Pular para o conteúdo principal

Por que eu estou com ele e não com você


A covinha quando ele sorri não chega nem aos pés da sua. Mas nos últimos tempos, ele tem me feito sorrir mais do que nossos últimos meses juntos. E isso já é um ponto a mais para ele. Ele não compartilhou comigo o momento mais feliz e importante da minha vida, como você. Não me abraçou e sonhou junto comigo em uma das fases mais emocionantes que tive. Nem esteve diariamente ao meu lado no momento que mais amadureci. Isso tudo você fez.

Mas ele esteve aqui quando eu não soube para que lado ir depois de tudo. Ele me deu a mão e me guiou quando todos vocês foram para seus próprios cantos e me deixaram aqui no meio, sem saber direito como agir. E me apoiou quando eu finalmente tive coragem de dar adeus ao nosso passado e começar a construir o meu próprio futuro. E ele, para minha surpresa, soube moldar seus sonhos com os meus. E isso você não fez.

Ele não tem a mesma capacidade que você de me desvendar com um olhar. Nem consegue me fazer abrir um sorriso enorme só de ouvir seu nome, mesmo quando estamos brigados. Ele não tem tanta intimidade com a minha família. Nem sabe, com tantos detalhes, de tudo que passei durante os anos que estivemos juntos. Ele não tem seu instinto protetor comigo, como se eu fosse uma adolescente inconsequente. Nem se desespera para entrar em contato comigo quando sabe que posso estar em perigo. Isso tudo você fez.

Mas ele me deu uma calma que há muito eu não sabia ter. Me deu a estabilidade em um relacionamento da qual você sempre falava. Fez com que eu deixasse minha felicidade bem independente do nosso relacionamento. Entendeu meus surtos e, ao invés de gritar comigo por eles, sorriu e me fez ver que posso fazer diferente. Ele surgiu quando eu já estava estabelecida na vida, com meus pensamentos e opiniões bem claros, e não bateu de frente comigo quando sua ideologia era diferente da minha. Ele me fez voltar a ter interesse por assuntos dos quais eu não falava mais, porque se falasse acabaria entrando em uma briga com você. E ele, sem medo do julgamento público, disse que me amava. E isso você não fez.

Ele não é nem de longe o amor da minha vida. Nem ocupa o primeiro lugar na minha lista de pessoas mais importantes. Ele não me fez te esquecer, porque isso talvez nunca aconteça. Mas é mais uma dessas pessoas que me ajudaram a seguir em frente depois de você. E depois de saber como você estava bem sem mim. Ele não me deixa sem saber como agir, não me dá raiva quando some, não é o cara que todas as outras pessoas que me amam acham que eu deva namorar. Mas ele está aqui e você não. Ele ficou, enquanto você foi embora. Ele segurou minha barra, quando você soltou nossa corda de ligação tão fácil. E ele me dá a segurança de saber que, se resolver partir, eu continuo em pé, seguindo com a minha vida sem achar que ela não faz mais sentido, porque ele me ensinou amá-lo com razão. E isso, isso você não fez. 

Comentários

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Cansei de brincar de ser trouxa

Eu cansei das mensagens visualizadas e não respondidas. De ter que estar pronta pra quando você quisesse, mas nunca poder contar com sua presença quando eu queria. Eu cansei de ser sempre tudo do seu jeito, de mendigar sua atenção, de tentar me encaixar entre um horário e outro da sua agenda, de me esforçar pra caber nuns buraquinhos esquecidos da sua vida. 
Cansei das idas e vindas, cansei da falta de atitude, cansei das vezes em que você disse que eu era tudo o que você queria, só não era agora, só não era a hora. Eu cansei de escrever sobre você, de dizer que ia te esquecer, de voltar atrás, de tentar mais um pouco, de insistir mais um tanto. Eu cansei naquela noite em que você não voltou. Naquele silêncio em que a gente não dividiu. Na madrugada inteira que você não me aqueceu e eu morri de frio. 
Eu cansei depois daquele seu olhar vazio quando eu apareci de surpresa. Eu cansei de achar que era você, e era eu, você só não sabia. Porque, quando é, a gente sabe desde o começo. Eu cans…