Pular para o conteúdo principal

Obrigada pelos bons tempos


Obrigada pelas cervejas divididas nos bares de esquina que você me levava. E pelas noites nos motéis baratos em que me abraçava e jurava que nunca iria partir. Obrigada pelos rolês errados e pelas noites certeiras em que nós não fazíamos nada, mas parecíamos mais felizes do que qualquer outro dia. Obrigada por te me apresentado seus amigos e ter me deixado fazer parte da sua vida mesmo quando você já sabia, no fundo, que eu não duraria muito tempo.

Obrigada por ter me feito sentir especial. Por ter aumentado meu ego. Por ter me acompanhado nos jantares de família, nos aniversários dos meus amigos e nas datas comemorativas que diziam que você deveria me amar. Obrigada pelas flores, mesmo que elas tenham morrido junto com todas as suas juras de um futuro que nunca chegou. Obrigada pelo amor que você nunca me deu de verdade.

Obrigada pelas risadas. Pelas tardes de domingo na sua casa, pelas segundas-feiras em que ficamos deitados no meu sofá. Obrigada pelos planos que não deram certo e pelas noites sem planos que acabaram na sua cama. Obrigada por ter me levado às alturas e por ter me jogado no chão sem paraquedas ou cama elástica lá embaixo.

Obrigada pelas pingas que me deu para experimentar. Pelos jogos de futebol que me fez assistir. E pelas peças de teatro que me levou. Obrigada pelo show da minha banda preferida. Por ter me aguentado gritando e desejando aquele homem em cima do palco mil vezes mais bonito do que você. E obrigada por ter me feito acreditar que não importava que ele tivesse mais beleza, você ainda era melhor que ele. (Quando, na verdade, não era).

Obrigada por ter cuidado de mim nos meus porres. Por ter me levado ao hospital por causa de qualquer gripe besta. E por ter entendido meu mau humor na TPM. Obrigada pelos remédios de cólica que comprou, sabendo como eu sofria com tudo isso. E obrigada por ter se importado quando eu quase morri do coração achando que tinha engravidado.

Obrigada por ter sido o melhor pior namorado do mundo. Por ter fingido tão bem, a ponto de me fazer imaginar uma vida toda ao seu lado, com cachorros, filhos e uma casa com churrasqueira. Obrigada por ter tentado, mesmo enquanto seu íntimo te pedia para correr e buscar qualquer outra coisa (ou pessoa) que não fosse eu. Obrigada por ter tentado fazer as coisas da melhor forma, mesmo que você tenha acabado da pior forma possível. Obrigada por ter me traído.

Obrigada por ter pedido desculpas. E por ter mentido dizendo que se importava com o meu coração partido. Obrigada por ter dito que não havia outra pessoa. E obrigada também por ter desfilado com ela tão cedo por aí. Obrigada por ter me ensinado um pouco mais sobre o amor e, ainda mais, sobre o desamor. Obrigada por ter ficado e, principalmente, por ter ido. Te agradeço mesmo, do fundo do meu coração, por ter batido a porta e me deixado destroçada entre os pedaços do nosso passado. Porque ainda que tenha doído, você me fez o favor de me arrancar da ilusão de algo que nunca foi. Então, amor, obrigada. Pelo gran finale dos nossos bons tempos: ter me livrado de você



*Título inspirado na música "Thank You For The Good Times" - Oasis. 

Comentários

  1. A-D-O-R-E-I hahahahahahahahaha
    arrasou como sempre ♥

    http://vidapreguica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente lindo. Adorei. Parabêns pelo seu trabalho.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo24/8/13

    lindo *-*

    ResponderExcluir
  4. Ni tá se especializando em tapas na cara
    sim ou claro?
    hahahahahahahaahahahhaahahahhahaah

    ResponderExcluir
  5. Ameeeeeeei demais meu Deus *--*
    Amo seus textos Karine, são perfeitos :*
    http://escrituras-da-alma.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Chorando com esse texto. Entrou no meu subconsciente e não pediu permissão? hahaha Arrasou!

    ResponderExcluir
  7. "Porque ainda que tenha doído, você me fez o favor de me arrancar da ilusão de algo que nunca foi. Então, amor, obrigada. Pelo gran finale dos nossos bons tempos: ter me livrado de você."

    estás a assustar-me a escrever tudo aquilo o que eu sinto ahah
    só faltou agradecer por me ter deixado agora... é verão em portugal e dá para curtir mais!

    adoro os teus textos como sempre, obrigada a ti do fundo do coração por partilhares a tua maravilhosa escrita!

    beijos (já sabes, de portugal) <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada a ti, Paula <3
      beijos do Brasil <3

      Excluir
  8. É triste quando as experiências da minha vida, batem de frente com a desse texto, em termos de identificação. Tenso demais.

    ResponderExcluir
  9. Perfeito. Amei demais, lindo texto!

    ResponderExcluir
  10. Giselle Schwindt26/8/13

    Karine sempre sendo tão EU! Maravilhoso, como sempre.

    ResponderExcluir
  11. Kah você sempre divando nos teus textos né? A parte que eu mais gostei foi essa ó: Obrigada por ter pedido desculpas. E por ter mentido dizendo que se importava com o meu coração partido. Obrigada por ter dito que não havia outra pessoa. E obrigada também por ter desfilado com ela tão cedo por aí. Obrigada por ter me ensinado um pouco mais sobre o amor e, ainda mais, sobre o desamor. Obrigada por ter ficado e, principalmente, por ter ido.
    obradoacaso.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha Muito obrigada, Nayra <3

      Excluir
  12. Me identifiquei, como sempre. hahaha
    Muito bom, adorei! :D

    ResponderExcluir
  13. What?! :O como assim?? Se apossou do meu ser e relembrou todo meu passado é isso msm produção? Tudo igual, os motéis baratos, as idas ao hospital, o pensamento em ter uma família, cachorro e churrasqueira. A traição, ele esfregando outra vadia na minha cara após 1 mês apenas de término, depois de viver 4 anos juntos.... Gran finale msm. Me livrei dele e principalmente da família falsa e hipócrita. Ô Glória!! HAHAHHAH Ja te disse Kah, mas não custa lembrar: Vc é a CARA!! BJOO

    ResponderExcluir
  14. Soberbo!

    Este tinha mesmo que comentar!
    Estou passando uma fase parecida na minha vida, mas não é relacionada com amor, mas sim com carreira.
    Te deixo o seguinte conto pois talvez te possa ajudar:

    "Conta-se que um camponês tinha um cavalo.
    Com ele fazia os trabalhos do campo.
    Um dia, o cavalo fugiu para as montanhas.
    Os amigos lamentavam-se ao camponês: Que azar!
    Mas ele respondia: - Azar? Sorte? Quem sabe?
    Um belo dia o cavalo voltou a casa, trazendo atrás de si outros cavalos selvagens.
    As pessoas diziam: - Que grande sorte! E o camponês: Sorte? Azar? Quem sabe?
    Estava um dia o filho do camponês domando um dos cavalos selvagens
    E este arrastou-o e ele partiu uma perna. O povo dizia: - Que azar!
    E o camponês: - Azar? Sorte? Quem sabe?
    Por aqueles dias, chegaram à aldeia empregados da junta de freguesia
    Para alistar no exército todos os jovens capazes e aptos.
    O filho do camponês, por ter a perna partida, ficou excluído,
    E pôde continuar a ajudar o velho pai.


    Sorte? Azar? Quem sabe? "

    Beijos e força!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …