Pular para o conteúdo principal

Eu não vou perder meu coração pra você

FOTO: KAIQUE GOMES

Eu tô pulando fora enquanto é tempo. Já escutei o grito de “Salve-se quem puder”. Tô me salvando porque, em todas as outras histórias, tentei resgatar meus pertences e afundei junto com o passado. Eu tô pulando fora e deixando tudo incompleto mesmo, deixando o livro inacabado, sem nem explicar nada a você. Aliás, eu tô é me salvando de você e desse barco que você sequer entrou

Desse filme eu cansei. Enjoei do enredo, do elenco e do desfecho final. “A porta da rua é serventia da casa”, meu coração diria. Mas se você não quiser sair, pode deixar, saio eu. Vou sem remorso algum, porque algum orgulho ainda me sobra. É preciso saber quando sair de uma história para continuar com a cabeça erguida

Vou enquanto é tempo, enquanto a lógica ainda tem força aqui dentro. Vou seguindo meu cérebro, que ele sabe o que faz. O coitado já perdeu guerras demais para o coração e depois me viu tentando deletar, sem dó, suas memórias. E se o cérebro manda “corre”, corro eu pra fora que é lugar seguro. Fecho as portas, porque eu sei bem que você não quer entrar. E, de visitantes ingratos, meu passado está cheio. Dessa vez, eu quero alguém que fique pra vida

Não, não é medo. É até coragem demais. É saber, depois de tantas quedas, qual caminho escolher para não levar mais mil rasteiras. Mas não é medo não. É só maturidade. Eu não tenho mais 15 anos. Chega uma hora que até eu, romântica que só, preciso aprender a me amar um pouquinho. E é só por isso que eu tô caindo fora. Tratando de me afastar de você

Pode me chamar de medrosa, fraca, boba, o que quiser. Eu me chamo é de precavida. Vem você quebrar a cara pra ver como é bom sofrer. Vem você remendar o coração com colas que não juntam, só enganam. Vem aqui, para o meu lugar, e me fala depois até onde você vai aguentar. Quanto a mim, eu tô pulando fora. Caindo no mar sem medo. Abandonando o barco e você

E é assim mesmo, sem ponto final

Tchau



Comentários

  1. '' Vem você remendar o coração com colas que não juntam, só enganam. Vem aqui, para o meu lugar, e me fala depois até onde você vai aguentar. Quanto a mim, eu tô pulando fora. Caindo no mar sem medo. Abandonando o barco e você

    E é assim mesmo, sem ponto final''

    que liiiiiindo <3

    ResponderExcluir
  2. Não sei como, mas os seus textos sempre coincidem com as coisas que estou passando. <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que eu leio sua mente <3 ahhahahahahahahha

      Excluir
  3. Muito bem escrito o texto, adorei! Chega uma hora que a gente tem que aprender mesmo a pular fora, antes que a gente cai e quebre a cara mais um vez...

    http://almostthemoon.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Louise
      E é isso mesmo!

      beijos

      Excluir
  4. Karine, seus textos são perfeitos, adoro lê-los!!!!!

    http://umatardefriadeagosto.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Janys <3333 Fico feliz!

      Excluir
  5. Esse conto é muito lindo! Estou começando a aprender isso agora... Beijos

    http://aquelediariosecreto.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Taysa ;D
      Espero que consigamos aprender ;D

      Excluir
  6. Nossa cara, não há o que falar dos seus textos Karine! Porque são completamente PERFEITOS, ameeeeeeeeei demais, aliás, não é novidade né!
    Parabéns puro talento!
    http://escrituras-da-alma.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn, sua fofa!
      Obrigadaaaaaaaa!

      Excluir
  7. ''Vem você remendar o coração com colas que não juntam, só enganam.''
    Ótimos textos como sempre *-*
    http://trancadoasetechaves.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Sem palavras. Karine sempre surpreendendo com seus textos maravilhosos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn, fico feliz em te surpreender ahah :D

      Obriga, Nathália

      Excluir
  9. nossa vc escreve muito bem parabéns flor vc ja tem uma nova leitora
    http://gihcomh.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Amo muuuuito seus textos e seu blog é tudo de lindo, também gosto bastante de escrever se quiser da uma olhadinha dps http://keziacezar.blogspot.com.br beijãozão :D

    ResponderExcluir
  11. Anônimo8/10/13

    Os textos são muito bons, mas, gostaria de ver es blog atualizado.. Demora muito.

    ResponderExcluir
  12. Anônimo9/10/13

    Esse texto foi pra mim, ta de parabéns mto bom ! *-----*

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …