Pular para o conteúdo principal

Tomara que seja amor

Tomara que ela saiba o que fazer quando você contar uma de suas piadas sem-graça. E que ela não te frustre ao dizer que você deveria parar de tentar ser engraçado. Tomara que ela veja que as covinhas na sua bochecha enquanto você fala fazem tudo valer a pena. Até a falta de riso. Tomara que ela veja isso.
Tomara que ela entenda seus ciúmes quietos. Sua mania de fechar a cara e fazer bico, mas não admitir por nada que o problema é o colega de trabalho que liga demais. Tomara que ela encontre as partes do seu corpo que mudam seu humor. E que descubra que um carinho na sua orelha faz desaparecer qualquer braveza.
Tomara que ela saiba fazer uma massagem melhor do que aquela que eu fazia. Que te abrace sempre que der. E que vá tarde da noite para a sua casa quando você ligar dizendo que está com saudade. Tomara que ela descubra logo como você gosta de surpresas. E como ama ser surpreendido em madrugadas vazias.
Tomara que ela entenda suas tristezas. E que ela saiba te deixar chorar saudades que você nunca vai superar. Tomara que ela entenda seus dias de mau humor, suas vontades repentinas de não sair e seus silêncios angustiantes sentindo falta das partes de si que foram e não voltam. Tomara que ela não fique sabendo que uma parte de ti ainda me ama.
Tomara que ela goste das suas comidas. Que não faça o tipo “modelete” que não come nada para manter o corpinho. Tomara que ela entenda que você gosta é de quem se esbalda sem culpa e aproveita a vida. Porque você curte mesmo é ter companhia na sua felicidade e de ter um riso leve ao lado das suas gargalhadas.
Tomara que ela segure sua mão como se não fosse soltar. E que ela saiba que você gosta mesmo é de pessoas que ficam. Porque já está cansado das pessoas que arrumam as malas e vão. Tomara que ela não desista. Que vocês não briguem tanto. E que tenham o suficiente para continuar juntos. Tomara que ela não seja como eu.
Tomara que as diferenças não sejam tantas. Tomara que vocês não batam tanto de frente. E que consigam ficar juntos para sempre. Tomara que ela te faça feliz e tomara que você saiba fazê-la feliz como me fazia também. E, de tudo o que eu te desejo na vida, isso é o mais importante: tomara, de verdade, que seja amor. Um pouquinho, um terço sequer do que era com a gente. Tomara que reconstrua as partes quebradas do seu coração. Porque, aí então, eu dormirei tranquila ao saber, amor, que te entreguei em boas mãos.

Texto publicado no blog Depois dos Quinze no dia 09/10/2013

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …