Pular para o conteúdo principal

Até aparecer você


Até aparecer você, aquela história de amar mais em um relacionamento nunca tinha feito sentido. Nunca tinha sido eu a me jogar de cabeça sem medo, sem pensar nas consequências e no coração partido. Nunca tinha sido eu a assumir o papel de quem se entrega mais, de quem dá o coração sem pedir nada em troca. E eu nunca achei que um dia eu me veria do outro lado: o lado daquele que acaba tendo mais a perder. Logo eu, que quebrei sem receio tantos outros corações por aí. Logo eu, que vi outros sorrisos e abraços exigindo um amor que nunca tive. Até aparecer você.

Até aparecer você, nunca tinha sido tão intenso. Nunca tinha sido menos amor. Pelo menos, não esse amor calmo, tranquilo e simples de histórias passadas. Com você é sempre fogo, faísca e paixão. E eu vivo morrendo de medo que a gente incendeie. Eu vivo com pavor de que queimemos nossa própria história, de que nós dois viremos pó jogado ao vento. Até aparecer você, eu nunca tinha me tocado que eu tinha tanto a perder. Pior: eu não tinha nem reparado que eu já tinha perdido.

Antes de você, eu já tinha esbarrado com o amor por aqui. Eu já tinha ficado cara a cara com o que todos dizem ser a melhor parte da vida. Eu já tinha encontrado o tipo de cara certo para casar. Mas o tipo de cara certo para casar apareceu na minha vida antes de tantas outras coisas. Apareceu na minha vida antes de você. Eu apareci na vida dele antes de muitas outras coisas também. E eu deixei o cara certo para outro momento, deixei que ele esbarrasse com outros amores, deixei que fosse curtir outros beijos, outros abraços e outras declarações. Achei que tudo bem abrir mão de quem se entregava para mim sem nem pensar duas vezes. Mas aí você veio.

Você veio rápido, sem freio, sem aviso, sem nenhuma preparação. Você veio enquanto eu decidia se tinha tomado a decisão certa. Você veio e me fez cometer outros milhares de erros. E me deixou sem ar e sem chão. Porque com você se tornou assim: o tudo ou o nada. O começo e o fim. E eu vivo morrendo de medo de que a gente acabe quando o fogo apagar. E que, finalmente, eu comece a me arrepender de tudo o que fiz até aparecer você.

Mas, talvez, encontrar você seja uma dessas coisas que o destino tinha me reservado. Sem você eu não saberia o que é me jogar de cabeça em uma piscina vazia. Não saberia o que é me largar em um buraco sem fundo. Ou o que é pular do precipício sem saber se há ou não uma cama elástica lá embaixo.

Talvez a gente acabe. O que é que não acaba, de um jeito ou de outro, nessa vida? Que seja. Porque, com você, eu finalmente aprendi como é ser aquela que ama mais. E, com isso, aprendi a dar mais valor ao amor que me entregam também. Porque, talvez, você seja  isso: uma enorme lição. No fim, a gente só dá valor mesmo ao amor calmo depois de perder a cabeça em loucas paixões



Texto encomendado pela Bruna Barbosa Miranda. Espero que você goste <3

Comentários

  1. "No fim, a gente só dá valor mesmo ao amor calmo depois de perder a cabeça em loucas paixões. "
    #Fatooooo

    Muito bom o texto Kah, parabéns de novo. :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fato, né? ahahahahha
      Obrigadaaa, Débora!

      Beijos

      Excluir
  2. Estou em prantos. É incrível como você colocou todos os meus sentimentos em apenas um texto.
    De todos, meu preferido. hahaha
    Parabéns, nada melhor que ler algo que é sobre mim <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. <333 Ain, fiquei com medo de você não gostar, Bru :D
      Que bom que, no fim, curtiu!

      <333 beijos

      Excluir
  3. Muito bom! Gostei, mesmo mesmo!!!

    ResponderExcluir
  4. Sabe, as vezes ligo imediatamente uma leitura a uma música, e nesse caso eu lembrei de um trecho de Heart Attack da Demi...

    Nunca coloquei meu amor em jogo
    Nunca disse "sim" para o cara certo.

    Espero que não tenha ficado brava com a comparação.
    Enfim, vou tirar o resto do dia para ler seus textos, porque a tua escrita é bem verdadeira, detalhada mas de um jeito que não se alonga. Gosto disso.

    Se puder, passe no meu blog pra ler um pouco dos meus textos, espero realmente que goste :)

    Beijos,
    Lyn

    http://naotrague.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, curto muito Heart Attack <333 HAHAHAH

      Obrigada, Lyn <33 E pelos comentários nos outros textos também!
      fiquei toda feliz com seus elogios!

      Beijos

      Excluir
  5. Talvez a gente acabe. O que é que não acaba, de um jeito ou de outro, nessa vida? Que seja. Porque, com você, eu finalmente aprendi como é ser aquela que ama mais. E, com isso, aprendi a dar mais valor ao amor que me entregam também. Porque, talvez, você seja isso: uma enorme lição. No fim, a gente só dá valor mesmo ao amor calmo depois de perder a cabeça em loucas paixões. <3


    PARA DE SER FODA KARINAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
    HASUASHASSAUSAHSAUS


    OBS: cês não chamem a Karine de Karina, ela fica p da vida e não é recomendado para pessoas com cérebro HSAUASHSAUSAHASSAUSAHSAUSA NE KARINAAAA?:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AI SUA RIDIIIIIIIIICULA! HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

      Obrigada pelo elogio, mas karinAAAAAAAA é o caramba!

      HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH idiota U_u

      beijos

      Excluir
  6. "Nunca tinha sido eu a me jogar de cabeça sem medo, sem pensar nas consequências e no coração partido. Nunca tinha sido eu a assumir o papel de quem se entrega mais, de quem dá o coração sem pedir nada em troca."

    MUITO EU! Nossa, amei! Esse texto ta maravilhoso!!

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, obrigada, Mari!
      Apareça mais vezes por aqui! <3

      Beijos

      Excluir
  7. ''Você veio rápido, sem freio, sem aviso, sem nenhuma preparação. Você veio enquanto eu decidia se tinha tomado a decisão certa. Você veio e me fez cometer outros milhares de erros. E me deixou sem ar e sem chão. Porque com você se tornou assim: o tudo ou o nada. O começo e o fim. E eu vivo morrendo de medo de que a gente acabe quando o fogo apagar. E que, finalmente, eu comece a me arrepender de tudo o que fiz até aparecer você.'' Apenas maravilhoso!

    ResponderExcluir
  8. Que texto lindo. *.*
    In love.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …