Pular para o conteúdo principal

Quebra de contrato


Uma das regras pra isto dar certo era eu não te amar. Não ter essa necessidade louca – quase doentia – de te ligar às 16h45 de uma segunda-feira só para te contar uma besteira do meu dia. Para a coisa engrenar, eu tinha que abominar essa saudade que sinto da sua voz. Tinha que achar ridículo esse seu jeito bobo de me fazer sorrir por qualquer coisa, independente do meu humor. Tinha que rir dessa minha mania de te olhar e ficar assim: toda boba.
Para ir pra frente, tinha que ser só corpo no corpo, olho no olho, boca na boca, louca paixão. Tinha que ser fácil, simples, rápido, leve. Tinha que ser tudo aquilo que as pessoas esperam quando saem por aí procurando qualquer coisa – qualquer coisa! – menos amor. Porque, afinal, quem é que quer estragar tudo colocando sentimento onde até então nem existe nada? Quem é babaca de querer estragar o que, até ontem, a gente tinha?
Para você sair ileso, já te aviso, a gente tinha que ter aquele ar eterno de facilidade dos rolos de finais de semana. Das ligações só de vez em quando. Das mensagens a cada quinze dias. A gente tinha que ser uma daquelas pessoas que conseguem carregar a leveza de amizades coloridas, casos sem importância, pegar-só-por-pegar. Para não ter erro, a gente não deveria nunca ter virado um casal.
Tava no contrato, simples, claro, óbvio: “nem inventa de colocar sentimento”. “Não repete o mesmo script de todos os seus outros relacionamentos inacabados”. “Foge desse problema enquanto é tempo”. Mas eu não li as letras miúdas, não acreditei nas cláusulas, não entendi o peso da minha assinatura na página final. Descumpri as regras e agora pago os erros de ser uma dessas coitadas que não conseguem separar razão de emoção.
Uma das regras pra isto dar certo era eu não te amar. Era não ter enfiado amor, carinho, preocupação, cuidado, saudade, atenção. Era eu ter deixado bem longe os ciúmes, as neuras, os problemas, o sofrimento, o desespero. Era eu ter fugido da vontade de te ligar, te ouvir, te ter na minha rotina, no meu dia, na minha vida. Mas quem foi a babaca que resolveu colocar amor na equação? Coitada! Agora só me resta pagar a multa por ter confiado no doido do meu coração.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Cansei de brincar de ser trouxa

Eu cansei das mensagens visualizadas e não respondidas. De ter que estar pronta pra quando você quisesse, mas nunca poder contar com sua presença quando eu queria. Eu cansei de ser sempre tudo do seu jeito, de mendigar sua atenção, de tentar me encaixar entre um horário e outro da sua agenda, de me esforçar pra caber nuns buraquinhos esquecidos da sua vida. 
Cansei das idas e vindas, cansei da falta de atitude, cansei das vezes em que você disse que eu era tudo o que você queria, só não era agora, só não era a hora. Eu cansei de escrever sobre você, de dizer que ia te esquecer, de voltar atrás, de tentar mais um pouco, de insistir mais um tanto. Eu cansei naquela noite em que você não voltou. Naquele silêncio em que a gente não dividiu. Na madrugada inteira que você não me aqueceu e eu morri de frio. 
Eu cansei depois daquele seu olhar vazio quando eu apareci de surpresa. Eu cansei de achar que era você, e era eu, você só não sabia. Porque, quando é, a gente sabe desde o começo. Eu cans…