Pular para o conteúdo principal

Tô indo embora, é sério


Te falo do meu mais novo sonho e você solta aquele seu sorriso irônico que eu odeio. Tento te convencer de que esse vai dar certo, como a outra meia dúzia de sonhos que deram certo quando você não estava aqui. Falo sobre onde vou morar, para qual país eu vou com minhas vontades e loucuras nas malas. Você não acredita. Nunca acredita em mim.

Eu digo que vou embora e você sorri. Como se não acreditasse que eu fosse capaz de te deixar sozinho por aqui. O sorriso irônico dessa vez é meu. Penso, sem dizer nada, que talvez eu tenha aprendido com você como deixar os outros sozinhos e ir embora sem dizer adeus. Você vai sentir minha falta.

Mudei muita coisa desde a última vez em que você me conhecia de verdade. Tive coragem para, finalmente, soltar minhas amarras e ir lutar pela vida que eu queria para mim e você nunca apoiou. Quando comuniquei os sonhos pelos quais lutaria, aliás, pouquíssimos apoiaram.

Vou mudar de cidade e você vai dizer que nós vamos mudar também. Mas estamos lado a lado agora e eu já tenho vontade de te enforcar por esse sorriso irônico de quem não acredita em nada do que eu falo. Dessa vez eu vou mesmo e você vai se surpreender.

Você diz que não dá para se surpreender comigo porque me conhece com a palma de sua mão. Vamos aos fatos: você não conhece. Se conhecesse, teria estado aqui quando eu precisei sem que eu tivesse que te gritar. Se conhecesse, teria me dado a mão e dito que eu podia voar para aonde quisesse, porque você tinha amarrado um paraquedas em mim. Mas onde estava você e todo o seu conhecimento sobre mim?

Te falo do meu mais novo sonho e sorrio irônica. Sei que estou te avisando, mas você não vai acreditar quando chegar aqui e os armários estiverem vazios. A decisão não foi fácil, mas mesmo sem apoio decidi correr atrás daquilo que eu achava certo para mim. Você não era certo para mim. 

Comentários

  1. Nossa que texto heim??temos que correr atrás dos nos sonhos,acho q vou fazer isso tbm,arrumar minha mala e sair..rs
    linda
    No meu blog tem selinho pra vc,descupa ademora de avisar!!^^
    beijos
    www.mabmel.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. nossa... que texto MEEESMO ²

    Visita meu blog? é sobre personalização de blogs... rsrs
    bsj!!
    personalizacaoblogs.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …