23 de setembro de 2012

O "eu te amo" mais sincero da minha vida


Fonte: We Heart It

Há alguma coisa nos seus olhos que me faz não conseguir desviar de seu olhar nem que eu quisesse. Quando você ri, eu paro de escutar qualquer outra pessoa ao meu redor. Sua respiração na minha nuca me faz ter certeza de que o mundo pode sim ser um lugar bonito, apesar de tudo. E eu tenho quase certeza de que, não sei se borboletas, mas alguns bichos povoam o meu estômago quando você chega perto de mim.

Eu ficaria muito feliz se eu conseguisse controlar minhas mãos e impedir que elas tremessem quando você me encara. E gostaria mesmo de passar imune a suas palavras, nessa voz rouca que quase me leva à loucura. O pior de tudo é que tenho a ligeira impressão de que você não faz esforço nenhum para conseguir esse resultado em mim. E consegue, sem esforço, virar meu mundo de cabeça para baixo.

Eu aprendi a andar sem você. Aprendi a falar. Entrei na faculdade e construí todo um plano de vida sem nem sonhar que você entraria no meio do meu caminho. Só que agora eu fico nesse impasse de não conseguir olhar para frente sem te imaginar realizando tudo aquilo que eu sonhei ao meu lado. Eu não sei como isso funciona, não sei que espécie de magia você faz, mas eu penso em política e você se encaixa no pensamento, penso em culinária e lá está você outra vez. Você consegue povoar a minha mente até nos assuntos menos prováveis. Você me enfeitiçou e isso é um fato.

Um lado da minha cama já tem seu cheiro registrado. Seu corpo está marcado no colchão. E eu abraço o travesseiro que você costuma dormir quando você não pode vir me ver. Eu queria não parecer essas menininhas bobas que se apaixonam, como na adolescência, mas eu, a mulher que luta para ser moderna e evoluída e independente, fico parecendo uma idiota quando você sorri e diz que seu dia é todo meu.

Eu já falei isso outras vezes, mas agora essas palavras parecem tão vazias para os outros. Nenhum deles chegou nem perto de você. Eu achei que era amor no primeiro beijo, mas era só empolgação de deixar de ser criança. Eu achei que era amor quando queriam apenas me levar para cama. Eu achei que era amor porque gostavam das mesmas músicas que eu. Só que com você é amor, mas não é apenas amor.

Com você é amor e uma necessidade de abraçar no meio do dia, quando eu estou cansada e quero minha cama. Com você é amor e a vontade de te contar do meu mais novo sonho. Com você é amor e o desejo de ficar em silêncio, com a cabeça apoiada em seu colo, apenas escutando nossas respirações. Com você é amor e não apenas palavras vazias de uma menina que acha que sabe o que é amar.

Eu continuo sem saber o que é amar e talvez eu faça isso errado muitas vezes. Talvez eu falhe no meio do caminho e você ache meu amor louco, errado e completamente idiota e brega. E é isso: eu sou brega, errada e louca, mas eu te amo. Eu te amo e dessa vez é muito mais do que amor. É amor e todas as outras coisas. Inclusive, é amor e você. Eu amo você.



Comentários
1 Comentários

Um comentário:

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)