Pular para o conteúdo principal

Eles não sabem nada de amizade


Não. Eu não comemorei sua entrada na universidade. Não fui para as melhores festas com você. Não conheci seus novos amigos. Não conheci seu novo namorado. Nem servi de colo quando o namoro acabou. O tempo, a distância, os compromissos, as diferenças e as mudanças separaram a gente. Muitos diziam por aí que não éramos mais amigas. Alguns, até, ousaram dizer que nunca fomos. Amigas, quero dizer. Que nunca fomos amigas, você acredita?

Quando seu pai morreu, você não me ligou. Você mandou apenas uma mensagem, assim que recebeu a notícia: “preciso de você”, escreveu. Eu estava a, pelo menos, mil quilômetros de distância de você. Eu morava em outra cidade, estava casada e tinha dois filhos. E você mandou uma mensagem dizendo apenas “preciso de você”. Eu não sabia se você tinha sofrido um acidente, se alguém tinha morrido, se você tinha descoberto que estava grávida ou se apenas tinha acabado mais um namoro. Não importava. Eu arrumei uma mala com poucas coisas, liguei para o meu marido, avisei que iria viajar. Comprei uma passagem com um preço absurdo. Peguei um voo com muita turbulência. Paguei um táxi até a sua casa. E estive lá.

Estive lá quando você precisou de mim.

O velório estava vazio. As amigas que comemoraram sua entrada na faculdade não estavam lá. Seus companheiros de festa também não. Nem seu ex-namorado, que jurou no fim que você podia contar com ele para qualquer coisa. Poucos estavam do seu lado no momento mais difícil da sua vida até então.

Eu segurei sua mão durante todos os momentos. Fiquei ao seu lado enquanto desejavam os pêsames. Te abracei e escutei seu choro. Segurei seu corpo para você não desabar.

Porque isso chama amizade. Mesmo com o tempo, a distância e os desencontros. Mesmo eu não estando aqui sempre. Mesmo com os novos amigos, os novos amores e os novos objetivos. Bastou uma mensagem, um “preciso de você” e pronto.

Eu estive aí.

Sempre estive.

Sempre estarei.

Comentários

  1. Cara, que texto maravilhoso! você é uma GRANDE inspiração pra mim Kah, de verdade. Parabéns !

    beijos :*
    http://sentimentoemprosa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Perfeito esse texto. Como você consegue descrever o que se passa comigo com tanta precisão?!Sério,impressionante como você descreve todos os meus sentimentos facilmente.Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Um belo texto, muitas realidades... Admiro suas escritas!

    ResponderExcluir
  4. Pior que é bem assim,mesmo.Já tive alguns amigos assim,eram cheio de companheiros de festas e tals,mas no fim quem estava lá ao lado deles nos piores momentos,era eu.E daí eles começam a valorizar as amizades de verdade :)
    Eu amei o texto.Muito bem escrito e reflete bem isso que falei acima.
    Beeijinhos ^^
    http://borboletametamorfoseando.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Lindooo texto Kah.
    Realmente, pra amizade ser verdadeira não precisamos estar fisicamente presentes. Infelizmente, a vida que levamos hoje não nos permite isso. Mas podemos, e devemos, estar presentes emocionalmente e nos momentos mais difíceis.

    ResponderExcluir
  6. Mais do que certa... Conta comigo sempre, amiga! ;D

    ResponderExcluir
  7. Que texto mais lindo, não tem como não concordar com você.
    Amo seus textos, escreve imensamente bem. Eu escrevo também, mas não sou lá essas coisas.. se desejar entrar no meu blog, abaixo está o link.
    Beijos.
    http://thief-of-words.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. eu simplesmente amei seu texto.
    Parabéns e continue assim
    Bjus
    http://vidadeluluzinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Que perfeito, sou apaixonada na sua escrita, e teu nome e sobrenome são o da minha antiga melhor amiga ;3 em fim, parabéns

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Cansei de brincar de ser trouxa

Eu cansei das mensagens visualizadas e não respondidas. De ter que estar pronta pra quando você quisesse, mas nunca poder contar com sua presença quando eu queria. Eu cansei de ser sempre tudo do seu jeito, de mendigar sua atenção, de tentar me encaixar entre um horário e outro da sua agenda, de me esforçar pra caber nuns buraquinhos esquecidos da sua vida. 
Cansei das idas e vindas, cansei da falta de atitude, cansei das vezes em que você disse que eu era tudo o que você queria, só não era agora, só não era a hora. Eu cansei de escrever sobre você, de dizer que ia te esquecer, de voltar atrás, de tentar mais um pouco, de insistir mais um tanto. Eu cansei naquela noite em que você não voltou. Naquele silêncio em que a gente não dividiu. Na madrugada inteira que você não me aqueceu e eu morri de frio. 
Eu cansei depois daquele seu olhar vazio quando eu apareci de surpresa. Eu cansei de achar que era você, e era eu, você só não sabia. Porque, quando é, a gente sabe desde o começo. Eu cans…