29 de junho de 2012

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 

Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 

Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos prender assim na obrigação de uma amizade é pior do que nos guardar em uma história bonita para contar para os filhos.

É quase como aquela história de fim de namoro: melhor acabar aqui, enquanto a gente ainda consegue olhar uma para a outra e lembrar só dos momentos bons, do que ficar se perdendo em um desgaste que no fim só vai nos afastar mais ainda. Quero lembrar de você com um sorriso no rosto, por isso me afasto e te deixo se afastar. Numa boa, que a gente vire história e recordação. 

Quis muito que o abraço fosse o mesmo, as conversas fossem as mesmas, a amizade fosse a mesma e o carinho fosse o mesmo. Mas não foi. Desculpa, sério mesmo, me perdoa. Me perdi em algum lugar, em alguma esquina que tive que virar enquanto você parou em uma rua qualquer, porque começou a percorrer outro caminho em que não precisava da minha companhia. Enquanto continuei andando, encontrando outras pessoas, entrando em novas casas, você quis percorrer ruas completamente diferentes da minha e, no fim, acabamos muito distantes uma da outra. 

Não sei fazer o caminho de volta, não sei em que esquina entro para fazer o retorno, não marquei o caminho como João e Maria para que você pudesse saber para que lado eu ia. E também não quero voltar e ver que em algum momento a gente não vai virar para o mesmo lado de novo. 

Acho que é isso e tudo bem. É triste e tudo bem. Doeu e tudo bem.

Entendo que agora você sinta falta. Que agora me ache estranha. Que te doa essa minha quase indiferença. Entendo que você acreditou que eu estaria de braços abertos esperando o momento em que você se cansasse de brincar de casinha perfeita e viesse correndo viver todas aquelas coisas que dizia que queria viver. Entendo que você acreditou que eu estaria aqui, como todas as outras vezes, quando você entrasse em sua crise existencial. Entendo que você confiou no meu amor incondicional e bobo, que esteve aqui assim durante tantos anos. Entendo que você achou que podia preencher sua vida com tantas outras coisas e pessoas e me jogar para escanteio pelo simples fato de que eu entenderia. Porque eu sempre entendi.

E continuo entendendo tudo, sem raiva nenhuma, sem grandes decepções, sem te culpar de nada, sem te julgar e crucificar. 

Mas entender não quer dizer que tudo o que você esperava aconteceu. Fiquei estranha porque mudei, entrei em outras casas, conheci outras pessoas. A indiferença veio porque tive que me apoiar em outras pessoas quando caí e levantei. Porque dei braços e abraços que você não reconheceu e nem quis. Fechei os braços que durante tanto tempo ficaram abertos e dei as costas, numa tentativa de achar minhas próprias casinhas perfeitas para brincar, e achei. Não estive ali como das outras vezes quando depois de tanto tempo você resolveu correr ao meu encontro. Nem ouvi sua crise existencial, porque eu sabia que quando acabasse e você ficasse bem, você viraria as costas de novo. E deixei de me doar de modo incondicional e bobo, porque não tive isso em troca. 

E não entendi ser jogada para escanteio porque você resolveu preencher sua vida com tantas outras coisas e tantas outras pessoas. Essa eu não entendi nem nunca entenderia. Mas desculpa.

Não fui perfeita e, por não ser perfeita, não volto atrás. Desisti mesmo, a ponto de te pedir que me deixe seguir meu próprio caminho, sem essa obrigação de ter que olhar para trás e ver se você vai estar lá. Acontece que não quero mais isso, não quero mais olhar para trás, abrir os braços e ver você dando a mão e os abraços para outras pessoas. Não quero entender sempre o seu lado e nunca, nunca, nunca fazer ninguém entender o meu. 

Acontece que me livrar dessa obrigação de amizade acabada me deixou leve. Desculpa, é feio falar isso, não é? Eu sei. Mas deixou.

Que a gente vire recordação agora.

E fim. 


Comentários
25 Comentários

25 comentários:

Anônimo disse...

Perfeito, vivo exatamente a mesma situação!

Anônimo disse...

Nossa tudo que estou sentindo !

Anônimo disse...

Que texto maravilhoso.

Anônimo disse...

Me identifiquei tanto com esse texto que acabei chorando ao ler. Muito lindo, mesmo. Só quem já passou por isso sabe que a dor é inexplicável. É uma pena quando nos entregamos de corpo e alma por alguém que nem se quer lembra da gente quando não precisa de nada em troca. Garçom, desce uma dose de desapego, e fecha a conta, porque eu pretendo seguir em frente.

Vick Godinho disse...

Vem ver <3

http://www.vickgodinho.blogspot.com.br/

Duda Kiame disse...

Perfeito! Acabei de passar por uma situação dessas!
Até chorei, mas agora to me sentindo melhor, obrigada <3

Anônimo disse...

Nossa , que texto perfeito, é exatamente o que aconteceu comigo tbm,
a amizade acabou sem exlicaçoes, fuia traz, mas nada, apenas me virou as costas,
e depois de 2 anos esse amigo volta qerendo que fosse tudo igual.
igual como? nao sinto raiva, mais nao quero perto, nao quero tudo denovo!
nao quero essa amizade desgastada, nao digo ele , mas por mim, eu nao sou a msm, eu cresci, eu mudei, eu serei uma estranhae pra ele, e nao quero me esforçar pra ser aquela que ele conheceu, que passavamso horas batendo papo, comendo brigadeiro, aquela que contava todos os segredos sem sentir vergonha, eu tinha coragem .. de sorrir, aprecer boba,
mas passou, eu nao quero mais,
vc se distanciou por que quiz, eu aidan tentei deixar rastros para vc nao me esquecer, e qdo a ferida cicatrizou e deixou de doer voce voltou. pra que?
só pra atrapalhar, eu nao quero me sentir no dever de te olhar e dizer qe somos os mesmos que a amizade é eterna, pois nao é, a amizade acabou quando olhei pro lado e voce ja nao estava ali pra me acompanhar...
tive certeza que a amizade acabou, quando depois de 2 anos
te olhei, te abraçei e nao lhe reconheci!

Andrea disse...

Obrigada por esse post! É bom ver que não sou a única! Eu vivi a mesma situação com uma menina que era minha amiga há 20 anos. Cada uma seguiu um caminho diferente, e quando vimos, estávamos muito distantes, muito diferentes. Nos ofendemos, brigamos, enfim, não fazia mais sentido aquela "amizade". Eu me sentia horrível quando via que ela tinha outras prioridades, me senti um lixo. Aliás, ainda vivo tudo isso, porque faz apenas 5 meses que tudo terminou, e por incrível que pareça, ainda dói! Hoje em dia, eu tenho tentado apagá-la de tudo na minha vida, porque eu fiquei com uma mágoa imensa e tenho muita vontade de esquecer dessa pessoa... é horrível, espero que eu consiga esquecê-la um dia!

larissa oliveira disse...

Aii como é triste quando se desfaz uma amizade, eu nunca fui o tipo de pessoa que acredita em amizade pra sempre mais com a ela eu acreditei, eu tinha certeza que seria pra sempre, mais de repente ela começa a namorar e tudo muda, e me esquece e essa foi a pior coisa que aconteceu na minha vida, pq eu não sabia que podia doe tanto perde uma amizade, quando eu olho pra ela e tenho vontade de contar td que eu to passando, mais eu sei que ela não vai me escuta, e que talvez seja melhor assim deixar assim, nossa amizade vai ficar pra sempre na minha memoria, e eu sinto muito que tenha acabado, mas pra sempre ela vai ser minha irmã...

Anônimo disse...

como e triste quando a amizade acaba doi muito,,estou vivendo isso e muito rui ,uma amizade a mais de 10 anos acabar assim do nada e nao poder fazer nada ......e muito muito triste mesmo!!!!!!

Rebeca disse...

:'(

Anônimo disse...

Muito lindo.Está acontecendo a mesminha coisa comigo:( cara isso é orrivel to muito triste com ele mas tomara que tudo passe logo:)

Marta Martins disse...

Perfeito, vou publicar no meu blog com um link para aqui!

Wendy disse...

Lindo, deu vontade de chorar e deu um aperto no coração!❤

Wendy disse...

Lindo, deu vontade de chorar e deu um aperto no coração!❤

Thay ' P. disse...

Triste passar por isso( Só eu sei a dor no meu coração nesse momento). Mas as pessoas mudam , a vida segue , bola pra frente! Espero que ela esteja feliz , que se dê bem na vida , que possa achar alguém que a ame e que a ature. Não acho que os anos que estivemos juntas foram em vão , acho que esse momento serve pra me mostrar , serve para me fazer voltar a acreditar em uma coisa que lá no fundo eu já saiba. E vou levar comigo as lembranças dos momentos felizes,dos momentos que foram e que sempre serão especiais.Principalmente a ideia de nunca mais ter que tentar dar certo de novo, é isso me é um alívio muito grande. Adeus pra sempre ex-melhor amiga .

J disse...

Lindo, chorei, triste quando vc vê amizades de uma vida inteira chegando a esse fim e não vê como salvá-las e pensar se ainda merecem ser salvas, triste pensar num futuro sem elas e ainda não saber como lidar com isso, insistir, simplesmente deixar acontecer ou dizer adeus desde já. Seu texto refletiu muito o que venho sentindo a algum tempo, de verdade me emocionou. Mas de minha parte ainda não tenho coragem para abandonar essas amizades da vida inteira, quando nem tenho outras, quando penso se elas realmente podem ser substituidas, ninguém nasceu colado com ninguém, mas é mt difícil, o desgaste que é cada vez maior não me mostra outro caminho, mesmo que eu não termine em algum momento sinto que vai acabar.

Unknown disse...

Tbm to nessa!
Sentindo muito por um fim de uma amizade de 11 anos. Onde a amiga era so eu, aproximadamente 20 dias sem falar c a pessoa a qual chamava de minha irma!
Mesmo sabendoq n sou errada me sinto culpada pois n queria q fosse assimmm!
Uma amizade q começou com duas 2 melhores amigas e q dia 21 acabou como duas pessoas qualquer.... Triste p caramba pq sei q enquanto choro a criatura n ta nm ai!
Mas enfim a vida seguee
Do mesmo geito q aprendemos a gostartnm aprendemos a disgostar.
Doi mas passa,vida q segueee!

Lêh Pacheco disse...

Tbm to nessa!
Sentindo muito por um fim de uma amizade de 11 anos. Onde a amiga era so eu, aproximadamente 20 dias sem falar c a pessoa a qual chamava de minha irma!
Mesmo sabendoq n sou errada me sinto culpada pois n queria q fosse assimmm!
Uma amizade q começou com duas 2 melhores amigas e q dia 21 acabou como duas pessoas qualquer.... Triste p caramba pq sei q enquanto choro a criatura n ta nm ai!
Mas enfim a vida seguee
Do mesmo geito q aprendemos a gostartnm aprendemos a disgostar.
Doi mas passa,vida q segueee!

Unknown disse...

Quem escreveu esse texto maravilhoso? Eu copiei algumas partes de texto incrementei com algumas coisas minhas também mas gostaria de saber quem é o autor desse maravilhoso texto.

Steffany Arrumada disse...

Quem escreveu esse maravilhoso texto?

Steffany Arrumada disse...

Quem escreveu esse maravilhoso texto?

Karine Rosa disse...

Eu! <3 E que bom que gostou!

Anônimo disse...

oi sei que com certeza nem vai ler essa mensagem, mas o meu caso é outro, uma vaca esta acabando com meus amigos, n sei se nossa amizade vai suportar. pf me ajuda eu amo meus amigos

Anônimo disse...

Gostei do texto. Ele mostra um pouco do turbilhão de sentimentos que tenho hj. No meu caso foi uma amizade colorida com uma pessoa bem mais velha. Um homem no caso. No começo sempre foi diferente com ele, eu sempre me preocupei mais do que eu pretendia. No inicio ele me elogiava, me dizia coisas bonitas até mesmo me dava dinheiro quando eu precisava pois na época eu era desempregado. Me arrisquei muito por ele... Dentre outras coisas deixei ele frequentar minha casa, ele sabe muito sobre mim e chegamos a tranzar sem camisinha. Eu nunca havia feito isso com ninguém. Eu havia me apaixonado... Com o tempo descubro que a vida dele foi só frustração, principalmente no amor. Eu estava a fim de ajudar... E ele começou a recusar meus convites, a minha companhia, até mesmo uma conversa para tentar se resolver. Ai veio o dia que eu queria acabar com tudo e ele pediu um tempo. Eu tentei salvar ao menos nossa amizade, mesmo que aquilo doesse extremamente. Arrumei desculpas para ainda vê-lo vez ou outra, para termos conversas agradáveis. E sempre esperei que ele fosse sincero comigo e oficializasse o nosso "relacionamento" pois eu já havia cansado de tanto correr atrás. Nunca nem tocou no assunto. Me sinto rejeitado, ele brincou comigo. Havia prometido coisas pra ele nos últimos tempos, ele ir assistir meu tcc e talz. Mas pensando bem não é o que eu quero, não quero mais forçar uma coisa que já não existe mais. Não nego que ainda tenho ressentimento disto, mas é algo que eu tenho enfrentado todos os dias. Já fazem meses eu ainda penso nisso. Eu sei que no dia que ele voltar, caso ele volte não vou trata-lo de nenhuma forma ridícula. Mas, aquilo que nós tínhamos dificilmente vamos ter novamente. Exclui o número dele e deixo ele viver a vida dele, não quero participar. Espero ter tomado a decisão certa. E se vc leu até aqui, bem obrigado por ler meu desabafo.

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)