Pular para o conteúdo principal

O fim nunca é

Você foi embora. Assim, sabe? Sem toque poético ou despedida artística ou um daqueles abraços de meio de filme em que a gente diz: se um dia quiser voltar, volta. Você foi embora. Simples. Seco. Do jeito que o correr do cotidiano foi nos deixando. Arrumou as coisas e foi como vai um qualquer depois que cansa e não tem mais nada a dizer. E a gente não tinha, não é? As palavras foram todas caladas numa mistura de fim e de começo. Eu vou ter que aprender a ficar sem você.

Você foi embora. E eu não tenho muito o que dizer. Que amores acabam? Porra. Sabia disso no começo? Amores acabam, porra. E, depois que acabam, o silêncio que fica é insuportável. Meu cachorro late te procurando e eu olho com aquela cara de dó de quem olha o marido traído que é o último a saber. Sabe? Como eu conto pra ele que você não vai voltar? Como eu conto isso pra mim?

Ele foi embora.

E essa nem é a parte que dói. Talvez seja só a parte que alivia. O que doeu foi todo o resto. Antes dele ir, sabe? Doeu durante os gritos, durante as brigas, durante os choros descontrolados. Doeu nos jantares em que ele não apareceu, nos encontros entre amigos em que fui sozinha, nas madrugadas em que esperei e ele não deu as caras. Doeu nos dias em que eu estava tão cansada pra encarar tudo que me esqueci no trabalho até tarde da noite. E nos almoços de família em que eu não tirei o sorriso pra ninguém reparar. Doeu quando eu vi que não tinha mais jeito, doeu enquanto eu achei que ainda tinha, doeu enquanto a gente tentou se salvar e tirar a água do barco furado.

Doeu pra caralho.

Mas o depois, o depois do fim é até libertador. Quando você arrumou as coisas e foi. E eu quase te amo de novo pela coragem. Abandonar um amor é sempre se abandonar um pouco. E você se abandonou. Deixou um pouco de você em cada canto que é pra eu me questionar se ainda não dava. Mas não dava, a gente sabe que não. Nosso fim foi corte seco de edição.

Você foi embora. Sem toque poético ou despedida artística ou abraço em que eu digo: se um dia quiser voltar, volta. Não volta. Por favor, não volta. Deixe que nossa história acabe porque uma vez na vida eu preciso me livrar das vírgulas e colocar um ponto final. E eu preciso que você vá. De vez. 

Eu só te transformei em texto pra fingir que foi bonito.
Mas você sabe: o fim...o fim nunca é.

Comentários

  1. Anônimo13/4/15

    Poxa vida Karine. Que saudades dos seus textos.
    Anda lendo o roteiro da minha vida, menina? rsrsrs

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahahah dei uma olhadinha nele! ahahahahah

      Obrigada!
      Beijos

      Excluir
  2. Anônimo13/4/15

    Nossa, q texto! :'(
    Kah sempre maravilhosa!<3

    ResponderExcluir
  3. Anônimo13/4/15

    "Você foi embora. Sem toque poético ou despedida artística ou abraço em que eu digo: se um dia quiser voltar, volta. Não volta. Por favor, não volta. Deixe que nossa história acabe porque uma vez na vida eu preciso me livrar das vírgulas e colocar um ponto final. E eu preciso que você vá. De vez."

    Meu coração! </3

    ResponderExcluir
  4. Aprender a lidar com esse tipo de coisa é super difícil. Quem vai embora não imagina como quem fica: sofre.

    Adorei o texto, Ka!
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  5. OMG!
    Estou aqui pancada das ideias após ler esse texto e imaginando o quanto o fim pode ser tão lindo quando é dito em palavras tão poéticas assim e, o quanto ele é duro e horrível de se viver, de ouvir, de sentir.
    Você fez da dor, do fim, uma melodia, uma poesia onde tudo se encaixou perfeitamente e virou música para a vida.
    Lindo e lindo! Amei.
    Ainda bem que você voltou, tava precisando de mais inspirações! Haha.

    ResponderExcluir
  6. Moça você escreve tão bem, e tipo... mesmo que não tenhamos vivido algo assim dá pra imaginar direitinho com seu texto. Parabéns :D

    ResponderExcluir
  7. Esse texto arrancou a voz já roca e cansada do meu coração.. É complicado quando acaba, complica ainda mais se desfazer de tudo o que não foi e poderia ter sido. Parabéns kah, como sempre mostrando o porquê de você ser minha escritora favorita!

    ResponderExcluir
  8. Esse texto arrancou a voz já roca e cansada do meu coração.. É complicado quando acaba, complica ainda mais se desfazer de tudo o que não foi e poderia ter sido. Parabéns kah, como sempre mostrando o porquê de você ser minha escritora favorita!

    ResponderExcluir
  9. "Não volta. Por favor, não volta. Deixe que nossa história acabe porque uma vez na vida eu preciso me livrar das vírgulas e colocar um ponto final. E eu preciso que você vá. De vez."

    Me identifiquei nessa parte... Hora do ponto final, adiado por muito.

    ResponderExcluir
  10. Uma das coisas que eu mais gosto de fazer é escrever, e sinceramente, você escreve muito bem. Parabéns, seu texto ficou muito lindo. :O

    ResponderExcluir
  11. Que texto lindo! "Eu só te transformei em texto pra fingir que foi bonito.
    Mas você sabe: o fim...o fim nunca é." (melhor parte do texto) Adorei, mesmo. Parabéns.

    ResponderExcluir
  12. Você é incrível!

    www.miragemreal.com

    ResponderExcluir
  13. Sempre te tive como inspiração, e quando volto aqui no blog eu sempre lembro que motivos não me faltam pra continuar assim.
    Quando Acordei

    ResponderExcluir
  14. Obg por arrancar as lagrimas que eu nao consegui soltar quando ele se foi.. 💔
    Caramba, kah.. Vc é incrível

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …