Pular para o conteúdo principal

Vê se se cuida


Vê se não esquece de tomar seu remédio duas vezes por dia. Não cancela os alarmes que programei, que senão você nunca mais lembra, cê sabe. Tenta não esquecer de fazer refeições mais saudáveis – o médico pediu para você maneirar se quiser se ver livre da gastrite nervosa. Coloca salada no prato, pelo amor de Deus. Ou por amor a si. Ou pelo amor que você já teve por mim. Não importa, só tô pedindo para você deixar um pouco o bacon de lado e tentar descobrir as vantagens do alface. Tô só te pedindo isso: nem que seja forçado, se cuida.

Tenta dormir umas 8 horas por dia. Esquece essa mania insana de querer abraçar o mundo com esses braços curtos que cê tem. Você é nova, não precisa querer fazer tudo de uma vez. Eu sei que a vida passa rápido, que o tempo corre, que ontem você era uma criança e amanhã já vai ter quase quarenta, mas quem se importa? Ficar nessa neura de querer realizar tudo – agora! – ainda vai acabar te matando.

Eu sei que você sempre amou essa coisa maluca da cidade grande, mas pisa no freio de vez em quando. Pega a estrada e vai pro campo. Visita aquele hotel fazenda que a gente costumava frequentar. Ou procura outro pra não acabar esbarrando comigo pelos lugares em que a gente foi feliz. Mas procura um lugar em que te lembre que ok ser mais calma. Lembra que você precisa disso uma vez ou outra.

Liga para sua mãe se precisar chorar. Ou para o seu pai. Ou para aquela amiga de infância. Agora que eu não estarei aí, não hesite em pedir ajuda. Ou, se não tiver quem procurar, me liga. Não tem problema, pode me ligar. Eu te amei um dia (e, de algum jeito estranho e escondido, ainda te amo), não vou desligar na sua cara. Só não segura tudo isso. Não segura todas as dores. Nem fica achando que você precisa seguir o estereótipo de mulher feliz e jovem e alegre que a publicidade vende nos comerciais de margarina. E nem por um segundo pense que, só porque a gente não tá mais junto, eu deixei de me importar.

 Olha para os dois lados antes de atravessar a rua. Avisa aos outros pra onde você tá indo. E começa a ligar pras pessoas só pra lembrar que você tá viva. Tenha mais cuidado ao se jogar de cabeça em todas as relações que encontra. E poupa um pouco seu coração pra ver se você acha, finalmente, um cara que te mereça – como eu não soube merecer. E vê se se cuida, amor. Que é desesperador pensar que eu, logo eu, não vou mais cuidar. 

Comentários

  1. Liga para sua mãe se precisar chorar. Ou para o seu pai. Ou para aquela amiga de infância. Agora que eu não estarei aí, não hesite em pedir ajuda. Ou, se não tiver quem procurar, me liga. Não tem problema, pode me ligar. Eu te amei um dia (e, de algum jeito estranho e escondido, ainda te amo), não vou desligar na sua cara. Só não segura tudo isso.

    Como pode, parece que você vive aqui dentro, escreve exatamente tudo que eu queria dizer . :)

    ResponderExcluir
  2. [...] Tenta dormir umas 8 horas por dia. Esquece essa mania insana de querer abraçar o mundo com esses braços curtos que cê tem. Você é nova, não precisa querer fazer tudo de uma vez. Eu sei que a vida passa rápido, que o tempo corre, que ontem você era uma criança e amanhã já vai ter quase quarente, mas quem se importa? Ficar nessa neura de querer realizar tudo – agora! – ainda vai acabar te matando. [...]

    Tão eu e essa minha mania de tentar alcançar todas as metas loucas que eu invento. Enfim Kah amo a forma como você escreve e desde já, confesso que sou super sua fã!

    ResponderExcluir
  3. Oi karine, amei seu blog, trabalho muito bom na blogsfera. já estou seguindo, se desejar conhecer os meus será um prazer. Bjuss

    ResponderExcluir
  4. Nossa é simplesmente lindo, como todos os outros <3

    ResponderExcluir
  5. Tá faltando um link pra poder compartilhar direto no twitter... AMEI!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hm, vou providenciar, bele? :D

      Excluir
  6. Que lindo esse texto, você sabe como se expressar ein....

    http://diariodosonhosde2girls.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Incrível como seus textos fazem a gente parar e pensar: caraca, isso aí serve pra mim ein! ou praquela pessoa que a gente encontrou em algum momento da vida, e talvez não conheça mais.
    Sempre excelente, Karine!

    http://curly-moments.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Ana <333 mesmo!

      Excluir
  8. Karine, te conheci, ou melhor, conheci seus textos através do blog Depois dos Quinze e me identifiquei muuuito! Nem é só com os assuntos sabe? Foi com essa escrita de linguagem simples e gostosa que faz com o que a gente lê pareça mais real e sincero. Simplesmente amei a simplicidade da coisa. Muito sucesso!

    ResponderExcluir
  9. Alguém termina comigo com uma carta assim, por favor?
    http://ladydarkangel13.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahaha não, sem terminar hahaha :D

      Excluir
  10. Dê uma passada no nosso blog, aproveite e segue que seguimos de volta
    http://estiloecappuccino.blogspot.com.br/2014/05/quarteto-de-sombras-esika.html

    ResponderExcluir
  11. A carta é linda, mas eu nunca quero receber algo assim - principalmente se eu gostar muito da pessoa em questão. mas acho que é uma maneira triste e bonita de se terminar com alguém.

    http://www.entreosmeusdramas.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coisas pelas quais a gente passa na vida, mesmo sem querer de vez em quando :(

      </3

      Excluir
  12. Karine,
    Queria saber se tem algum jeito de não se apaixonar por qualquer coisa que você escreve.
    Seus textos são tão.. humanos, meu Deus!
    C,
    www.caixa-a-a.com

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Karine, meu Deus, você escreve muito bem, de uma forma leve e simples você mostra (para meninas da minha idade) que a gente não vive nessa "redoma", nesse mundinho que estamos costumadas a viver, e que vamos encarar muitas surpresas da vida pela frente! Parabéns, por conseguir cativar tanta gente com seu jeito de escrever!
    Se puder, visite meu blog: http://www.thaiflores.blogspot.com.br/
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  15. Anônimo13/7/14

    Uma lágrima rolou aqui .. rs. Escreveu do jeito que uma pessoa fala essas coisas pra mim :/

    ResponderExcluir
  16. "Que é desesperador pensar que eu, logo eu, não vou mais cuidar. " Aquilo que queria falar e to sem coragem...

    ResponderExcluir
  17. Anônimo17/7/14

    "E nem por um segundo pense que, só porque a gente não tá mais junto, eu deixei de me importar." Coisa mais linda que li em muito tempo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …