Pular para o conteúdo principal

O começo do nosso fim

Todos os homens do mundo te achariam linda.
Eu fui só mais um nessa lista. Aliás, na sua história, eu não passei disso: só mais um.
Apesar dos seus olhos claros, do seu sorriso enorme e seu corpo escultural, eu não caí de amores na primeira vez em que te vi. Meu coração já era de outra e você, aos meus olhos, era apenas mais uma mulher bonita no mundo. E eu nunca fiz questão de amar mulheres bonitas na minha vida.
Nossa história começou, na verdade, em nosso reencontro. Quando nos esbarramos de novo e fomos obrigados a passar mais tempo juntos e unidos do que minha força de vontade e meu coração podiam aguentar. Meu coração ainda era de outra, mas, pela primeira vez, você não era só mais uma no mundo. Eu descobriria depois, mas quando comecei a sonhar com você em meus braços no lugar de minha namorada, meu destino já estava traçado: eu estava perdido.
Eu me perdi em você.
Não sei dizer o dia exato em que isso ocorreu. A hora, o mês, o ano. Não houve um momento exato em que você decidiu ocupar meus pensamentos. Nem lembro, ao certo, quando foi que eu decidi que te queria para mim. Acho que eu nunca decidi que te queria para mim – e talvez esse tenha sido o meu maior erro.
Nunca te levei a um primeiro encontro. Nunca te levei ao primeiro jantar. Nem nunca ficamos constrangidos um com o outro no primeiro beijo. Nós não passamos pelo início de relacionamento que todo casal normal passa. O que não deve ser surpresa para ninguém, já que nunca fomos um casal normal.
Você nunca começou para mim. Você me invadiu por completo sem pedir autorização. Minha boca foi ao encontro da sua sem comunicar ao meu corpo. Quando dei por mim, você estava na minha vida, na minha cama e, por mais que continue sem acreditar nisso, no meu coração. Sacudiu todas as minhas certezas, inverteu todos os meus planos e deixou meu mundo de pernas para o ar. E nunca se desculpou por isso.
Nós fomos essa bagunça, essa história torta, cheia de tropeços e vírgulas colocadas nos lugares errados. Nós construímos um texto confuso, sem coerência e coesão. Nós fomos uma história mal contada, um enredo nunca assumido, um romance que ninguém nunca quis comprar. Livro meia boca de autores iniciantes.
Quem dera você nunca tivesse passado de apenas uma mulher bonita para mim.
Continuaríamos sem um bom começo. Mas, pelo menos, nunca teríamos nos perdido em nosso maldito e interminável final.
Esta é uma série desenvolvida em parceria com a Nanda Campos, para ler a versão feminina desse conto clique aqui

Comentários

  1. Ownt *----*

    screepeer.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. eu adoro seus textos de paixão!

    ResponderExcluir
  3. Seus textos são muito bons!!! *-*
    Como surgiu a possibilidade de publicá-los também no blog Depois dos Quinze e fazer parte da equipe?(foi por lá que conheci seu blog! hehe)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie! Eu fui convidada pela Bruna :D

      beijos e obrigada!

      Excluir
  4. Como foi que eu só descobri seu blog agora? Eu adoro seus texto e só hoje foi que achei seu blog!
    Flor espero um dia comprar um livro seu! Você escreve de uma maneira apaixonanate mesmo viu?
    Beijinhos♥
    http://www.momentosassim.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Ellen!
      Espero também um dia lançar um livro.

      Beijos

      Excluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Cansei de brincar de ser trouxa

Eu cansei das mensagens visualizadas e não respondidas. De ter que estar pronta pra quando você quisesse, mas nunca poder contar com sua presença quando eu queria. Eu cansei de ser sempre tudo do seu jeito, de mendigar sua atenção, de tentar me encaixar entre um horário e outro da sua agenda, de me esforçar pra caber nuns buraquinhos esquecidos da sua vida. 
Cansei das idas e vindas, cansei da falta de atitude, cansei das vezes em que você disse que eu era tudo o que você queria, só não era agora, só não era a hora. Eu cansei de escrever sobre você, de dizer que ia te esquecer, de voltar atrás, de tentar mais um pouco, de insistir mais um tanto. Eu cansei naquela noite em que você não voltou. Naquele silêncio em que a gente não dividiu. Na madrugada inteira que você não me aqueceu e eu morri de frio. 
Eu cansei depois daquele seu olhar vazio quando eu apareci de surpresa. Eu cansei de achar que era você, e era eu, você só não sabia. Porque, quando é, a gente sabe desde o começo. Eu cans…