Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2013

Nos contos de fadas, eles terminariam juntos

Ele é cheio de princípios. Ela os esquece entre uma dose e outra de tequila. Ele tem quase trinta com cabeça de cinquenta. Ela está abandonando agora a mente dos quinze anos.  Ela queria ir, ele era mais de ficar. Ela gritava, ele calava. Ela acreditava em sonhos, ele acreditava em planos. No mundo real, nem o eterno clichê dos opostos que se atraem faria com que os dois ficassem juntos. Mas entre um fôlego e outro dos dias sempre tão normais, eles acabaram se perdendo em uma história digna de filmes. E se espremeram entre as horas, em uma tentativa de que não perdessem o jogo para a vida e seus compromissos e suas escolhas e sua dura, fria e cruel realidade.
Eles morreram foi disso: re-a-li-da-de.
Porque nos livros, caminhos tão distintos acabavam sempre no mesmo lugar. E ruas paralelas sempre se esbarravam no final. Entre olhos fechados, abraços, beijos e silêncios na cama, o destino parecia poder dar um jeito de fazer dar certo. Talvez diminuindo aqui, talvez dosando ali. Mas quando…

Você não sai de mim

Eu não gosto mais de você. Em um mundo paralelo saudável, eu até te odiaria. No meu dia a dia, fico com cada vez mais preguiça de você. Mas a verdade, a verdade mesmo, é que você continua entalado em minha garganta como uma espinha de peixe da qual não consigo me livrar. Já tossi, já tentei farinha, água, pronto socorro. Nada foi suficiente para te tirar de mim. Uma hora, te deixei ali, como se tivesse acostumado; eu até conseguia respirar numa boa com você preso ao meu corpo. O problema todo é que você nunca deixou mais ninguém entrar. E aí meu organismo foi adoecendo por falta de outros e excesso de você.
Fui ao médico outro dia, tentar mais uma medida desesperada. No exame de raio X, a verdade que eu nunca quis admitir: todas as minhas expectativas continuam aqui, adoecidas e guardadas em um lugar da minha mente que meu cérebro já não me deixa ter mais acesso. No meu estômago estão todas as vezes em que eu tentei te ter para mim e não foi suficiente - minha gastrite deve ter uma cu…

O desespero de vencer (e não viver)

Olha lá, quem vem do lado oposto Vem sem gosto de viver Olha lá, que os bravos são Escravos sãos e salvos de sofrer Olha lá, quem acha que perder É ser menor na vida Olha lá, quem sempre quer vitória E perde a glória de chorar Eu que já não quero mais ser um vencedor Levo a vida devagar pra não faltar amor

No fim daquela linha de chegada, um pote de ouro? Ou então por que dessa pressa toda? Alguma medalha de diamante deve estar por lá, para onde todos vocês caminham. Vocês viram as flores? As árvores? As ruas que cruzam esta avenida principal? Há tanta vida lá fora, já diria Lulu. Há tanta vida aí dentro, aqui dentro, ali. Calma aí. Respire fundo. Deixe o medo fugir de você um pouco. O tempo não está acabando. Aliás, com essa correria toda, no fim, o tempo já acabou. 

Passou. A vida: você não sabia? Ela aconteceu enquanto você olhava para o pódio. Ela aconteceu enquanto você se desesperava. Ela aconteceu enquanto você tentava roubar a vida de um outro alguém. E o que você queria, onde ficou? As …

Cuidado: drama queen

Eu sou dramática. É isso, ponto final. Eu sou dramática aqui, entre duas linhas, três vírgulas e milhares de pontos finais. Eu sou dramática no único espaço que aguentam meus dramas ou pulam meus textos. Eu sou dramática aonde não obrigo que me engulam, me aturem ou gostem de mim. É isso. Sou dramática com fins que não são meus, com começos fadados ao fracasso ou desamores fatais. E sou iludida em paixões sem futuro também. Sou aqui, toda banhada de amor em palavras, porque na vida real eu me escondo em comédias, mesmo quando quero chorar.
Eu sou dramática na escrita porque eu engulo sentimentos para não me machucar pelo menos três vezes por dia. Porque eu sinto demais em um mundo aonde sentem de menos. Porque eu vivi me escondendo para que as pessoas se mostrassem. Porque eu silenciei para que gritassem. Eu sou dramática, louca desvairada e exagerada em textos porque eu posso. Porque aqui ninguém me julga. E, se julga, não me machuca. Porque se tem um pecado que eu não cometo é obriga…

Sempre tem uma rasteira pra te deixar sem chão

Eu não queria começar com um título tão pessimista. Eu jurei para mim mesma, há uns dois, três ou dez meses, que eu nunca mais iria levar os tombos que eu venho tomando durante os 21 anos que estou por aqui. Não me entenda mal, é só que eu já levei muita porrada de gente para quem eu já dei muito a mão. Então, durante uma fase da minha vida, eu achei que eu estava blindada. Pode vir, tô pronta. Não tô. Porque é isso: sempre tem uma rasteira pra te deixar sem chão.

Enquanto eu achei que eu sacava tudo de amizade, eu comecei a considerar mais gente na minha vida. Porque, durante muitos anos, eu era uma garota de poucas amizades. Ou melhores amigos ou conhecidos. Eu não sabia ser só amiga. Eu queria ser amiga inteira, de levar em casa, apresentar família, dividir a vida. Mas aí, um dia qualquer, eu achei que eu podia deixar entrar. Podia dar algumas chances. Podia parar de ser tão desconfiada. As pessoas tavam ali - tentando. Eu podia tentar também.

Aí vem um baque. Depois dois. Três, qua…

O meu erro foi ter te amado demais

O seu beijo passou a ter gosto de adeus depois que viramos naquela rua de casas abandonadas e sem luz. Havia uma lâmpada no fim do túnel, mas, de alguma forma, a gente se viu em uma viela sem saída. A gente seguiu o caminho do mapa, pegou todas as instruções, mas conseguiu errar e chegar aqui do mesmo jeito. Eu fico tentando olhar para trás e me perguntar: aonde foi que eu errei? Logo eu, que fiz de tudo para acertar. De-um-tudo. Engoli meu orgulho, reorganizei meus planos, me vi em uma vida que não era minha. Por você. E, no fim dessa história, é no meu colo que a culpa recai. Só me resta chegar a uma conclusão: meu erro foi ter te amado demais.

O meu erro foi ter me rebaixado e te dado todas as armas para pisar no meu peito. Fui me envenenando com seus sorrisos amarelos, crente que um dia você voltaria a rir de verdade. Aguentei toda a rejeição que uma pessoa é capaz de aguentar. Vi você indo embora muito antes de ter arrumado as malas, muito antes de ter me dito adeus. Você já não e…

Aquilo tudo que dissemos

"Eu tô com medo". 
"Eu acho que eu tô gostando mesmo de você". 

"Eu te amo".
"Eu quero você". 
"Eu quero um menino com o seu sorriso".
"Eu quero uma menina com os seus olhos e ela vai ser a pessoa mais linda que todo mundo já viu". 
"E se a gente tivesse um cachorro também?". 
"Você é linda". 
"Vai ficar tudo bem?". 
"Calma, eu tô aqui".
"Eu quero ficar com você para sempre". 
"Quer casar comigo?". 
"Você nunca me entende". 
"Você nunca me escuta". 
"Vamos conversar?". 
"Tô assistindo, não tá vendo?".
"Sai daqui". 
"Se eu for, eu não volto".
"Eu nunca mais quero te ver".
"Eu odeio você". 
"A gente nunca deveria ter casado". 
"Se arrependimento matasse". 
"Acho que arrependimento matou (o amor)".
"Ela era louca". 
"Ele me fazia infeliz". 
"Ela parece bem"…