Pular para o conteúdo principal

Tem amor, pequena

Tem um pouco de sol atrás das nuvens – você vai achar se olhar bem, pequena. Tem um pouco de carinho na gaveta do armário: deixei ali na minha última visita pra você encontrar na madrugada de uma terça qualquer, quando doer. Tem um pouco de nós dois em cada uma daquelas fotos antigas que cê guarda naquele seu mural cheio, na parede do quarto. Tem um tanto da gente nas doses diárias de ligações e mensagens. E tem amor, pequena. Tem sempre amor, um bocado, em qualquer canto que cê olhe e que eu olhe. Amor não há de faltar, daqui ou daí, nunca.

Tem saudade, pequena, é verdade. E eu pensando como é que cê tá aí do seu lado do mundo. E eu pensando que, ah, eu queria você aqui do meu. Tem uns choros escondidos no banheiro quando eu penso que ainda demora pra você voltar, meu bem, mas aí eu lembro que alguns amores aguentam. E o nosso é desses: daqueles que aguentam o que vier. E já veio tanto, não veio?

Tem uma certeza, pequena, que eu nem sei se devia ter. A gente não devia dar certeza quando se trata de sentimentos incertos, não é? Mas sabe o que eu queria tanto te dizer outro dia? Que eu vou te amar hoje e até o fim do mundo. Sabia? Amar você é daquelas coisas que eu preciso, pequena. Ouviu bem? Eu preciso de ti. Do jeito que der. Toda torta, com todos os dramas, com todas as neuras. E eu espero que cê precise de mim desse jeitinho todo errado que eu também sou.

E tem cuidado, pequena. Se cuida daí que não poder te cuidar é das minhas maiores dores. Mas tem sempre um tiquinho de cuidado em cada “eu te amo” que eu te solto, em cada “dorme bem” que eu te deixo. Tem um pouquinho de mim em você e eu guardo você aqui no peito com o maior cuidado de todos. E você volta – ou eu vou, não importa. Porque tem amor, pequena.


Tem sempre esse tanto de amor.



*Texto feito pra uma amiga que ficou um bocado de dias aqui e ele lá. Mas agora tá lá, sendo cuidada e amada. E agora eu que tô aqui morrendo de saudade.  

Comentários

  1. ''E eu espero que cê precise de mim desse jeitinho todo errado que eu também sou.''
    Texto lindo,vou sempre dizer,você parece escrever com a alma,e faz com que a gente
    entre no texto,se identifique e se emocione,continue assim e quando seu livro for lançado
    eu vou estar na fila do autografo,bjs

    http://trancadoasetechaves.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. oiinnnn! distância é complicado mesmo. Mas que coisa mais linda esse texto.
    Beijinhos.

    http://www.verdadeescrita.com/carrie-bradshaw-sabe-o-que-e-sexo-bom/

    ResponderExcluir
  3. Chega deu vontade de amar agora..
    Kah, sempre nos tirando do chão e nos fazendo voar!

    ResponderExcluir
  4. Anônimo2/5/15

    Gênial, Karine! Acompanho o blog há um bom tempo, e sempre me surpreendo com os textos incríveis que você escreve! Na verdade, eles me lembram um pouco os contos desse blog aqui: https://historiasexpressas.wordpress.com/ já leu alguma coisa? Quando conheci, achei que fossem seus! Parabéns e sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!!! <3
      Vou dar uma olhada no blog!

      Beijão

      Excluir
  5. Gente! Com mil problemas na vida fiquei muito tempo sem vir aqui. Um pecado! Seus textos são sempre saborosos demais de ler! AMO! Tem sempre muito amor aqui (até quando não se fala dele) :)
    Beijos, Thamara Laila
    www.janelasviajantes.com :)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …