Pular para o conteúdo principal

Não, eu não quero ser salva

Olha, acho que a gente precisa conversar. Conversa franca, papo reto, de uma vez por todas, sabe? Preciso falar desta coisa que, para mim, parece tão óbvia, mas, para você não faz muito sentido: 

Eu não preciso ser salva da solteirice. 

Você pode deixar para lá, ok? Essa coisa de querer que eu arranje um namorado, conheça alguém legal, aquele amigo do seu namorado que está disponível, um conhecido que você jura que tem tudo a ver comigo, aquele irmão da sua amiga. Esquece. Eu não quero conhecer ninguém com a obrigação de ser o novo cara da minha vida. E, se uma hora eu quiser, deixe que seja escolha minha. E não por que você acredita que eu preciso de alguém pra me fazer feliz.

Porque eu não preciso.

Eu sei que eu escrevo sobre o amor, eu sei que eu adoro comédia romântica, eu sei que, às vezes, eu também reclamo que, caralho, não conheço ninguém legal. Mas isto não quer dizer que você precisa fazer da minha solteirice a sua missão, ok? Eu não tô numa torre com a vida congelada esperando pra ser salva pelo primeiro príncipe bacana que aparecer. Eu tô cuidando da minha vida, dos meus sonhos, dos meus planos, dos lugares em que eu quero chegar e de todas as pessoas que eu amo. Na hora que eu quiser alguém legal pra dividir tudo isso comigo, pode deixar, é missão minha.

Não é que eu não te entenda; eu entendo. Eu entendo que você só queria que eu fosse feliz. Eu entendo que você só queria que eu tivesse alguém legal, como você tem. Eu entendo, eu juro. Até aquele olhar melancólico que você faz cada vez que eu conto que, não, não era ele. Eu só quero que você entenda que: tudo bem. Tudo bem eu ser solteira, sozinha, leve, livre e desimpedida. Tá tudo mais do que bem.

Uma hora eu conheço alguém legal, resolvo juntar os trapos, dividir as escovas no mesmo copo do banheiro? Talvez. Talvez aconteça e eu entenda, de repente, por que você queria tanto isto pra mim. Ou talvez não. E ok. Mas chega. Porque eu também já sofri muito com todo mundo dizendo o que eu devia ou não devia fazer, quem eu devia ou não devia conhecer, como eu devia ou não devia levar a vida. Alô, eu sou independente pra tomar minhas próprias decisões, eu sou independente pra escolher o que quero e pra decidir ser feliz da maneira que eu bem entender. Beleza?

Chega dessa ditadura do "é impossível ser feliz sozinho". Porque, não sei se você sabe, mas há inúmeras formas de ser sozinho. E ser solteiro não é, necessariamente, sinônimo de estar mergulhado na solidão. Assim como colocar "relacionamento sério" no Facebook não te libera de se sentir completamente abandonado no mundo em madrugadas vazias. Ser sozinho é triste. Mas estar solteiro não.

Ok? 



Comentários

  1. "Ser sozinho é triste. Mas estar solteiro não."
    Nunca li maior verdade! É bom ficar solteira de vez enquando, te faz compreender coisas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. <3 Não é?
      Cê tem a chance de se conhecer melhor pra poder se entregar numa relação de forma mais madura.

      Excluir
  2. Os melhores relacionamentos que tive foi justamente quando "não estava procurando ninguém ". É bom isso de saber que se é feliz sim não tendo ninguém isso dá mais segurança quando calha de um relacionamento acabar. Você não vai ficar com aquilo de que " eu não vou ser feliz sem a pessoa" , que nada ! Vai e sempre foi feliz. ;) Afinal, ninguém morre de amor nem tão pouco por um término, até histórias Boas tem um fim,porque não os relacionamentos? O que vale é ter tido,por mais que não tenha mais, o que importa é o que se viveu e não o que deixou de viver... E eu? Não deixo de viver por ninguém.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. É mais do que possível ser feliz sozinho... Até porque pra ser feliz com qualquer outra pessoa, seja amigos, família ou em um namoro. Você tem que conseguir ser feliz consigo mesmo.
    Amor próprio é essencial!
    #AmeiOTexto

    ResponderExcluir
  5. É mais do que possível ser feliz sozinho... Até porque pra ser feliz com qualquer outra pessoa, seja amigos, família ou em um namoro. Você tem que conseguir ser feliz consigo mesmo.
    Amor próprio é essencial!
    #AmeiOTexto

    ResponderExcluir
  6. Tenho um texto no meu tumblr que fala exatamente isso, que estar solteira não é sinônimo de infelicidade.

    http://verifiqueapagina.tumblr.com/

    ResponderExcluir
  7. Tenho um texto no meu tumblr que fala exatamente isso, que estar solteira não é sinônimo de infelicidade.

    http://verifiqueapagina.tumblr.com/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …