Pular para o conteúdo principal

Meu futuro amor vai ser assim

Meu futuro amor vai ter jeito de domingo à tarde com a família. Vai ter uma pinta no canto esquerdo do rosto, que vai ser meu xodó. Vai ter a covinha mais linda que já se viu por essas redondezas. E o mais encantador sorriso torto que eu já esbarrei por aí. Vai ter um abraço de urso que vai me fazer ter a certeza de que problema nenhum pode arrancar meu chão. Vai ter braços com o poder de me fazer fugir da realidade. E o beijo mais perfeito que meus lábios já experimentaram durante todos esses anos.

Meu futuro amor vai ter o tamanho exato para acolher meu corpo. Vai ter cheirinho de lar, doce lar. Vai ter um jeitinho só dele de me mostrar o mundo de um jeito que eu nunca vi na vida. Meu futuro amor vai me ensinar francês. E me levar a lugares que normalmente eu não frequentaria. Vai me fazer crescer, vai me fazer viver, vai me fazer imaginar uma vida inteira diferente. Vai ter um roteiro de viagens incrível. Vai ter a coragem de ir contra tudo e contra todos, de realizar as coisas mais improváveis, mesmo quando todos disserem que nós somos loucos.
Meu futuro amor vai ter uma prancha para usar todos os finais de semana, um violão para tocar minhas músicas preferidas e um sonho para realizar ao meu lado. Vai ter os planos mais sensatos e os objetivos mais insanos. Meu futuro amor vai ter um riso frouxo, uma alma descontraída e o maior bom humor do mundo. Meu futuro amor vai assistir aos meus filmes preferidos ao meu lado. E me abraçar quando eu tiver medo assistindo aos filmes de terror dele. Meu futuro amor vai ter a sabedoria de me amar como um homem maduro e a leveza de me fazer rir como uma criança sapeca.
Meu futuro amor vai ter a paciência de ouvir meus dramas. A calma de aguentar minhas crises. A delicadeza de limpar minhas lágrimas. A força de me aguentar no colo. A sabedoria de me dar a mão quando tudo parecer ruim e triste e pesado. Meu futuro amor vai ser comédia, suspense, romance, drama e novela mexicana. Meu futuro amor vai ter a capacidade de me roubar um sorriso. E roubar mil beijos. E roubar, inteirinho, meu coração.
Mas, ainda que não haja a covinha para ser meu xodó. Ainda que não haja tanta compreensão. Ainda que não haja o mais perfeito sorriso torto, o melhor abraço do mundo, tanta delicadeza, força e sabedoria. Ainda que não haja nada disso: tudo bem. Que não tenha nada disso, que não seja nada disso, que não seja assim e seja quase nada perfeito. Mas que tenha, apenas, o único que lhe exijo, sem aceitar migalhas nem ilusões: amor. Que tenha amor, pura e simplesmente amor, o mais forte possível amor, só amor. E basta.

Texto publicado no blog Depois dos Quinze, da Bruna Vieira, no dia 30/10/2012. 

Comentários

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Cansei de brincar de ser trouxa

Eu cansei das mensagens visualizadas e não respondidas. De ter que estar pronta pra quando você quisesse, mas nunca poder contar com sua presença quando eu queria. Eu cansei de ser sempre tudo do seu jeito, de mendigar sua atenção, de tentar me encaixar entre um horário e outro da sua agenda, de me esforçar pra caber nuns buraquinhos esquecidos da sua vida. 
Cansei das idas e vindas, cansei da falta de atitude, cansei das vezes em que você disse que eu era tudo o que você queria, só não era agora, só não era a hora. Eu cansei de escrever sobre você, de dizer que ia te esquecer, de voltar atrás, de tentar mais um pouco, de insistir mais um tanto. Eu cansei naquela noite em que você não voltou. Naquele silêncio em que a gente não dividiu. Na madrugada inteira que você não me aqueceu e eu morri de frio. 
Eu cansei depois daquele seu olhar vazio quando eu apareci de surpresa. Eu cansei de achar que era você, e era eu, você só não sabia. Porque, quando é, a gente sabe desde o começo. Eu cans…