Pular para o conteúdo principal

Feito balões de festa junina

Eu já consigo dizer que acabou. Demorou, mas dei o braço a torcer. Nós não nascemos para dar certo. Hoje, depois de tanto tempo, consigo admitir isso sem grandes dores. Por mais que nós tenhamos nos amado, do jeito meio torto que sempre nos amamos, ou por mais que nós quiséssemos um final feliz, nós não nascemos para dar certo. Ainda que tivéssemos tentado mais um pouco, ainda que tivéssemos insistido, ainda que eu tivesse ficado e tentado mais uma vez ao invés de te deixar para trás e ir correr atrás dos meus sonhos. Nós não daríamos certo no final. Não adianta quão teimosos nós fôssemos. Nós éramos feito balões de festa junina: bonitos, mas altamente inflamáveis. E proibidos. 
De longe, parecíamos inofensivos. Parecíamos livres, leves, soltos. Um amor de verdade, intenso, verdadeiro, eterno. Eterno, olha só. O que, de longe, ninguém sabia, é que o balão só voava enquanto durava o fogo. E nosso fogo apagou depois de ter incendiado tudo a nossa volta. Nós destruímos tudo o que podíamos: os sentimentos das pessoas ao nosso redor, nossa amizade, nossos próprios sentimentos, e nosso amor. É estranho que nosso amor tenha se consumido até o final, mas foi isso o que nos aconteceu. Era tanto amor que queimou.
O combustível acabou. Vieram com os extintores apagar nosso incêndio. Não foi você que curou os estragos que nós mesmos deixamos. Nem fui eu que te abracei e disse que reconstruiríamos tudo. Eu quis mudar, quis correr para longe, porque estava cansado demais de deixar um mundo em pé e depois ver ele ser consumido pelo fogo até virar pó. Nós viramos pó, nossa história virou pó e você virou pó. Nunca mais fomos os mesmos depois do fim. Nunca mais seremos. Eu deixei cicatrizes em você e você deixou em mim feridas abertas que nunca vão fechar. 

Mas não adiantava mais tentar.
Para você, eu sempre serei o culpado pela nossa própria desgraça. Para mim, você sempre será o conteúdo inflamável de quem eu quero distância. E continuaremos tentando nos odiar por termos nos amado tanto. Talvez, por ainda nos amarmos. Mas, no fim, a gente apenas não nasceu para dar certo. Nos amamos, é verdade. Fomos felizes, é verdade. Encantamos um mundo de gente com o vôo do nosso balão. Fomos alto, fomos longe, fomos a mais bonita história da minha vida, fomos tudo.
Tudo.
Nosso “tudo” apenas não terá um final feliz
E teremos que aprender a conviver com isso. 
Eu e você




Esta é a última postagem da série "Sobre nós dois", feita com a Nanda Campos. Para ler a versão feminina desse conto, clique aqui. Obrigada pelos comentários nos posts dessa história. Esperamos que vocês tenham gostado.  

Comentários

  1. e como aceitar que um amor tão bonito não pode ter um final feliz?? otimo texto, otima serie com a Nanda :) Parabéns meninas ♥♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aceitar é a parte mais difícil ahahhaha :/

      Obrigada, Nataliaaa <333333

      Excluir
  2. Amo essa série já sabem hahaha ... esse foi um dos textos mais triste, mais doloroso de se ler , a renúncia de algo que ainda esta no coração. :´(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, abrir mão de algo que a gente ama dói muito, mas faz parte da vida!

      Obrigada pelo comentário, Laine <333

      Excluir
  3. Anônimo28/3/13

    como assim acabou? naaaaaaaaaao, nao podeeeeee
    essa serie eh tao linda
    continuem gente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahahahhahaahhaha <333
      Vem coisa nova por aí!

      Excluir
  4. Realmente, o fim é sempre o pior de tudo, ainda mais quando um dos lados ainda tem esperança.

    Parabéns Kah, e foi incrível a série!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Déboraaaaaa <3

      E você viu o e-mail que te mandei?? ahahahhaha

      Excluir
  5. Claroooooo, vis sim Kah, e até já respondi!!! :D
    Ameiiiiiiiii demais o texto.
    Muito obrigada!!!!

    ResponderExcluir
  6. Realmente falou tudo que eu sinto e que eu tenho vontade de falar !! putz, eu to chorando aqui !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não choooora :/ hahahaha
      Mas que bom que gostou!!!! <333

      Excluir
  7. SÃO JOÃO CARUARU HOSPEDAGEM 2013 (CASA DE TEMPORADA EM CARUARU FESTA JUNINA)
    03 quartos, Sala de estar, Cozinha (externa),02Banheiros, Lavanderia, Varanda, Churrasqueira,Garagem.
    Acomoda:10 Pessoas Valor do Pernoite R$: 390,00 (Valor ao grupo)
    Visitas e reservas:(81) 9141-2968 ernestojcampospe@gmail.com



    HOSPEDAGEM SÃO JOÃO CARUARU - PE

    http://youtu.be/pxoX6XM2gMk
    http://aluguel-mobiliado.vivastreet.com.br/aluguel-temporada+caruaru/sao-joao-caruaru-hospedagem-2013--casa-de-temporada-caruaru-/68253160
    http://caruaru.olx.com.br/sao-joao-caruaru-hospedagem-2013-casa-de-temporada-em-caruaru-festa-junina-iid-492517244
    http://www.bomnegocio.com/vi/15042106.htm?xtor=EPR-12
    http://caruaru.nexolocal.com.br/p40557335-sao-joao-caruaru-hospedagem-2013-casa-de-temporada-em-caruaru-festa-junina-

    ResponderExcluir
  8. aii que lindo... é sempre triste quando um amor acaba, ainda mais quando foi bonito assim.. mas, é importante lembrar só do que foi bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É triste quando o amor acaba, mais triste quando termina sem ter acabado, não é?

      Obrigada pelo comentário, Marcela.

      Beijão

      Excluir
  9. Aquele momento em que você lê, e seu mundo para pra sentir aquilo que você está lendo.
    Muito lindo, Parabéns.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Cansei de brincar de ser trouxa

Eu cansei das mensagens visualizadas e não respondidas. De ter que estar pronta pra quando você quisesse, mas nunca poder contar com sua presença quando eu queria. Eu cansei de ser sempre tudo do seu jeito, de mendigar sua atenção, de tentar me encaixar entre um horário e outro da sua agenda, de me esforçar pra caber nuns buraquinhos esquecidos da sua vida. 
Cansei das idas e vindas, cansei da falta de atitude, cansei das vezes em que você disse que eu era tudo o que você queria, só não era agora, só não era a hora. Eu cansei de escrever sobre você, de dizer que ia te esquecer, de voltar atrás, de tentar mais um pouco, de insistir mais um tanto. Eu cansei naquela noite em que você não voltou. Naquele silêncio em que a gente não dividiu. Na madrugada inteira que você não me aqueceu e eu morri de frio. 
Eu cansei depois daquele seu olhar vazio quando eu apareci de surpresa. Eu cansei de achar que era você, e era eu, você só não sabia. Porque, quando é, a gente sabe desde o começo. Eu cans…