Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2015

Tem amor, pequena

Tem um pouco de sol atrás das nuvens – você vai achar se olhar bem, pequena. Tem um pouco de carinho na gaveta do armário: deixei ali na minha última visita pra você encontrar na madrugada de uma terça qualquer, quando doer. Tem um pouco de nós dois em cada uma daquelas fotos antigas que cê guarda naquele seu mural cheio, na parede do quarto. Tem um tanto da gente nas doses diárias de ligações e mensagens. E tem amor, pequena. Tem sempre amor, um bocado, em qualquer canto que cê olhe e que eu olhe. Amor não há de faltar, daqui ou daí, nunca.
Tem saudade, pequena, é verdade. E eu pensando como é que cê tá aí do seu lado do mundo. E eu pensando que, ah, eu queria você aqui do meu. Tem uns choros escondidos no banheiro quando eu penso que ainda demora pra você voltar, meu bem, mas aí eu lembro que alguns amores aguentam. E o nosso é desses: daqueles que aguentam o que vier. E já veio tanto, não veio?
Tem uma certeza, pequena, que eu nem sei se devia ter. A gente não devia dar certeza quan…

O problema é o que fica

Era pra este ser um texto feliz. 
Não era pra ser sobre você, de novo você, de novo as mesmas despedidas, de novo o mesmo adeus. Mas decidi que vou fazer texto sobre o fim até fechar o livro de vez. Assim, sem me julgar por mastigar dores, ou imaginar como seria você aqui, ou ainda sentir um tico de raiva de como as coisas foram. Disseram por aí que "este é o problema da dor. Ela precisa ser sentida" (A Culpa é das Estrelas). Eu completo: algumas vezes, o adeus também precisa ser dito, gritado, escrito: em letras garrafais.
Mas este não é um texto triste.
Este é um texto sobre recomeços. 
Você sabe qual o problema com eles? Não é o que vai. Não é você que foi. Isso dói no fim, isso dói na despedida, isso dói na briga, isso dói um dia após, dois, três. Depois de todo este tempo, não me dói mais você. Me dói o que ficou. Me doem as lembranças, me doem as fotos espalhadas pelo quarto, me doem as memórias postadas em todas as nossas redes sociais. Me doem as perguntas que ainda faze…

O fim nunca é

Você foi embora. Assim, sabe? Sem toque poético ou despedida artística ou um daqueles abraços de meio de filme em que a gente diz: se um dia quiser voltar, volta. Você foi embora. Simples. Seco. Do jeito que o correr do cotidiano foi nos deixando. Arrumou as coisas e foi como vai um qualquer depois que cansa e não tem mais nada a dizer. E a gente não tinha, não é? As palavras foram todas caladas numa mistura de fim e de começo. Eu vou ter que aprender a ficar sem você.
Você foi embora. E eu não tenho muito o que dizer. Que amores acabam? Porra. Sabia disso no começo? Amores acabam, porra. E, depois que acabam, o silêncio que fica é insuportável. Meu cachorro late te procurando e eu olho com aquela cara de dó de quem olha o marido traído que é o último a saber. Sabe? Como eu conto pra ele que você não vai voltar? Como eu conto isso pra mim?
Ele foi embora.
E essa nem é a parte que dói. Talvez seja só a parte que alivia. O que doeu foi todo o resto. Antes dele ir, sabe? Doeu durante os gri…

2015: o ano em que eu quis sumir

Eu sumi. Dizem. Por dois ou três meses, me escondi em mim, dei uns perdidos na vida, não quis conversar, não quis contar nada, não quis saber da vida de ninguém. Me concentrei em mergulhar na imensidão de dúvidas que eu vinha abafando já há um bom tempo: o que eu quero da vida, quem eu quero ser, o que eu quero fazer daqui pra frente, por que eu nunca sou boa o suficiente pra ninguém ou pra nada, por que dói se devia estar tudo bem? Eu precisava me encontrar com um “eu” que não queria ver pra tirar certas coisas a limpo.
Pra ser sincera? Andava um pouco me culpando pelas escolhas que fiz, pelas pessoas que deixei escapar, pelos caminhos que tomei. Andava ficando meio amargurada, sabe? E não tava bem, não tava. Fugi dos outros não pelos outros – por mim. Eu estava mesmo um saco, eu sabia, e ninguém tinha que aturar, ou entender, ou aguentar. Certos monstros são só nossos – a gente que tem que saber lidar. E eu não tava sabendo.
Eu sumi, dizem. Fui resolver uns problemas comigo, fui enten…