Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2012

A vizinha da porta ao lado

A vizinha da porta ao lado vem a minha casa. Nós já temos um relacionamento de ois e tchaus de elevadores, mas agora ela vem tentar nutrir uma amizade, trazendo consigo um bolo que acabou de fazer. Começamos a falar sobre a decoração do apartamento, damos nossas opiniões rasas sobre a síndica e caímos sobre o tema de sempre: relacionamentos. Ela fala sobre seu namorado, o quanto ele é sensacional e como eles se dão bem. Para não ficar por baixo, não conto da última briga que tive com Caio, apenas me atenho a contar suas qualidades. E aí ela começa a falar sobre liberdade, que eu deveria tentar experimentar um relacionamento aberto, que iria ser bem mais feliz.

“Vocês deveriam tentar”, ela repete. E começa a enumerar todas as vantagens de sair com quem quiser, ser livre pra escolher, frequentar casas de swing, essas coisas que falam tanto sobre relacionamentos abertos. Um frio percorre minha espinha só de imaginar Caio e eu fazendo parte de um relacionamento desse tipo. Tento entender q…

Você fez besteira e sabe disso

Só pra acabar a história: adeus

"Deixo-te livre para sentir minha falta, se é que faço falta. Tens meu número, na verdade, meu coração, então se sentir vontade de falar comigo, me procura você. " (Caio F Abreu)
Perguntaram para mim por onde você anda. Disse que sumiu, e fim. Afinal, você sumiu e fim. Não teve uma briga, um motivo, algo que nos afastasse. Você disse que sempre estaria aqui e não esteve. Disse que iria me prestigiar em minhas vitórias e não prestigiou. Disse que éramos especiais e não éramos. Desapareceu. E só.
Perguntaram para mim o que eu te fiz. Quis devolver a pergunta. O que eu te fiz? Não fiz nada, e talvez isso tenha sido um grande erro. Não corri atrás, o que pode ter sido meu grande pecado. Mas depois de te puxar tanto a mão nas suas idas, deixei que fosse sem amarras, para reparar se você tinha qualquer ímpeto de voltar. Não voltou. Desapareceu.
E a coisa, pelo o que parece, foi pessoal. Com os outros, você continua bem normal, bem presente, bem amiga e bem companheira. Comigo, então, …

Vou te perder em 24 horas