13 de março de 2013

Sobre o que nós fomos

É pra jogar na cara todas as vezes que você achou que eu era seu brinquedo e resolveu agir como se eu não tivesse sentimentos também? É pra escancarar para todo mundo cada chance que teve de fazer dar certo e, ao invés disso, resolveu agir como a menina mimada que insistia em ser? Então vamos falar para todo mundo que de coitada você não tinha nada. Você brincou o quanto pôde, destruiu tudo o que foi possível, estragou cada uma de nossas oportunidades. Fez o que quis de nós dois. Você sabe que fez.

Você quis esconder, quis disfarçar, fez de tudo para que não descobrissem, colocou panos quentes, empurrou nossa história para debaixo do tapete e, quando acabamos, de repente, quis gritar um amor que nem chegou a acontecer. E age como se tivesse feito tudo o que fez por falta de opção. Interpreta um papel de quem fez tudo o que pôde. No fundo, você sabe bem: o que te faltou foi coragem. Em autossabotagem você é profissional.

Vamos ser sinceros. Vamos escancarar nossas falhas. Mergulhar fundo em nosso orgulho, revelar nossos excessos, apontar nossas faltas. Vamos, então, indicar nossas fraquezas, contar dos nossos gritos, falar o que estava guardado em nossos silêncios. Começa você: grite para todo mundo sobre nosso eterno relacionamento de segredos. Conte para todo mundo aonde foi que a gente errou.

Vamos lá. Vamos gritar essa história que a gente tanto escondeu. Vamos mostrar a verdade totalmente oposta a tudo o que acreditam que nós fomos. Vamos, finalmente, contar o enredo do filme que nunca estreou. Esse amor que não acabou por má bilheteria. Foi por falta de patrocínio: meu e seu.

Você acha que só você deixou de acreditar no amor, em nós dois e em finais felizes? Eu me arrasto por aí em uma relação que nunca vai ser o que eu sonhei para mim e não reclamo. Eu também fui destruído por nós dois. Aqui também doeu. Aqui também ficou esse seu poder de acabar com meu dia só com a pronúncia do seu nome. Você também ainda consegue fazer um alvoroço aqui dentro como se continuasse tudo igual. Pior: você continua agindo como se quisesse, pra sempre, ser um dedo em minha ferida. Como se quisesse me esquecer de vez, sem lembrar que fui eu que fiquei aqui, insisti em nós dois e nesse nosso amor doentio por anos intermináveis.

Você acha que eu também não queria? Você acha que é só em você que ainda dói? Que só você saiu em pedaços dessa nossa história de idas e vindas infinitas? Que só você tem desculpas fajutas para ter mudado depois de tudo? Eu também vi um amor inteiro acabar na minha frente. Também fiz das tripas coração. Meu peito também guarda as cicatrizes de cada uma das nossas milhares de tentativas. Minha suposta indiferença também guarda mágoas que nunca vão ser curadas. Essa alma também guarda traumas que você nunca tentou arrancar.

Mas eu sei que você vai ficar permanentemente grudada em mim. Sei que a cada esquina que eu virar, alguém vai me perguntar de você. Que, a cada passo que eu der, vou lembrar que você está feliz sem mim. E sei que cada vez que olhar para trás, vou ver uma vida inteira que poderia ter acontecido. E me perguntar pela milésima vez: aonde foi que eu errei, que você errou, que a gente deixou acabar?

Sobre nós dois, nem nós dois saberemos todos os lados. Eu nunca vou saber por que você desistiu de mim. E meu coração, esse aqui, maltratado, acabado e sem forças, jamais vai aceitar, superar e compreender por que raios meu cérebro foi decidir desistir de você. Se é pra gritar, responde essa, então: como é que eu pude desistir de você? E você? Como é que pôde desistir de nós dois?

Mas não adianta gritar, amor.

Já acabou.




Esta é uma série desenvolvida em parceria com a Nanda Campos, para ler a versão feminina desse conto clique aqui


Comentários
9 Comentários

9 comentários:

  1. "Quando acabamos, de repente, quis gritar um amor que nem chegou a acontecer. E age como se tivesse feito tudo o que fez por falta de opção. Interpreta um papel de quem fez tudo o que pôde. No fundo, você sabe bem: o que te faltou foi coragem."

    Praticamente um filme passando na cabeça agora.
    Que texto foi esse hein? Perfeito demaaais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Curtiu, Ká? <3333
      Que boooom!
      Obrigadaaaaaaa!

      Excluir
  2. Ahhhhhh que lindooooo.
    Me surpreendendo a cada texto. Como você consegue???

    "Meu peito também guarda as cicatrizes de cada uma das nossas milhares de tentativas.."

    Você deveria juntas esses textos em um livro, eu certamente compraria!! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHAHAHAH juntar em um livro? Quem sabe, é uma ideia, né? HAHAHAHAH

      Obrigada, Déboraaa <3333

      Excluir
  3. Seus textos são incriveis e a parte mais gostosa é ver um pouco de mim em cada virgula!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, fico feliz que você curta, Bia :DDD
      Obrigadaaaaaa!

      Excluir
  4. Olá!!! Conheci o seu blog hoje, já tinha lido vários textos escritos por você no Depois dos Quinze. Só que, acredita que hoje que eu fui me tocar que talvez você tinha um blog e se tivesse estaria nos colaboradores? É eu sei, sou uma completa desmiolada... rsrs.

    Você escreve super Bem (isso com certeza muitos já te disseram né?!). E o mais interessante é que os sentimentos são expressos de uma forma que podemos realmente sentir o que se passa com a personagem do texto.

    Eu tenho um blog, não tão bonito e com textos tão bons quanto o seu, mas até que eu gosto dele HAHA (se eu não gostasse quem mais gostaria?).
    Estou seguindo aqui, e gostaria de convidá-la a conhecê-lo, seria uma honra a sua visita...
    Beijos
    sogarotasteen.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pietra! Conheceu e curtiu? Fico feliiiiz!
      Obrigada pelos elogios, são super importantes para motivar :D

      Valeu mesmo pela visita!!!

      Beijos

      Excluir
  5. Ufaa.. Caralhooo mew.. Passa um filme na cabeça da gente, quando terminei fiquei pasma, como pode isso meu Deus...PArabens Parabens eu amei!

    ResponderExcluir

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)