Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2014

Parabéns pra você, Kah!

Às vezes faltam palavras até pra quem ama escrever. E, bom, pra desejar um feliz aniversário pra alguém como a Karine Rosa palavras não são suficientes. Talvez até sejam, mas ironicamente a única pessoa que penso que seria capaz de escrever um texto tão bonito quanto gostaria... é ela. A aniversariante do dia!

Mas posso tentar, né?

Se você é leitora da Kah há um tempo deve imaginá-la como doce, romântica, frágil e determinada... Mas não. Ela passa longe de ser só isso. É uma das pessoas mais ‘completas’ que eu já conheci. Ela é chuva e sol, preto e branco, praia e montanha, furacão e calmaria. Ela é romântica de dedo podre, é fortemente frágil e racionalmente emotiva. É ‘a’ e ‘z’, 8 ou 80, às vezes um 40, mas também pode ser 800.

A Kah é uma pessoa que me faz acreditar em mundo melhor, sabe? Aquela pessoa que te faz acreditar que as coisas realmente valem a pena, que ainda existe amor. Se existissem mais KarinE’s no mundo, ele seria um lugar quase perfeito. No meu mundo existe uma,…

Pergunte ao meu coração

Pergunte ao meu vizinho. Ele escutou uma porrada de músicas melancólicas nas últimas semanas. Até estranhei que não tenha ligado para saber se tudo estava bem – ele fez isto uma vez. Acho que agora simplesmente se acostumou e ignorou minha depressão momentânea. Uma hora passa, ele pensou. E escutou uma porrada de músicas, uns dramas, choro, muitos gritos, cada coisa triste. A cena é sempre dramática – às vezes, quase patética – quando se trata de corações partidos por aqui. 
Pergunte aos meus amigos. Eles ouviram, coitados, cada lamento, cada história, cada reclamação. Eles respiraram fundo e tiveram paciência enquanto você escapava de mim. Eles seguraram a barra quando cê cansou de brincar de casinha e resolveu que qualquer merda era melhor que nós dois. Pergunte a quem ficou quando você foi. A quem aguentou quando você largou o peso e deixou todos os restos acumulados nos meus ombros. Pergunte a quem prometeu, mas não deixou de cumprir.
Pergunte aos meus pais. Lembra-se deles? Te amar…