5 de julho de 2014

É difícil escrever sobre o amor

É difícil escrever sobre o amor porque parece que tudo sobre o amor já foi falado. E ainda mais sobre o desamor. E todas as dores, e todos os choros, e todas as brigas. Tudo já foi vivido. E falar sobre o amor é, aparentemente, uma eterna repetição. É falar do amor até quando o amor não existe. E o problema de escrever sobre algo até a exaustão é que todo mundo acaba um pouco cansado de ler sobre o amor. 

É difícil escrever sobre uma coisa que cansa.

É difícil escrever sobre o amor em tempos de guerra. Em tempos de Copa. Em tempos de eleição. Em tempos de posts enormes no facebook falando sobre qualquer coisa que, no fundo, eu não quero ler. Aliás, é difícil escrever sobre qualquer coisa em tempos em que as pessoas não sabem mais apenas ler algo, não gostar e seguir a vida. Elas precisam falar que não gostam e escrever respostas e fazer colunas e...aquilo tudo que dá tanta preguiça. Meu Deus, aonde eu estava com a cabeça quando eu resolvi gostar de escrever?

É difícil escrever e, mais, escrever sobre algo que eles dizem ser fútil. É difícil escrever sobre o amor porque sempre acham que falamos do nosso amor e, portanto, das nossas dores, das nossas traições, dos nossos chifres, das nossas lágrimas e dos nossos amantes. Sem entender que, na verdade, é tudo mesmo um pouco nosso, ainda que seja bem mais seu, ou dele, ou dela, ou de ninguém. Porque escrever sobre o amor é viver um pouco o amor que a gente nem viveu. 


É difícil escrever sobre o amor porque eu me questiono diariamente se eu posso dizer, sequer, que eu escrevo. Ou só se uno umas palavras e publico textos que nunca deveriam ser lidos. 


É difícil. E hoje eu queria falar sobre isso. 


Mas eu insisto.


Ainda que questionem. Ainda que achem fútil. 

Ainda que não entendam nada.
Ainda que achem sempre que é sobre mim.
Ainda que pensem que eu sou só mais uma babaquinha com dor de cotovelo que resolveu falar sobre seus chifres. 

Eu escrevo sobre o amor porque eu realmente acredito que o amor (em todas as suas formas) é o início de todas as soluções do mundo.


Eu escrevo sobre o amor porque eu realmente acredito que a gente só vai chegar a algum lugar quando aprender a amar o outro. E, por isso, aprender a se respeitar de verdade. 

Eu escrevo sobre o amor porque eu ainda tenho que acreditar em alguma coisa bonita no meio de uma imensidão de coisas feias.


E se eu sou uma babaca por acreditar em tudo isso: que seja.


Sou uma babaca. E eu escrevo sobre o amor.


Lidem com isso. 



Comentários
18 Comentários

18 comentários:

  1. Adorei o texto!! Aliás, adoro a forma como você usa as palavras, tão simples e ao mesmo tempo bem trabalhado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada <3
      Fico bem feliz em ler isso!

      Excluir
  2. "Meu Deus, aonde eu estava com a cabeça quando eu resolvi gostar de escrever?" - me descreve essa frase. Amei o texto, voce escreve tão bem e todas as vezes que leio um dos seus textos me dá uma sensação boa hehe.
    Beijos
    Dezesseis de Volta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Dani!
      E onde estávamos com a cabeça, não é mesmo? hahaha

      Beijos

      Excluir
  3. Lindo Karine,acho tão difícil falar de amor também,mas é o melhor assunto pra se escrever porque como você disse ''Eu escrevo sobre o amor porque eu realmente acredito que o amor (em todas as suas formas) é o início de todas as soluções do mundo.''disse tudo!!
    http://trancadoasetechaves.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o que eu acredito. Se somos babacas, somos babacas e pronto, né? ahahah :D
      Beijão

      Excluir
  4. Viviane7/7/14

    Amo,amo e amo ler textos sobre o amor!! Continue escrevendo sempre Ka pois como vc mesma disse: o amor (em todas as suas formas) é o início de todas as soluções do mundo.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. <3 Que linda!
      Continuo e espero você por aqui mais vezes!
      Bjs

      Excluir
  5. "Ainda que achem sempre que é sobre mim.
    Ainda que pensem que eu sou só mais uma babaquinha com dor de cotovelo que resolveu falar sobre seus chifres."

    Meus stalkers deveriam ler esse texto! Definitivamente, você tem algum problema! Não é possível que escreva tão bem sobre coisas que eu me identifico até com as vírgulas. Sou apaixonada pelos seus textos! <3

    Beijoo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. <3 As pessoas podiam entender que nem sempre é sobre a gente, né?
      Que bom que gosta, fico feliz!

      Beijo

      Excluir
  6. Karine! *-* Hey, tudo bem? Acompanho sempre seu blog e seus textos são muito bons! E por isso indiquei você a um prêmio!!! Confira! :) > http://unsfalamelaescreve.blogspot.com.br/2014/07/very-inspiring-blogger-award.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MUITO obrigada :D
      Adorei a indicação, sério msm!

      Valeu!
      Beijão

      Excluir
  7. Texto lindo! Lindo e, ao mesmo tempo, sincero e reflexivo. Em tempos de coisas efêmeras e sem graça por que se preocupar com amor? Ou ler sobre o amor? Muito menos escrever sobre o amor. É preciso coragem e criatividade, e isso você provou que tem de sobra!

    Adorei!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Anônimo14/7/14

    Texto lindo Ka,amei está de parabéns <3 beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi queria saber como foi a esperiência de escrever o primeiro texto e criar um blog?

    ResponderExcluir
  10. Nao responde essa primeira pergunta que eu te fiz obrigada!

    ResponderExcluir
  11. Ka, parabéns . Adoro a forma que você escreve. É simplesmente perfeita a forma que você usa as palavras. Posta mais aqui. Você tem futuro menina.
    Se poder conhecer o meu blog... www.elasfashionistas.com.br
    Beeeeijos :*

    ResponderExcluir
  12. Karine! O que dizer além de "Obrigada" por esse texto? Ou melhor, agradeço por todas as vezes que você sentou em frente ao computador e dividiu com a estratosfera digital as suas dores, angústias, medos... Eu acompanho milhões de blogs, eu leio tudo e qualquer coisa nessa vida, mas poucas coisas me fazem sentir uma aperto no coração, uma saudade de sei lá o quê, uma nostalgia doida, um medo misturado com confiança que vai dar certo, como os seus textos fazem.

    ResponderExcluir

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)