Pular para o conteúdo principal

Sua hora chegou

Nanda tentou muito. Viu gente que não se esforçou tanto ocupando os lugares que planejou para si, antes dela. Respirou fundo, renovou as forças e continuou tentando mesmo quando ela mesma não entendia porque tinha de ser tão difícil. Respirou fundo e continuou, porque o que lhe restava a fazer era ser persistente.

Sua persistência talvez não fosse entendida pela vizinha fofoqueira, pelos antigos conhecidos da escola, pela parte distante da família. Alguns achavam que ela estava fazendo alguma coisa errada. Mas Nanda continuava. Respirava fundo e continuava, mesmo cansada, desiludida e descrente.

Leu as mesmas histórias várias vezes. Refez cálculos e exercícios que talvez nunca mais queira ver. Aprendeu coisas que, tem certeza, não vai usar nunca mais na vida. Reclamou, é verdade. Uma, duas, muitas vezes. E viu, de novo, gente que nem lutou tanto assim ganhando prêmios pelos quais nem suaram.

Não que ela achasse que não fossem merecidos. Questionava-se, apenas. Por que não ela. Por que não logo. Por que tinha que voltar, respirar fundo, começar tudo de novo outra vez.

Nanda podia ter desistido. Jogado a toalha. Entrado aí em um desses becos que as pessoas entram para encurtar o caminho e facilitar o trajeto.  Podia não ter continuado. Podia ter deixado os planos e sonhos para lá e ido viver qualquer uma dessas vidinhas que outras pessoas viviam porque eram mais fáceis. Mas não.

Hoje, Nanda virou orgulho de família, de amigos, de conhecidos. É exemplo de gente que consegue por não desistir, por não jogar a tolha, por se esforçar até o último minuto.

Vai lançar um livro e passou em primeiro lugar na federal.

Não desistir valeu à pena, Nanda! Parabéns!

(Texto em homenagem a mais nova bixete da UFSJ, com seu honrado primeiro lugar em psicologia. Alguém que me fez aprender a gostar dela, mesmo discordando de algumas de suas opiniões, brigando com gente que eu gosto ou me dando vontade de bater de vez em quando. Nanz, parabéns, de novo, pelas suas conquistas. Tô orgulhosa!). 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Cansei de brincar de ser trouxa

Eu cansei das mensagens visualizadas e não respondidas. De ter que estar pronta pra quando você quisesse, mas nunca poder contar com sua presença quando eu queria. Eu cansei de ser sempre tudo do seu jeito, de mendigar sua atenção, de tentar me encaixar entre um horário e outro da sua agenda, de me esforçar pra caber nuns buraquinhos esquecidos da sua vida. 
Cansei das idas e vindas, cansei da falta de atitude, cansei das vezes em que você disse que eu era tudo o que você queria, só não era agora, só não era a hora. Eu cansei de escrever sobre você, de dizer que ia te esquecer, de voltar atrás, de tentar mais um pouco, de insistir mais um tanto. Eu cansei naquela noite em que você não voltou. Naquele silêncio em que a gente não dividiu. Na madrugada inteira que você não me aqueceu e eu morri de frio. 
Eu cansei depois daquele seu olhar vazio quando eu apareci de surpresa. Eu cansei de achar que era você, e era eu, você só não sabia. Porque, quando é, a gente sabe desde o começo. Eu cans…