Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2013

O último beijo da nossa história

Eu nunca achei que aquele fosse ser o nosso último beijo. Não era uma briga, uma despedida, nem nada do tipo. Era só mais um dos nossos beijos fora de contexto, arrancados no meio de uma conversa, entre quatro paredes. Nós já havíamos dado muitos daquele, e eu achava que ainda daríamos muitos outros. Nós nunca tivemos um fim de verdade, o que às vezes me dá a impressão de que nunca teve um final. Eu falava sobre alguma coisa que te irritava. Não consigo lembrar ao certo sobre o que, mas conversávamos algo sobre sua última namorada. Eu nunca havia gostado dela e o motivo era tão óbvio, por mais que você nunca tenha se tocado: ela roubava você de mim. Você me perguntava que espécie de amiga eu era por nunca apoiar seus namoros e eu comecei a falar algo sobre você nunca ter apoiado os meus. Você odiava que eu falasse de meus ex-namorados.E aí você me beijou. Foi exatamente como todos os outros: algo que me arrancou do chão. Mas, exatamente por ter sido o último, é o que eu lembro com mais …

Uma saudade louca de nós dois

Bateu saudade. Uma vontade louca de quebrar tudo, meter o pé na sua porta e te arrancar dessa vida que você construiu pra si. Deu desejo de te despir, colocar embaixo do chuveiro e te tirar dessa ilusão que você resolveu acreditar. Quis te mostrar a força que nada disso que você anda dizendo ser a vida que você pediu é melhor do que nós dois. Caralho, nós dois. Como você pôde esquecer?
Vi as fotos das últimas festas que você frequentou. Quem você quer enganar com aquele seu sorriso morno? Quem você acha que acredita nesse seu discurso de mulher madura, pronta pra casar e ter filhos? Você dizia que acreditava em fadas. Hoje, você não acredita mais em nada. Nem no amor. No nosso, então, nem se fala.
Não, eu não acredito em você. Eu não acredito nessa mulher que você virou. Não compro suas verdades. Nem acho que você anda tão feliz quanto diz. Eu lembro muito bem do som da sua risada, do brilho dos seus olhos e do jeito que você olhava pra mim quando estávamos juntos. Você pode até enganar…

Em que esquina a minha vida vai encontrar a sua?

O calor do seu abraço já tá sumindo de mim. Foi quase ontem, mas parece uma outra vida. Sua voz no telefone não é a mesma. O “eu te amo” na mensagem também não. Nem o e-mail que você me manda contando do seu dia é suficiente para me fazer sentir um pouquinho mais perto. Tudo isso ajuda, mas nunca vai ser um décimo do que eu queria de você comigo. Eu queria poder correr para o seu colo a qualquer hora do dia. Queria receber seu beijo entre uma respiração e outra. Queria entrelaçar nossas mãos quando batesse aquele medo do que os próximos dias reservam para mim.

Mas a vida nem sempre dá aquilo que a gente deseja. Ou dá – mas não exatamente do modo que imaginamos. E aí eu tenho que respirar fundo e amar de um jeito completamente novo. Eu tenho que engolir a saudade, a falta, a ausência e me encher de lembranças, memórias e recordações. Eu me encho de você em cada hora do dia, em uma mensagem, uma ligação ou uma foto qualquer. Vou me completando com você, pouquinho a pouquinho, como se fos…

Olá olá!

E aí, gente! 
Bom, eu ando recebendo uns e-mails bem fofos de algumas leitoras e bateu uma curiosidade: "quem são vocês que me leem?". Sei lá, acho legal saber quem passa sempre por aqui, quem são vocês que comentam, de onde vem, pra onde vão, essas coisas. Afinal, até que eu me "abro" bastante pra vocês por aqui, por mais que grande parte de tudo isso seja ficção. 
Então, vocês podiam se apresentar, não é? Falar nome, idade, de onde são, como descobriram o blog e há quanto tempo acompanham os textos. Que tal, que tal? 
Vou ler tudo e responder :D
E pra quem quiser saber um pouco mais de mim também, pode falar comigo pelo Ask.fm/kahrosawho ou pelo e-mail contato@karinerosa.com
Ah, outra coisa! Ando aceitando ideias pra contos, textos, crônicas etc. Eu sei que ando me repetindo nos temas, mas como a vida anda agitada e não ando tendo tempo pra parar, ler, ver novos filmes, ouvir novas músicas etc, acabo ficando, muitas vezes, na minha zona de conforto e escrevendo sempr…

A saudade e todo o resto

Eu detesto passar pela sua rua. Sempre que preciso ir para o seu lado da cidade, faço de tudo para não passar pelos lugares que me lembram você. Se eu passo pela sua cafeteria preferida, escuto sua risada. Se passo pelo banco em que você ficava sentado desenhando, sinto seu cheiro. A pior parte de todas é quando passo pelo seu prédio e lembro do seu abraço. Vou lembrando de você assim, em doses homeopáticas, para ver se diminuo a dor de saber que, enquanto passo pela sua rua, você não vai aparecer. Guardo você em pedacinhos pequenos. Tenho suas últimas mensagens salvas no celular, para ler toda vez que a falta aperta de verdade. Mandei revelar as fotos em que nós parecíamos mais felizes, para lembrar que um dia tudo foi mesmo mais fácil (e para ter a esperança de que um dia vai voltar a ser). Montei um cd inteirinho com as músicas que você gravou para mim. Eu preciso lembrar da sua voz de vez em quando, para ter certeza de que não estou ficando louca, imaginando alguém que não existiu. …

Sem essa de fazer de mim o que quiser

Você não ligou. Nem depois do primeiro encontro, nem depois do último. Não que eu achasse que fosse ser a exceção que eu sempre sonhei, mas eu depositei uma certa esperança em você. Eu quase nem fiquei perto do celular, quase nem dei mil pulos cada vez que o telefone tocava, quase nem deixei de fazer as minhas coisas porque você aparecia nos meus pensamentos. Você não ligou e eu tentei me convencer de que isso não era nada demais.
Você achou que podia fazer de mim o que quisesse. O ridículo é que podia. Eu deixava que você fosse e voltasse quando bem entendesse. Eu deixava que procurasse coisa melhor, e aí corresse ao meu encontro quando não esbarrava com nada melhor por aí. Acho que é coisa de gente que não se dá o devido valor, mas eu era boba de te esperar mesmo sabendo que você só me tinha por pura diversão. Eu levava pequenos sustos quando você aparecia do nada. E ria como uma boba. Eu achei que podia te convencer de que era eu. Era eu, você só precisava ver. E aí você sumia e eu p…

Meu futuro amor vai ser assim

Meu futuro amor vai ter jeito de domingo à tarde com a família. Vai ter uma pinta no canto esquerdo do rosto, que vai ser meu xodó. Vai ter a covinha mais linda que já se viu por essas redondezas. E o mais encantador sorriso torto que eu já esbarrei por aí. Vai ter um abraço de urso que vai me fazer ter a certeza de que problema nenhum pode arrancar meu chão. Vai ter braços com o poder de me fazer fugir da realidade. E o beijo mais perfeito que meus lábios já experimentaram durante todos esses anos.

Meu futuro amor vai ter o tamanho exato para acolher meu corpo. Vai ter cheirinho de lar, doce lar. Vai ter um jeitinho só dele de me mostrar o mundo de um jeito que eu nunca vi na vida. Meu futuro amor vai me ensinar francês. E me levar a lugares que normalmente eu não frequentaria. Vai me fazer crescer, vai me fazer viver, vai me fazer imaginar uma vida inteira diferente. Vai ter um roteiro de viagens incrível. Vai ter a coragem de ir contra tudo e contra todos, de realizar as coisas mais…

Das mentiras que você me contou

Você me doeu. É que de todos os outros, você foi o que mais conseguiu balançar tudo aqui dentro. E eu entreguei meu coração inteirinho nas suas mãos, sem cuidado nenhum, sem receio de que você fosse quebrá-lo. E quebrou. Virou pedacinhos, deixou buracos que cola nenhuma vai tampar. O pior de tudo é saber que você nunca mais vai servir de cola para juntar meus pedaços e nunca mais vai conseguir preencher os vazios que você mesmo deixou.
Depois que você bateu a porta, nunca mais olhou para trás. Nunca mais quis saber se eu estava bem, se havia sobrevivido. Sobrevivi, ainda que tenha doído. Sobrevivi, ainda que não soubesse o que fazer depois que você passou. Só me sobrou recolher meus cacos e jogar fora todas as promessas quebradas que você deixou. Um dia, você me disse que estaria sempre aqui, e eu, boba, deixei seu espaço reservado na minha vida. Você falou que caminharia ao meu lado, e eu corri para entrelaçar minha mão na sua e acompanhar seus passos. Prometeu que realizaria meus sonh…

O meu jeito de dizer que te amo

Grita baixo que é pra felicidade não fugir pela janela. E corre para os meus braços, só pra eu lembrar a todo instante que você é todinho meu. Eu preciso sentir de novo que aqui é o meu lugar. Que você é o meu paraíso perfeito.
Eu não quero parecer uma dessas loucas apaixonadas, mas eu olho para você e um sorriso instantâneo abre em meu rosto. Ah, se você soubesse o barulho que você faz aqui dentro. Eu, sempre tão controladora, não sei para que lado ir quando você aparece e deixa tudo do seu jeito. Quando dou por mim, a loucura já chegou e se instalou por aqui. Fico boba, doida, louca. De um jeito que só você sabe fazer. Você é tudo que eu nunca soube que amaria. Mais um desses caras normais que eu jurava que não me encantavam. Até que um dia você resolveu abrir esse sorriso e minhas certezas foram para o espaço. E o meu espaço, você invadiu, e roubou, sem pedir permissão, toda a minha calma, a minha alma e o meu coração. Eu tenho medo de dizer que eu te amo muitas vezes e as palavras fu…

Sobre como foi te esquecer

Escutei músicas tristes, assisti a filmes dramáticos, fiz quinze panelas de brigadeiro, acabei com três potes de sorvete e ganhei alguns quilos a mais. Nada disso adiantou. Nenhuma música entendeu, nenhum texto fez sentido, nenhum conselho foi suficiente. Disseram que eu devia sair e conhecer outros caras. Que eu tinha que levantar, lavar o rosto e seguir minha vida. Que você não merecia minhas lágrimas. E eu queria que tivesse sido assim fácil. Queria simplesmente ter saído e conhecido outros caras. Queria simplesmente ter levantado, lavado o rosto e seguido a minha vida. Queria não ter chorado por quem não merecia. Queria ter esquecido você assim, facinho, como todos diziam. Mas esquecer você foi bem mais difícil que isso.
Pra esquecer você, tive que ocupar as 24 horas do meu dia. Tive que parar de escutar as bandas que você me apresentou. Tive que passar longe de todos os lugares que você mais gostava. Tive que colocar todos os dias uma máscara de maquiagem, com pó, blush e rímel, j…

Eu não sei amar, mas eu te amo

Eu queria te falar das borboletas no estômago. Sabe, aquelas que todo mundo diz que aparecem no nosso corpo quando a gente tá naquele estado de paixão? Aparecem mesmo. Mas as minhas são bem mais rebeldes do que dizem por aí: elas andam dando mortais aqui dentro, me fazendo dar pulos de susto. Pulo, aliás, é o que mais meu coração anda dando cada vez que você passa por mim. E aí eu percebo que o que mais temia já aconteceu.
O problema é que eu não sei amar. É bom dizer isso logo de cara. Eu precisava que você explicasse isso para o meu corpo. Eu-não-sei-amar. É verdade, eu juro. Eu confundo tudo, eu cobro demais, eu me cobro demais, eu tenho medo e aí eu fujo. Eu fujo, porque eu não sei amar. E quem é que sabe amar por aí? Quem é que sabe até aonde pode ir, até aonde deve, ou o tal do jeito certo de amar outra pessoa? Como é que faz para aprender a parte teórica de amar? Tem aula? Eu não queria amar. Mas eu queria te falar das minhas mãos suadas, das minhas pernas bambas e do meu coração…

Estranho seria se eu conseguisse te esquecer

Você aparece no sorriso do Ian Somerhalder, no meio do último episódio de The Vampire Diaries. E se esconde no meio da letra da música “Sei” do Nando Reis. Você circula pelos rostos de desconhecidos nas esquinas em que eu viro. E tem mania de se disfarçar nas gargalhadas alheias. Você finge que vai embora, que se mandou de vez, e aí aparece na minha memória no meio de um encontro com o carinha da minha faculdade, só para me lembrar que nenhum outro consegue provocar o mesmo efeito que você.
Você se agarra em meus textos, só para impedir que qualquer outro vire protagonista de minhas histórias. Você abraça todas as músicas do meu iPod, só para eu me lembrar de você em cada suspiro dos meus cantores preferidos. Você está por perto quando eu vou a farmácia, quando corro na esteira da academia e quando coloco a cabeça no travesseiro e faço um esforço tremendo para não me lembrar mais de você. Aliás, fazer um esforço tremendo para te esquecer é tudo o que eu tenho feito nesses últimos dias. …

Antes que seja tarde demais

Antes que seja tarde demais, queria te dizer que não, eu não te esqueci. Eu tentei, eu fiz de tudo, eu continuei vivendo, eu viajei, conheci outros lugares, outras pessoas e outras formas de amar, mas você, vez ou outra, sempre dava um jeito de voltar a minha mente. E eu queria te dizer isso, antes que até isso perca a força entre nós. Eu amei outros caras, mas você continuou aqui, intacto. Antes que seja tarde demais então, saiba que eu não te esqueci.
Desculpa não ter lutado mais por nós dois. Desculpa por ter jogado a toalha, por ter dado as costas, por ter gritado que você nunca me mereceu. Desculpa por ter me deixado contaminar pela raiva do fim e só ter lembrado das coisas ruins que você fez. Eu ainda lembro que você me abraçava quando eu tinha medo, que você corria e atravessava a cidade inteira para me ver, que você não podia nem sonhar que eu fosse sofrer. Desculpa não ter lembrado disso quando eu precisava lembrar. Antes que seja tarde demais, eu queria te dizer que acho que n…

Tudo aquilo que eu nunca te disse

Nunca ninguém cantou em meu ouvido com uma voz tão bonita quanto a sua. Eles tentaram, se esforçaram, fizeram de tudo. Ninguém nunca me deu um colo como você também. Ninguém nunca me entendeu tão bem, ninguém nunca mais me reconheceu apenas pelo olhar, nem nunca souberem fazer o bolo de chocolate mais gostoso do mundo que você fazia. E olha que eu tentei encontrar isso em todos os que passaram por aqui. Porque eu nunca quis admitir que a minha maior intenção era te encontrar na esquina, te agarrar e dizer que você era todinho meu.
Eu tive chances. Eu poderia ter dito em uma de nossas brincadeiras. Entre um riso e outro, eu podia ter soltado, sem meias-palavras, sem rodeios, sem nada. Cheguei a planejar dizer enquanto você me abraça, enquanto me olhava ou enquanto jurava para todo mundo, no mais alto e bom som que eu podia ouvir, que nós não passávamos de apenas bons amigos. Eu odiava quando você falava de nossa amizade. Odiava. Eu podia ter falado quando seu primeiro namoro chegou ao fi…

As voltas que eu dei pra nunca mais

Eu voltei. Eu voltei porque era muito amor, porque era muito carinho e muita preocupação. Eu voltei porque o seu olhar sempre me implorou, de um jeito extremamente carinhoso, para não te deixar sozinho, para não desistir de você. E eu tentei, fiz das tripas coração, engoli meu orgulho, extrapolei, insisti até mais do que deveria, tudo para não desistir, tudo para não largar sua mão. Eu voltei porque, mesmo sem ninguém nunca entender, eu continuava amando você.
Eu perdoei suas cagadas. Desculpei até quando não soube me amar, porque no fundo eu me apegava a cada vez que você me amou sem defeitos, ainda que essas vezes tenham sido tão poucas. Eu engoli sapos, calei meu coração e deixei que você errasse o quanto quisesse, na esperança que um dia você finalmente aprendesse com os seus próprios erros. Eu voltei mesmo quando você não aprendia. Eu chorei, me arrependi, quis te bater, quis muito te odiar. Tive muita vontade de olhar nos seus olhos e perguntar por que você fazia aquilo comigo, po…

O fim e a aliança jogada pela janela

A última coisa que eu ainda tinha de você, ontem eu joguei pela janela. A intenção era jogar a aliança e o amor, mas foi só a aliança. Uma hora eu esqueço e o amor vai também, mas por enquanto você continua irritantemente guardado aqui. Mesmo quando o que me resta de você são só as minhas lembranças e a música que você dizia que era nossa.
Eu sei que parece birra de menina boba. Você vai dizer que continuo a mesma mimada de sempre. É besteira e eu já devia ter deixado pra lá. Quem é que continua sofrendo pelo mesmo cara depois de tanto tempo, não é? Você deve pensar aí do seu canto que é só mais um dos meus defeitos, essa mania de não desapegar. Eu não falo nada, nem te contrario, porque devo ser muito boba mesmo. Mas você ainda lembra que eu era a sua pequena? Não consigo aceitar que hoje você ande por aí como se nós nunca tivéssemos nos amado. Não consigo aceitar que passe por nossas lembranças, batido, como se não tivesse significado tudo o que significou. Me ensina aí como é que faz…

Fim de jogo

Não vou dizer que você quebrou meu coração. Nem vou te jogar alguma praga por não ter dado certo. Nossa história não iria muito além mesmo. Você sabe, não dá para ocupar um coração já preenchido. Não vou ser eu a lutar por um espaço no porão da sua vida. Quando for pra amar pra valer, querido, vou querer a suíte principal. Mas fica tranquilo que de você não guardo mágoa nenhuma. Nem isso, meu bem, nem isso.
Nós chegamos ao fim da linha. Fomos até aonde deu. Eu fui até mais longe do que deveria ter ido. Mas sei a hora de retirar minhas tropas do campo de batalha. Quebrei o coração vezes demais para saber quando tirar o pé do acelerador e dar uma freada brusca. Com você foi isso: acelerei sem olhar para trás e parei o carro do nada. Mas tudo bem, aqui dentro ficou tudo certo. Entre mortos e feridos, salvaram-se todos, como dizem por aí. Continuo intacta. Talvez eu tenha chegado um pouco tarde, talvez eu nunca devesse ter vindo. Seu coração já tinha dona. Eu nunca tive nem chance. Eu sei d…