Pular para o conteúdo principal

As promessas que eu queria lhe dar além do “sim”, mas não posso



Queria te prometer nunca reclamar do seu ronco. Mesmo que ele não me deixasse dormir às 4 da manhã depois de um dia inteiro tentando escrever mais um capítulo do meu livro, sem sucesso.  Queria dizer que nunca vou reclamar que você troque um almoço na casa da minha mãe pela sua pelada sagrada de domingo, junto com aqueles seus amigos que não gostam muito de mim. E que eu estaria te esperando em casa com o maior sorriso no rosto quando você chegar com sua mala de roupas sujas e suadas.

Queria te dizer que eu entendo que você não suporte meu melhor amigo dos tempos da faculdade. Que aceito seu ciúmes e não vou me deixar irritar por seus ataques. Te prometer que cada vez que você começasse com suas neuras absurdas e sem sentido, eu iria te abraçar com toda a força do mundo e te fazer lembrar o porquê eu escolhi você e não ele.

Queria te prometer que a cada vez que eu sentir aquele medo que senti quando descobri que estava apaixonada por você, vou fazer você me abraçar durante à noite e deixar que você me lembre o porquê eu encarei esse medo lá no começo e comprei a briga, fiquei ao seu lado, apesar desse frio na barriga absurdo que eu tenho de me perder nessa coisa intensa que eu sinto ao seu lado.

Queria olhar nos seus olhos e te jurar que não vou gritar (muito) em nossas brigas e que minha irritação vai passar em alguns minutos, é só ter paciência. Queria te jurar também que eu terei paciência quando você for teimoso e cabeça dura e se recusar a dar o braço a torcer pela minha opinião.

Queria te garantir que eu nunca vou brigar com você por causa da toalha molhada na cama. Ou pela bagunça que você deixou quando saiu correndo para ir ao estádio ver seu time jogar e nem pensou no trabalho que eu ia ter para deixar a casa arrumada quando você voltasse.

Queria te falar que eu vou perdoar as vezes que você desprezar meu trabalho e gritar aos quatro cantos do mundo que eu escrevo besteiras. Vou entender, vou ouvir calada, sem tentar acertar os pratos na sua cabeça, sem tentar arrumar as malas e voltar para a casa dos meus pais.

Queria prometer que nossas brigas serão curtas, que sempre vamos nos reconciliar com o melhor sexo de nossas vidas, que não vamos deixar os silêncios ganharem em momento nenhum espaço em nosso relacionamento. Queria te jurar que quando formos deitar juntos na nossa cama, todos os nossos problemas já terão sido resolvidos e que as briguinhas diárias não irão destruir o que de mais bonito a gente construiu durante os anos. E que meu silêncio quando você me magoar vai querer sempre dizer: “Eu perdoo você”.

E queria te garantir que todas essas coisas seriam verdades nos anos que nos esperam daqui para frente. Queria te prometer que esse vai ser o cenário que vamos encontrar de agora em diante. Que, lá na frente, já com nossos oitenta anos, vamos olhar para trás e pensar em como foi fácil, tranquilo e simples. Mas não posso, porque sabemos, eu e você, que ao passar pelos primeiros dias de felicidade plena, encararemos os dias corridos, as brigas sem fim, o silêncio doído antes de dormir. Sabemos, eu e você, que talvez eu tente quebrar alguns pratos em sua cabeça ou ainda que eu pense seriamente em arrumar as malas e voltar para a casa dos meus pais com o rabo entre as pernas. Sabemos, eu e você, que talvez eu não entenda suas manias, nem você as minhas. Que talvez aquilo que não nos irritava antes passe a nos irritar. Que de vez em quando eu não vou entender você querer me trocar por uma bola e 21 caras suados e você também não vai entender sempre meus gritos histéricos naqueles dias da TPM.

Mas fica aqui a única promessa que eu posso te dar, com toda a certeza do mundo, sem medo de ser pega em máquina da verdade nenhuma: ao te dar esse sim depois da pergunta mais linda que você já ousou fazer, só para mim e mais ninguém, eu te entrego a certeza do amor mais forte que eu puder sentir, do maior esforço em entender alguém, em aceitar erros, em ficar ao lado mesmo quando quiser te matar. Meu “sim”, então, amor, é mais do que um sim. É o maior “Eu te amo” que você irá receber.

Eu te amo.
E eu nos declaro, com minha maior felicidade, marido e mulher. 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …