.   

E enquanto tudo isso acontece, as brincadeiras mudam: a gente troca os brinquedos pelas contas, preocupações e dores de cabeça. E vai inventando novas brincadeiras divertidas, para esquecer essas que não são tão engraçadas. Aí brinca de dançar, brinca de fazer novos amigos, de confiar, de viver como se não houvesse amanhã, de ter uma ressaca e desejar que ontem não tivesse existido. E brinca até com coisa séria: brinca de amar. 

E vamos abandonando as brincadeiras no meio do caminho, porque como toda criança, enquanto crescemos, enjoamos das antigas manias. Aí vamos deixando para trás, porque agora somos, finalmente, gente grande.

Pronto. Crescer é assim: a gente insiste muito, deseja muito, sonha muito, quer muito. Os 18, os 21, os 25. Aí depois não é mais tão divertido ver os números aumentando. A responsabilidade pesa. E então, finalmente, para de ser sobre "O que você quer ser quando crescer?" e começa a ser mais sobre "Como era antes de ter crescido?". 

Como  era antes de ter crescido?

Crescer é assim: um montão de batalhas perdidas no fim da noite, quando os olhos vencem e a gente dorme. E cresce um pouquinho, até conseguir ganhar e acordar de novo. E entre uma noite e outra, a gente aprende a se desprender do futuro e levar as brincadeiras um pouco menos a sério para não enlouquecer. E aprende a sentir saudade de quando era criança ou adolescente, mas aprende também que o único jeito de viver a vida é aproveitar esse meio tempo que a gente tem entre o momento que levantamos de novo e o momento que os olhos voltam a vencer. 

E é aí que a gente, finalmente, vence a vida. 

Esperando que ainda não seja tarde demais.




Comentários

  1. belas palavras :)
    Vi seu blog nos comentários do depoisdosquinze e gostei muito daqui. Posso te esperar no meu cantinho?
    Tô te seguindo :)
    Te vejo lá!
    Bjss
    http://laialisafa.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Nossa me identifiquei um tantão com o teu texto "crescer é assim" muito mesmo. Sabe vez outras, tais questões levantadas no texto me intrigam, milhões de questionamentos, aí a velha história vem a tona "queria tanto ser criança de novo". Gostei muito do seu blog,ler ser texto me instigou a bisbilhotar um pouco mais rsrsrs
    beijos :*

    Há se puder, dá uma passada no meu http://leilageo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Cansei de brincar de ser trouxa

Eu cansei das mensagens visualizadas e não respondidas. De ter que estar pronta pra quando você quisesse, mas nunca poder contar com sua presença quando eu queria. Eu cansei de ser sempre tudo do seu jeito, de mendigar sua atenção, de tentar me encaixar entre um horário e outro da sua agenda, de me esforçar pra caber nuns buraquinhos esquecidos da sua vida. 
Cansei das idas e vindas, cansei da falta de atitude, cansei das vezes em que você disse que eu era tudo o que você queria, só não era agora, só não era a hora. Eu cansei de escrever sobre você, de dizer que ia te esquecer, de voltar atrás, de tentar mais um pouco, de insistir mais um tanto. Eu cansei naquela noite em que você não voltou. Naquele silêncio em que a gente não dividiu. Na madrugada inteira que você não me aqueceu e eu morri de frio. 
Eu cansei depois daquele seu olhar vazio quando eu apareci de surpresa. Eu cansei de achar que era você, e era eu, você só não sabia. Porque, quando é, a gente sabe desde o começo. Eu cans…