Pular para o conteúdo principal

A minha dor é diferente da sua, meu bem. Ainda bem.

Doeu quando a sua atualização de status de relacionamento surgiu na minha frente. Abrir o seu perfil e ver que a nossa foto não está mais na capa. Não é mais o meu sorriso bobo que enfeita o seu facebook. 

Doeu pra caralho quando vi que o meu perfil tá vazio sem você, enquanto o seu já tem alguém no meu lugar. Doeu pra caralho ler a legenda da foto que você colocou com ela. Doeu demais porque era a mesma que você costumava colocar nas nossas fotos. 

Doeu muito no dia em que você me deixou. Por uma mensagem de texto. Por uma briga idiota. 

Doeu mais ainda quando você explodiu porque eu não aceitei voltar. Eu já não aguentava mais aquela palhaçada toda. “Seu amor todo era falso então, e a sua frieza me espanta”, você me disse. Doeu.

Dói. 

Mas sabe o que não dói? Deitar a cabeça no travesseiro pra dormir. A minha consciência tá tranquila. O coração ainda bate meio dolorido sentindo a sua falta, mas carrego a paz de saber que fiz tudo o que podia, que me entreguei por inteiro. Te coloquei em primeiro lugar sempre, te compreendi, te ouvi. Te amei. 

Não dói pensar que poderíamos estar juntos. Porque não poderíamos mesmo. Já não tinha mais jeito, o nosso relacionamento já tinha passado do prazo de validade. Mas mesmo assim eu mantive o respeito em todos os momentos. Respeitei o seu espaço e os seus sentimentos, como até hoje. Escolhi as palavras com cuidado pra não te ferir. Coisa que você não fez. 

Dói porque foi amor e a decepção que você me causou, e ainda causa, machuca. Dói porque tem que doer, até que uma hora vai passar, eu sei que vai. Mas não dói quando penso que você sente a minha falta. Não me leve a mal, mas tenho certeza que você sente. Deve pensar em mim todas as noites, e bater aquele arrependimento, né? Pode confessar, eu sei que dói. Mas isso dói só em você, não em mim.

Sabe o que dói em mim? Ter sido magoada pela pessoa que mais amava e tinha escolhido passar o resto da minha vida. 

Já em você deve doer saber que não tratou com o carinho que deveria alguém que só te amou. Deve doer quando você olha pra trás e vê que colocou tudo a perder por besteira, por impulso, por infantilidade. 

A minha dor é ruim. Mas a sua, meu bem, (ainda bem!) eu não tenho que sentir. Essa fica toda pra você.


Comentários

  1. Paula você ta vigiando minha vida? O.o
    Texto lindo, conta tudo pelo que estou passando, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que bom que gostou! Muito obrigada, Adriele!

      Excluir
  2. Arrasou, Paula!
    Esses textos que nos fazem perceber que não somos as únicas a passar por uma situação são os melhores!

    Parabéns!

    Isa Cordeiro | www.isacordeiro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida! Muito obrigada!!! Fico muito feliz pelo carinho! Beijao

      Excluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …