Pular para o conteúdo principal

Em quem dói mais?

Acabou. Um dia, sem aviso, depois de mais uma briga, ele vai. Ela fica. E em qual dos dois dói mais?

Quem fica, fica com uma infinidade de lembranças. A memória de tudo o que foi feito naquele sofá. Ou os cantos da casa que ainda guardam o cheiro da ex-pessoa-amada. Aquela poltrona preferida, aquela caneca velha que guarda resquícios do último café tomado, aquele abajur quebrado na última briga. Quem fica, fica com objetos esquecidos atrás da porta, a frase rabiscada na parede e o armário revirado. Com o colchão da cama que ainda guarda a posição do corpo. A toalha esquecida, eternamente molhada depois do último banho. Os filmes que ele deixou em cima da estante, o livro que não acabou de ler e os bilhetes que deixou ao longo dos anos. Quem fica convive com as paredes, as janelas e as portas de uma casa que desabou, mas continua em pé.

Quem vai, vai com os resquícios de um coração que partiu. Além de seu próprio coração partido. Vai, sabendo que pode se arrepender um dia de não ter ficado. Vai com a sensação de culpa na boca do estômago. E a impressão de que desistiu no meio de tudo. Quem vai convive com as incertezas de um caminho desconhecido. E com a certeza de que quem ficou não vai esperar. Vai com a dor de ter ido mesmo quando pediram que ficasse. E sem saber se teria acertado se insistisse mais uma vez, se tentasse só mais um pouquinho. Quem vai, vai deixando um vazio na casa e no próprio peito. E fica um pouquinho lá, esquecido em cantos, rabiscos em paredes, pra ver se quem ficou lembra, só de vez em quando, de não esquecer para sempre. Quem vai convive com as memórias embaçadas de uma vida deixada em um ambiente para o qual não vai mais voltar.

E em quem, no fim, meu Deus, dói mais?

Não importa.
Acabou.

Quem fica, fica com a decepção de uma porta batida na cara.
E quem vai, ah, quem vai, sofre eternamente por uma porta de fechadura trocada

Comentários

  1. Lindooo demais Kah.
    Perfeito!!!

    Ainda esperando pela minha sugestão ;)

    Bjuss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Débora, eu preciso organizar as sugestões que me mandaram, acredita? Me perdi! HAHAHAHAHAHHA
      Mas vou tentar escrever logo rsrsrs

      Obrigadaa!
      Beijos

      Excluir
  2. Respostas
    1. Awwwwwn, que bom, Leidyyy <3333

      Excluir
  3. Em quem dói mais, é tipo, a segunda pergunta mais difícil do mundo depois daquela, o que querem as mulheres?
    Eu não sei. Mas como você disse no texto, é um punhado de dor que fica com cada um, que só quem sente sabe o peso. É dor na consciência, no coração, na alma, tudo misturado. E na hora do Adeus, parece que a dor dos erros se multiplicam, fazendo tudo arder mais.
    Quando brigo e vou embora, só eu sei o tanto que passa pela minha cabeça.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo22/7/13

    Meu Deus, eu choro lendo seus textos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Cansei de brincar de ser trouxa

Eu cansei das mensagens visualizadas e não respondidas. De ter que estar pronta pra quando você quisesse, mas nunca poder contar com sua presença quando eu queria. Eu cansei de ser sempre tudo do seu jeito, de mendigar sua atenção, de tentar me encaixar entre um horário e outro da sua agenda, de me esforçar pra caber nuns buraquinhos esquecidos da sua vida. 
Cansei das idas e vindas, cansei da falta de atitude, cansei das vezes em que você disse que eu era tudo o que você queria, só não era agora, só não era a hora. Eu cansei de escrever sobre você, de dizer que ia te esquecer, de voltar atrás, de tentar mais um pouco, de insistir mais um tanto. Eu cansei naquela noite em que você não voltou. Naquele silêncio em que a gente não dividiu. Na madrugada inteira que você não me aqueceu e eu morri de frio. 
Eu cansei depois daquele seu olhar vazio quando eu apareci de surpresa. Eu cansei de achar que era você, e era eu, você só não sabia. Porque, quando é, a gente sabe desde o começo. Eu cans…