Pular para o conteúdo principal

Sem tocar no seu nome

Outro dia me perguntaram sobre você. Quis dizer um tanto de coisa. Quis dizer que uma hora cê voltava. Que a gente voltava a ser como antes. Que ainda dava tempo, que ainda dava jeito, que ainda tinha salvação. Aí caí em mim e vi que não tinha. A gente passou da hora. 

Sem volta.

Finito.

É difícil dizer adeus pra algo que a gente queria tanto ainda na vida. Mas acho, de verdade, que a gente só amadurece mesmo quando começa a deixar as coisas – e as pessoas – irem. Sabe? Como dizia Caio: let it go. Deixei você ir mais por vontade sua do que minha. Mas também talvez mais por orgulho meu do que seu. Mais pela vida, sei lá. Às vezes, as coisas acontecem como tinham que acontecer.

Mas, escuta, não lembra de mim com raiva, viu? Não guarda tanto rancor. Se perguntarem de mim, não precisa comentar com carinho, mas tenta lembrar os momentos bons. Porque teve momentos bons, não teve? A gente foi amiga quase até o fim. É só que desandou.

Mais uma vez, pensei em escrever um email de despedida. Desisti no meio do caminho. Acho que, pra você, a gente já se despediu há tempos. Quem ainda precisava da cerimônia de adeus era eu.

Por isso: fica com Deus. Sucesso, viu? Que você alcance seus sonhos, que conquiste tudo aquilo que sempre quis. Aqui, de longe, ainda torço. E te guardo: com um carinho enorme, desses que a gente só tem por quem já foi muito importante na vida. E cê foi na minha, cê sabe que foi. Sabe que, de algum jeito, ainda é, sempre vai ser.


(Mesmo que, a partir de agora, como eu prometi, eu não toque mais no seu nome).


       ____________________________________________

Desculpem pelo sumiço, pelo abandono e por tudo mais. Alguns probleminhas pessoais me deixaram afastada de tudo, mas volto aos poucos, ok? Obrigada pelo carinho de sempre. 

Comentários

  1. Anônimo26/3/15

    Que bom que voltou, Karine!
    Adorei o texto... Como sempre!
    Apareça mais. Faz falta aforgar-me em suas palavras.
    Beijos,
    Mart Reff (sentimentalismodesmedido)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Voltei! Obrigada pelo carinho!

      Beijão

      Excluir
  2. Que saudade de abrir meu e-mail e encontrar um texto seu, as vezes eu vinha no blog para me certificar de que realmente você não publicou nada. Quando eu o abrir hoje e vir o seu texto, eu fiquei muito feliz, e pelo texto acredito eu que você tudo, sem nenhuma ferrugem. Parabéns Kah, o texto tá lindo, fascinante. Não sumi mas não. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que bom que curtiu!
      Tentarei não sumir mais!

      Obrigada, beijos!

      Excluir
  3. Kaaaaaaaaah ainda bem que você voltou, cê não sabe como é bom abrir seu blog (coisa que faço todo dia kkk) e vê um texto seu!
    Não some tá? Sei que a vida é difícil e que da vontade de sumir, mas lembra que tem gente aqui que ama você e que precisa de você como eu preciso, posso não te conhecer e você pode nem fazer ideia de quem eu sou, mas quando leio seus textos sinto como se vc fosse uma amiga de tempos..
    Obrigada Kah, por não desistir! Beijo da sua fã número 1 :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fofa!
      Voltei só pq sei que umas duas ou três almas ainda davam uma passada por aqui em busca de texto novo.
      Obrigada pelo carinho!

      Beijos

      Excluir
  4. Que despedida linda. (Eu interpretei como despedida pelo menos HAHAHAHA).
    Parabéns, você escreve muito bem.

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Despedida mesmo :/

      Obrigada!
      Bjos

      Excluir
  5. Aeeeew texto novo!
    Pessoa já volta matando a gente de amor <3333
    Que texto lindo, Kah! Sensacional!
    :*

    ResponderExcluir
  6. Finalmente Karine ! Já não aguentava mais vir aqui e ver que não tinha texto novo , fiquei relendo os antigos pra me contentar hahaha
    Não some de novo, tem gente aqui que realmente sente falta dos seus textos (esse ficou maravilhoso, por sinal). <3

    umpoucodesorte.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahah Desculpa pelo sumiço e obrigada!
      Vou tentar dar um gás aqui de novo!

      Beijos

      Excluir
  7. Anônimo2/4/15

    Graças a deus um textinho! Tá muito bom como sempre. Não some mais guria :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha Desculpa :(

      Obrigada!

      Beijos

      Excluir
  8. Viviane5/4/15

    AEEEE!!!! Super feliz que o blog voltou a ativa Kaa!! Sempre vinha aqui em busca de texto novo e até pensei que você tinha parado com esse blog e feito um outro por algum problema de plataforma e talz.... Ficava relendo os textos antigos favoritos <3....E vê se não some mais hein menina! Sentimos sua falta (e a dos seus textos maravilhosos tb!)!! <3 <3 <3 Beeijos e um 2015 incrível pra vc!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Cansei de brincar de ser trouxa

Eu cansei das mensagens visualizadas e não respondidas. De ter que estar pronta pra quando você quisesse, mas nunca poder contar com sua presença quando eu queria. Eu cansei de ser sempre tudo do seu jeito, de mendigar sua atenção, de tentar me encaixar entre um horário e outro da sua agenda, de me esforçar pra caber nuns buraquinhos esquecidos da sua vida. 
Cansei das idas e vindas, cansei da falta de atitude, cansei das vezes em que você disse que eu era tudo o que você queria, só não era agora, só não era a hora. Eu cansei de escrever sobre você, de dizer que ia te esquecer, de voltar atrás, de tentar mais um pouco, de insistir mais um tanto. Eu cansei naquela noite em que você não voltou. Naquele silêncio em que a gente não dividiu. Na madrugada inteira que você não me aqueceu e eu morri de frio. 
Eu cansei depois daquele seu olhar vazio quando eu apareci de surpresa. Eu cansei de achar que era você, e era eu, você só não sabia. Porque, quando é, a gente sabe desde o começo. Eu cans…