19 de outubro de 2013

Não se preocupe, querida

Não se preocupe, querida. Não destruí seu armário, não rasguei suas roupas, não quebrei seus espelhos. A parte que você mais gostava da casa continua lá: intacta. Seus lençóis egípcios ainda enfeitam nossa cama, junto com as trinta almofadas que você gostava tanto de arrumar. Também não quebrei seus pratos de porcelana inglesa. Nem sequer os uso. Meus amigos, quando aparecem por aqui, gostam mesmo dos pratos brancos e de marca barata que comprei quando ainda era solteiro. Suas taças também ficam muito bem protegidas na cristaleira que me fez pagar em 24 vezes. Te juro: prefiro os copos de requeijão.

A Laurinha sentiu sua falta. Você sabe, ela ainda é nova demais para ficar sem a mãe tanto tempo. Chorou algumas noites, mas eu disse que você estava viajando. Falei que traria um presente, tudo bem? Não se esqueça. Já o Vitor, bom, talvez você demore a reconquistá-lo. Adolescentes, você sabe como são. Ficou revoltado com você, disse que te odeia, que não é mais seu filho. Contou que ficaria do meu lado. Tentei amenizar a situação, falei que havíamos decido tudo com calma, como o bom casal que sempre fomos. Mas, como você pode imaginar, ele não acreditou. Nem eu, para falar bem a verdade.

Ainda releio seu bilhete algumas noites, porque preciso me fazer acreditar em tudo o que aconteceu. Ainda sorrio com o seu "desculpa, eu me apaixonei. volto em breve". Você disse assim: "volto em breve", como se nós três fôssemos esperar com os braços abertos que sempre tivemos. Ou como se fôssemos entender seu surto, sem questionar sua ida, essa paixonite, as malas arrumadas e o silêncio. Você nunca nem ligou!

Laurinha irá te perdoar. Vitor também, eu acho. São seus filhos, ainda que você não tenha os colocado na equação. Também te perdoo. Não sei, acho que, no fim, nós éramos mesmo muito novos. Você nunca conseguiu crescer e assumir responsabilidades. Tudo bem. Espero que um dia você se arrependa. Tomara que um dia volte atrás.

Fiquei sabendo que ele é alto, sarado, surfista. Que trabalha como modelo e é muito bem relacionado. O tipo de cara que você gostava quando ainda estávamos na escola (nem sei porque foi acabar logo comigo). Disseram, também, que vocês frequentam a praia todos os dias. Uma parte de mim imaginava que você fosse largar tudo - casamento, casa e filhos - pra viver como a adolescente que sempre quis ser. Quis te procurar pra contar que o tempo passou, a idade chegou, você não tem mais direito a certas coisas. Mas quem sou eu além de um marido abandonado sem aviso prévio, não é mesmo? 

Sua mãe me disse que está com vergonha de você. Chorou, enquanto me abraçava, e ofereceu ajuda com as crianças. Agradeci, mas você sabe que sempre fui um bom pai. Achei que era bom marido também, mas as pessoas se enganam, não é? Pelo menos, tenho certeza que me enganei sobre você. Achei que era a mulher da minha vida, e olha só aonde viemos parar.

Mas tudo bem. Suas coisas continuam aqui, deixei tudo limpo e arrumado. Não me revoltei, nem tirei suas fotos dos porta-retratos que você tanto amava. Deixei expostas, para as crianças não se esquecerem. Para que eu não esquecesse também. Fica o aviso: olha lá em quem você vai confiar da próxima vez, hein!? Mas tudo bem, não se preocupe. 

Quando quiser voltar, pode vir. Será muito bem recebida. Terá vinho, abraços e o que mais quiser. À mim, deram educação e maturidade. Quando eu quero ir, eu também vou, mas me despeço. Agradeço o cuidado, o carinho, a preocupação, o tempo, o amor. Quando crescer e resolver encarar a vida, pode vir. Seus filhos irão gostar de te ver. Quanto a mim, prometo te devolver tudo: as roupas, os enfeites, as taças e as almofadas. Tudo o que deixou. Aliás, tudo não. Porque no meio do caminho, sinto te informar, querida: você perdeu meu coração.


Comentários
20 Comentários

20 comentários:

  1. Ai que texto mais lindo Kah, eu AMEI.

    (tá que eu sempre amo seus textos né? )

    Mas tá lindo mesmo, diferente e lindo. Parabéns ♥♥♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anwn, obrigada, Lariiiii! que bom que curtiu!

      Excluir
  2. Ótimo texto como sempre, Karine. Gostei da abordagem masculina. Aguardando os próximos textos dessa sua nova fase, rs <3

    ResponderExcluir
  3. Anônimo19/10/13

    Amei o texto.
    Karol

    ResponderExcluir
  4. Me emocionou, me fez imaginar a cena e os sentimentos envolvidos no texto.
    Amo quando você escreve do ponto de vista masculino.

    ResponderExcluir
  5. Boa sorte nessa nova fase de textos, Ká! Arrasou, como sempre <3

    ResponderExcluir
  6. Putz, me arrepiei .. Foda ! Meus parabéns ..

    ResponderExcluir
  7. Kah mandando ver nessa nova forma de escrever :) Parabéns ^^
    obradoacaso.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Que texto lindo Ká! Quando irá publicar um livro? Vou ser a primeira a comprar ^^
    obomeestarbem.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Simplesmente amei todo obtexto cada palavrinha que foi escrita

    ResponderExcluir
  10. Anônimo27/10/13

    Uau...!!

    ResponderExcluir
  11. você é sensacional, meu deus...escreve muito! (quem me dera chegar perto de ter um talento desse)

    ResponderExcluir
  12. Anônimo1/11/13

    Acompanho seus textos no Depois dos quinze, mas visitando seu blog fiquei ainda mais encantada! Parabens! Adoro cada um deles.

    ResponderExcluir
  13. Meus parabéns, ameeeeei o texto!

    ResponderExcluir
  14. Meus parabéns, ameeeeei o texto!

    ResponderExcluir
  15. Meooo Deuuuuuus, pra quê tanta perfeição ? S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L ! Sem palavras pra dizer o quanto amei !!! Parabéns pelo talento e por favor, pelo bem da humanidade, não pare nunca de escrever coisas incríveis como escreve.

    ResponderExcluir
  16. Meooo Deuuuuuus, pra quê tanta perfeição ? S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L ! Sem palavras pra dizer o quanto amei !!! Parabéns pelo talento e por favor, pelo bem da humanidade, não pare nunca de escrever coisas incríveis como escreve.

    ResponderExcluir

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)