Pular para o conteúdo principal

Se você tivesse dito sim

Poderíamos estar deitados em uma rede, no meio de uma praia qualquer, curtindo a vida e nos amando. Às vezes me pego pensando nesta imagem: como seria se você tivesse dito sim. Será que estaríamos juntos? Ou nosso namoro não ia vingar e acabaria rápido? Será que acabaria bem e continuaríamos amigos? Será que acabaria?

Ainda penso naquela noite em que demos o primeiro beijo. Você estava linda, como sempre, mas de um modo diferente. Era claro que algo havia mudado em você. Talvez, depois de tanto tempo, tinha aceitado a ideia de que fomos feitos um para o outro. Talvez tivesse entendido que, apesar de todas as garotas que tive e de todos os caras da sua vida, era a hora, finalmente, da nossa história. Porque eu estava pronto para nós dois. E quis acreditar que você também estava.

Foi aí que me enganei. A nossa vida, as nossas viagens românticas, os jantares, eram coisas com as quais só eu sonhava. Coisas que só eu queria. Naquela noite, no primeiro beijo, lembro de pensar: é isso, consegui! Seu sorriso, seu olhar...algo neles dizia que você estava na mesma página que eu.

Mas, no fim, você nunca quis. E eu nunca soube se teríamos sido incríveis. Nunca soube se teríamos nos amado até dizer chega. Nunca soube se estaríamos juntos até agora. Se teríamos uma vida construída em cima de um amor intenso de colegial.

Porque você não disse sim. Mas me fez entender, muito bem, o seu não.


Comentários

  1. "Cada escolha uma renúncia", né? O problema é que nem sempre a escolha é nossa. Aí fica a dúvida do que poderia ter sido... Amei o texto, Paula. Continue escrevendo que continuarei acompanhando ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Aline! Às vezes os outros escolhem o oposto do que a gente escolheria... Muito obrigada por acompanhar, mesmo!

      Excluir
  2. Poxa, sinceridade em todas as suas palavras.. Tô acompanhando todos os seus textos ^^ por mim passava o dia lendo eles..parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, Adriele, que felicidade ao ler esse comentário! Muito obrigada mesmo!!

      Excluir
  3. Nathalia Pimenta25/10/14

    Sensacional! Parabéns mais uma vez, amoor!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …